quarta-feira, outubro 14, 2009

Dia do Professor: e daí?

(a charge acima foi feita pelo autor do blog, na escola. Tosca, sem colorização, feita em 3 minutos entre um intervalo de aula e outro. Se tiver coragem e quiser ver melhor, clique nela)

15 de Outubro é oficialmente considerado como “Dia do Professor”, o que eu discordo totalmente, pois o “Dia do Professor” deveria ser mesmo em 12 de Outubro, porque só Deus ou Nossa Senhora Aparecida para derramar bênçãos e graças sobre a “catiguria”.

Que me perdoem os idealistas, otimistas e ocasionalmente “Pollyannas”, mas tornar-se professor hoje, no Brasil, é realmente para aqueles que possuem muita fé. Quem acompanha este humilde e tosco blog já se deparou com alguns textos relacionados à escola, professores e educação em geral. E para quem acha que estes textos são escritos por alguém leigo ou por um “especialista em educação que, restrito ao ambiente acadêmico, desconhece a realidade da escola, principalmente da rede pública”, está enganado: quem assina essas mal digitadas é um sujeito que há tempos também foi idealista, otimista e ocasionalmente Pollyanna.

Não vou cansar os eventuais leitores deste Grooeland carente de atualizações ( obrigado, computador, por ter pifado de vez só depois do feriadão!) com os velhos problemas que atingem o magistério e dos quais todos já sabem: baixos salários e excessiva carga de trabalho para professores, violência, péssima infra-estrutura, etc e etc. Aliás, tem vários artigos aqui neste blog sobre educação, é só procurar.

Há quem pense que tudo isso é lamúria, é chororô, é coisa de “professor ligado à sindicato de esquerda”, “desculpinha pra trabalhar menos” e outras bobagens ditas por aí, mas a coisa é tão séria que já faltam professores de algumas disciplinas nas escolas - e não pense que é só no Brasil: segundo a ONU, o mundo precisaria de cerca de 18 milhões de professores para que houvesse, de fato, o “educação para todos”.

O número impressiona e o que um professor passa durante sua jornada de trabalho também. No começo da profissão todos são idealistas e tem grandes e ambiciosos sonhos. Depois de alguns anos de trabalho, muitos desanimam e é muito comum encontrarmos profissionais doentes nas escolas. Há professores que mesmo diante de tantas dificuldades e entraves conseguem manter uma motivação e executam projetos muito bons nas escolas, mas graças a um esforço pessoal muito grande e contando apenas com a parceria dos alunos. Não esperem muita coisa de certos setores da sociedade e principalmente dos governos.

Do governo, aliás, esperem muita propaganda e muito markretino, digo, marketing. E muita, mas muita demagogia mesmo em torno dos novos salvadores da pátria da educação: o computador e a escola em período integral. E sem contar as lindas frases para ornamentar peças publicitárias, como “professor, você é importante”, “professor, você é fundamental para o crescimento do país” e tantas outras emocionantes e sinceras demonstrações de respeito e carinho.

No dia 15 de Outubro veremos uma enxurrada de homenagens à figura do professor. Não vou finalizar o texto com o chavão de que o professor (em todas as profissões há bons e maus profissionais, evidente) quer mesmo é respeito e valorização. Prefiro encerrar com um pedido de desculpas pelo desabafo que foi este péssimo texto e agradecendo aos que tiveram a paciência de chegar até aqui.

E dizer que sim, queremos grana, queremos comprar livros, ir a cinemas, teatros, bom vestuário, cuidar da saúde, frequentar uma academia ou dispor de tempo para atividades físicas, ter uma casa própria, tempo para a família. Sejamos justos: o sacerdócio é para os sacerdotes!

18 comentários:

  1. Oi Jaime!

    Parabéns pelo texto e pela coragem de assumir o que vc sente em torno da profissão. Realmente, o professor precisa ser mais valorizado e, principalmente, a nossa educação.

    Abraço

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. Olá!

    Parece que, há tempos, o relacionamento entre governo e professores anda desgastado, né?

    Sim, o governo se comporta como aqueles cônjuges que não estão satisfeitos com o relacionamento, mas que, ainda assim, tenta ludibriar o parceiro com pequenos mimos, na tentativa de conseguir extrair dele pequenos favores de modo totalmente egoísta.

    Sei lá... Tenho muita vontade de partir para o curso de letras, mas oro para que, caso isso se concretize, que eu consiga me desvencilhar da sala de aula, tanto é que estou de olho no bacharelado para partir para outras áreas. Como pode ver, faço parte dos descrentes, não exatamente na educação em si, mas sim nas tão prometidas melhorias para que o trabalho dos profissionais da educação que nunca chegam.

