quarta-feira, março 14, 2012

Educação precisa ser prioridade - e não apenas nos discursos eleitoreiros


Clique na ilustração para melhor visualização

Há algum tempo eu assisti a uma palestra voltada para administradores de empresas e empreendedores. Em dado momento, o palestrante relacionou algumas características do administrador do século XXI: dinamismo, flexibilidade, trabalhar em grupo e criatividade. Imediatamente pensei: “Este profissional existe e é o professor!”

Quanto vale – em termos salariais – um profissional com essas características desejáveis? Não sei dizer, talvez um consultor de RH possa responder; no entanto creio que um profissional assim certamente recebe um salário bem maior do que R$ 1.451,00 – este é o novo valor do piso salarial do Magistério de acordo com o reajuste anual do FUNDEB. ( Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica) A chamada “Lei do Piso” foi sancionada em 2008 e vários estados brasileiros não cumprem a lei.

As "restrições orçamentárias"

Por ser um valor elevadíssimo e que levará o “caos financeiro aos municípios e estados”, alguns governadores e prefeitos já acenaram má vontade para pagar tal valor aos professores, o que não é uma novidade: desde 2008 os governadores do Ceará, Santa Catarina, Paraná, MatoGrosso do Sul e Rio Grande do Sul vêm articulando resistência a ações naJustiça contra este piso salarial. Para o presidente da CNM ( Confederação Nacional dos Municípios), o piso não passa de “demagogia”. É curioso constatar que sempre há “restrições orçamentárias” quando o assunto é investimento em setores fundamentais como Educação – e isso em um país que está reformando e construindo novos estádios para receber o campeonato mundial de futebol em 2014.

Nos dias 14, 15 e 16 haverá grande paralisação nacional em luta não apenas em relação ao piso salarial para o magistério, mas também para o investimento de 10% do PIB em Educação – dentre outras reivindicações. E antes mesmo da paralisação começaram a pipocar comentários dos chamados “formadores de opinião” de parte da imprensa que parece entender tudo sobre Educação, clamando para que o Brasil siga os modelos da Finlândia e Coréia do Sul na área educacional. Um país que possui figuras como Paulo Freire, Anísio Teixeira, Fernando de Azevedo, Darci Ribeiro e Cecília Meireles – criou a primeira biblioteca infantil brasileira em 1934 e a mesma durou pouco tempo: foi fechada sob a alegação de conter “livros perigosos” como Tom Sawyer, de Mark Twain! Eu imagino o que fariam se encontrassem um livro do Henry Miller por lá. - não precisa buscar modelos externos para a Educação.  

“Prejuízo aos alunos”

Não é querendo bancar o profeta, mas o tipo de comentário que mais será ouvido dos mesmos formadores de opinião pela imprensa e que mais chamará a atenção será algo nesta linha: “A greve dos professores chega ao segundo dia e prejudica mais de 1 milhão de estudantes”.

O que é esse “prejudicar”? Evidente que uma paralisação deste porte (ou mesmo uma greve) não é desejável e atrapalha a vida de todo mundo – tanto dos alunos como dos professores, que precisam “correr” para repor as aulas e conteúdos programáticos; no entanto, os estudantes são prejudicados desde o momento em que é efetuada a matrícula em escolas com infra-estrutura deficitária, professores desmotivados e mal pagos, a violência que contribui para a evasão escolar etc. Tudo isso prejudica o estudante, mas a impressão que certos “formadores de opinião” procuram passar à população é que o ato de aderir a uma paralisação – reivindicando simplesmente que Estados e municípios cumpram a lei -  é a grande causa pelo “caos na rede pública de ensino”.

Participação da sociedade

É muito curioso ouvir de tantas pessoas – de diversos setores da sociedade - a expressã “educação é fundamental e deve ser prioridade”. Reconhecer isso é um passo, mas houve algum protesto, além de alguns isolados aqui e ali, quando o governo anunciou cortes do orçamento na área da educação? Alguém ao menos manifesta de forma crítica o descontentamento sobre a insegurança nas escolas e falta de professores de disciplinas como Matemática e Física? No Chile e na Espanha, apenas como exemplos, ocorreram grandes manifestações contrárias aos cortes no orçamento na pasta da Educação.

Se algo é fundamental e prioritário, deveria haver maior mobilização pela causa, não é mesmo? Infelizmente, não é isso o que acontece. “Ao mesmo tempo em que a sociedade brasileira não dá muito valor ao profissional da educação, haja vista os salários pagos aos professores do ensino básico público, ela exige muito da escola”, afirma o filósofo e professor Renato Janine Ribeiro. Não adianta a sociedade clamar que educação é fundamental e prioritária se esta não se interessa por questões políticas – e política é algo que vai muito além ao partidarismo e noticiários envolvendo corrupções: se você vai a uma reunião de condomínio, por exemplo, está fazendo política. “Não podemos imaginar escolas extraordinárias, espantosas, onde tudo funciona bem numa sociedade onde nada funciona”, afirma o professor português António Novoa

E nem precisa sair às ruas, se for o caso: acompanhar a educação dos filhos e participar de reuniões e atividades propostas pelas escolas já seria o primeiro grande passo. Isso pode parecer óbvio, mas muitos pais negligenciam este lado e esperam que a escola assuma responsabilidades em que a instituição muitas vezes não consegue lidar.