    O professor precisa sim ser respeitado, mas está sendo tratado como lixo ou puta, se bem que as putas ganham mais e trabalham menos!

    É, meu caro, esta nobre profissão, realmente, está desvalorizada.

    Como resolver este problema?
    Poderia dizer que tudo começa pela educação, mas se não há profissionais recebendo da forma como deveriam, se não há infra-estrutura, como formar cidadãos que sabem da importância do seu papel na sociedade?

    Como teremos, num futuro próximo, eleitores conscientes que votam em alguém que se importa com a educação?

    Hum?
    Você tem a resposta?
    Nem eu!

    É uma grande bola de neve.

    O importante é tentarmos fazer a diferença, com o pouco que temos, mas sei que é complicado.

    Bom, falei, falei e acabei fazendo um comentário óbvio e pessimista, sorry.

    Contudo, não posso ser hipócrita e tentar dizer que essas coisas não estão acontecendo, nem você fez isso, não é mesmo?
    rs...

    Kiso

    =*

    ResponderExcluir
  4. Jaimão, meu velho... Sei que meus comentários não figuram entre os melhores que pipocam por aqui, mas, dessa vez, vou sair pior que a encomenda. Nem lá no "Diz" tive disposição pra falar sobre a data. Apenas fiz menção à sua pessoa e ao seu blog ("Se quiser ler algo inteligente sobre, dá um pulo lá no Grooeland.")que é o que realmente podia dizer a respeito. Você sabe o que eu penso a sobre o assunto, afinal, isso já rendeu muuuuiiiita conversa entre a gente. A única coisa que desejo, de todo coração, é que venham dias melhores pra todos nós.

    Ei, o pc morreu?! Putz, tá cagado mesmo de urubu... Hehehehehehe!!!

    Apareça, man! Saudades das nossas conversas...

    Abração!

    ResponderExcluir
  5. Em tempo:

    Quando vc solucionar seu problema, aparece lá no blog para pegar um selinho, ok?

    Kiso

    ResponderExcluir
  6. Até eu que já me formei (no ensino médio) e não sou professora (graças a deus) me indigno com a situação de vocês. Eu amava e amo todos os professores que tive, e fico abismada com a desvalorização da profissão de vocês. Eu no meu primeiro emprego já recebi R$ 1,200,00 (sou cadista) muito mais que a maioria dos professores a anos na profissão. Me pergunto então por que continuam? Só com muito amor e paixão à profissão para fazer isso...

    ResponderExcluir
  7. Jám pensei em seguir a carreira de professor... de geografia. Mas desde o momento que passei a estudar inglês, meu objetivo é mais trabalhar com esse idioma.

    Imagino que ser professor não seja realmente nada fácil. Em escolas públicas tem o fator falta de infraestrutura e alunos marginalizados (pelos pais ou pelo meio onde vivem - ou os dois) que vão para a escola para infernizar.

    Nas particulares, há aqueles alunos IDIOTAS que são clientes né. Cliente tem sempre razão, até mesmo quando não tem. Então não dá pra ser rígido ou tratar o aluno riquinho-metido-a-besta pra fora da sala para não perder um cliente. ¬¬

    Pobre país onde o cérebro fica localizado na bunda...

    ResponderExcluir
  8. Oi querido!
    Bem msm q depois desse texto minha frase pareça ironica, vou msm assim dize-la, rs: Feliz dia dos Professores!

    Eu não tenho muito a acrescentar, vc falou td!!!

    To com saudades...

    Tb to sem net =///

    Bjao

    ResponderExcluir
  9. Mordaz, dramático e corajoso. Um texto que transmite a verdade de uma classe sofrida e que, faz pouco tempo, era amada. Ainda lembro com enorme carinho de meus professores e simplesmente não entendo como as coisas podem ter chegado a esse nível tão ruim.

    Um povo que só se mobiliza para eventos esportivos e festivos e não liga para o que fazem as pessoas que decidem seu futuro, não pode sequer se candidatar a entrar no primeiro mundo.

    ResponderExcluir
  10. Oi Jaime!
    Seu texto está tão forte. Sinceramente, não tenho palavras para falar mais nada, pois vc disse tudo. Foi um desabafo tão sincero, verdadeiro, honesto, doloroso e o mais triste real.
    Gostaria de poder lhe dizer coisas alegres e belas sobre o tema, mas vc mais do que ninguém vivencia isto na pele e sabe muito bem do que fala.
    Um abraço.
    Cintia Carvalho.

    ResponderExcluir
  11. dão tanta importancia ao professor né? (ironia)
    Os salarios absurdos, falta de respeito, com pessoas que querem ensinar, bom se nem o governo respeita por que os alunos iram rspeitar , ;/

    ResponderExcluir
  12. Amigo, não gosto quando você diz nos seus posts que são "linhas mal digitadas". Por trás de cada piadinha, tem sempre algo bem coerente, sensato, real. E vc sabe muito bem que amamos o Grooeland...

    Olha, apesar de também ser da área de educação e de estar consciente de todos esses entraves, ainda conservo o meu lado "Pollyanna" de ser. Pode até parecer "certinho" demais e que sou uma sonhadora sem noção da realidade, mas prefiro pensar que as coisas irão melhorar do que ficar apenas lutando e sofrendo.

    Juro pra você que sou totalmente a favor dessa causa que tanto defendemos. De verdade. Porém, não dá pra gente piorar o estado das coisas nutrindo toda essa decepção, sabe? Precisamos buscar forças e renovação. Se não fizerem isso por nós, que façamos nós mesmos, enquanto estivermos na área da educação.

    Sacode a poeira e segue em frente... não pense somente na situação difícil e angustiante pela qual o magistério tem passado. Pense nas vitórias e nas conquistas também, pois certamente houveram muitas - e tenho certeza disso!

    Aceite então esse meu presentinho inusitado... e não brigue comigo por estar aqui pagando de boa samaritana, viu? rs...

    Um abração pra vc, cheio de carinho!

    Vivi

    ResponderExcluir
  13. Fala, Jaime!!!!! Bem, eu já disse que acho a profissão linda e que valorizo muito meus professores, afinal foram eles que parcialmente construiram quem sou hoje. E dou muito valor a quem me ensina, me mostra o caminho do conhecimento. Parece filosofia oriental, mas é assim mesmo que vejo o professor. Como um eterno mestre que está lá pra ajudar seus discípulos.

    Entretanto, eu não pago os professores. Professor devia ter ótimos salários até mesmo para se especializar e ter condições boas de trabalho o que não vemos hoje em dia nas escolas, sobretudo, públicas. Um problema das particulares é a fama. Se o professor for carismático e reprovar pouco ele será bom e reconhecido. bem, sei que os professores não querem reprovar, mas se o aluno não conseguiu, filho é reprovação... Esquece isso...

    Eu queria que os profissionais da saúde e da educação pudessem ganhar mais... Mas... rs

    Abração!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  14. Estava sumida porque perdi uma irmã querida, mas desabafos pertinentes como o seu me trazem de volta lentamente. Bjs

    ResponderExcluir
  15. Pois eh mano, não sabia da história da Pollyana rs muito boa gostei.

    Eh como te disse no orkut eu decidi acabar logo com minha curta carreira de professor pq de idealismo eu não tinha era nada.

    Sobre a charge, esse aluno pegou leve, rs aqui nas quebradas aluno quando não gosta de professor (sempre), prefere explodir ou tacar fogo no carro do cara, se ele não tiver carro, vale magrela, se não tiver nem isso, ta ligado ne? O movimento é sexy.

    =D

    ResponderExcluir
  16. Olá Jaime,

    Cheguei...estou aqui! Jamais deixarei de prestigiar o Grooeland! Estou firme e forte com vc pois, adoro este blog.
    Saiba que sua crônica, logo no primeiro parágrafo, me causou uma crise de risos. Vamos comemorar o dia da "catiguria" junto com as crianças e com a padroeira do Brasil??? rsrsrsrs...ai q senso de humor inteligente! Só vc mesmo! Uma figura e tanto!
    18 milhões de professores no mundo? Quem vai se candidatar? Difícil preencher essa lacuna...realmente trata-se de uma estatística alarmante!
    Falta respeito (dos alunos em relação aos professores), estímulo, especialização, enfim...é um problema estrutural do próprio "sistema".
    Fique tranquilo! Seu texto não transmite "lamentação", transmite "realidade" porém, uma realidade sem muitas esperanças...
    Será que no futuro a profissão de professor estará extinta? Com o avanço da tecnologia, talvez desenvolvam professores virtuais (via sistema de software de última geração). E isso não está difícil de acontecer, já que várias faculdades oferecem "graduações", pasmen...reconhecidas pelo MEC...via internet.
    Isso é Brasil! Salve sua catiguria e feliz dia dos professores, mesmo que tardiamente!
    Fê pautajornalistica.blogspot.com

    ResponderExcluir
  17. pra ser professor tem que ser aventureiro,corajoso!!

    tenho uma amiga q é... ela conta cada coisa!!

    Um beijão!!!

    ResponderExcluir

Agradeço sua visita e o seu comentário! É sempre bom receber o retorno dos leitores.

Todas as opiniões são livres, porém não serão aceitos comentários anônimos e tampouco comentários ofensivos, discriminatórios e que não prezam pelos princípios da boa convivência - o autor do blog reserva a si o direito de excluir comentários com tais temas.

Volte sempre! =)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...