Duas personagens que o professor não deve assumir: Sacerdote e mártir. Nada contra os sacerdotes, mas o professor é um profissional que precisa de bons salários, boa formação, condições de trabalho adequadas. E a Educação precisa sair da fase dos discursinhos de políticos em busca de votos para que se torne de fato prioridade, pois a Educação que queremos e precisamos, tomando emprestadas as palavras de Paulo Freire, é aquela “capaz de formar pessoas críticas, de raciocínio rápido, com sentido do risco, curiosas, indagadoras”. Ainda estamos muito distantes disso, mas é preciso manter a esperança, afinal "continua de pé a necessidade de insistirmos nos sonhos e na utopia". ( Freire)  



56 comentários:

  1. Jaiminho,


    Adorei o texto. Concordo com a definição de professor empreendedor, pois como professora de Empreendedorismo, cansei de dar exemplos sobre o quanto o professor se enquadra nessa definição. Aliás, até mais pois agora passa correr risco de morte, pelo menos aqui em Maceió nas escolas públicas.

    Acho um absurdo esse piso. Hoje as grandes empresas nos EUA estão colocando como requisito de seleção a experiência em uma escola pública e com condicionantes de resultados. Ter um MBA de Harvard é pouco se não ter resultados na educação.

    Outro fato é o exemplo dos países como China e Coreia que possuem a formação como prioridade estratégica, os professores são colocados a uma posição diferenciada na sociedade.

    Ontem eu falava com meu filho sobre o professor de Matemática dele, que tem que estar em sala todos os dias e é super inteligente. Falei para ele que pena que o resultado da capacidade dele não se desdobrará em salário.

    Acho que o Brasil não avança sem a mudança e a greve é só visualizada como prejuízo.

    Excelente análise!

    Beijos.

    Lu

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Luluzinha,

      seu comentário é valioso. (como sempre, aliás) Muito obrigado!

      ( e do jeito que muitas escolas estão, em breve os professores passarão a exigir um adicional de periculosidade nos cargos)

      Beijos!

      Excluir
  2. Amigo,

    Concordo plenamente com essa ideia. E fico torcendo para que a sociedade aprenda de uma vez por todas que sendo mais participativa na política, muitas conquistas já poderiam ter sido alcançadas. Acredito que seja um árduo caminho a ser trilhado, tendo em vista o modelo de sociedade atual, mas não podemos deixar de tentar...

    Segredinho: sou apaixonada por seus textos. Eles me inspiram cada vez mais!

    Abraços da Vivi

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vivi, minha querida amiga,

      também sustento a utopia e esperança, embora muitas vezes desanime. É complicado.

      Muito obrigado, viu? É uma honra ( e grande responsabilidade!) saber que sirvo como inspiração! Muito gentil, como sempre! :)

      Um grande abraço!

      Excluir
  3. Cara, vou postar esse post no blog. É bem isso, você deu um apanhado interessante da ferida.

    Reconhecemos os problemas, porém as manifestações são muito pontuais. E normalmente com conotação política. Dura uma semana e acaba.

    O povo em geral deveria se manifestar. Em todas as áreas de insatisfação. Educação, saúde, segurança.

    Mas vamos lá, aí tem eleição e os mesmos são recolocados no poder. Brasileiro é um povo ignorante e muito manso. E para os governantes é maravilhoso essas "qualidades" do povo.

    Grande abraço.

    ----
    Site Oficial: JimCarbonera.com
    Rascunhos: PalavraVadia.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu, Jim!

      Eu concordo contigo e creio que o brasileiro é muito passivo quanto a manifestar por seus direitos - não quanto aos direitos individuais, e sim coletivos, destes em que todos necessitam: saúde, segurança pública, educação, mobilidade urbana, etc.

      Um grande abraço e obrigado!

      Excluir
  4. JaimeZinho, voltarei mais tarde... esse assunto muito me interessa!

    bjks

    ResponderExcluir
  5. Enquanto durar a má vontade em se envolver com política e o único envolvimento for essa coisa patética de compartilhamento de fotos "Eu quero o fim da corrupção" (exceto a Weslian Roriz que quer "defender toda aquela corrupção" sic) não iremos para a frente mesmo.

    Não existe um foco e a educação nunca foi prioridade nem do povo nem dos candidatos. O brasileiro quer soluções imediatas para as coisas e acontece que as não é assim. Deve ter pesquisas na internet onde saúde e segurança pública, por exemplo, são considerados problemas piores. Em certa parte, não deixam de ser mas, se houvesse maior investimento em educação talvez não tivéssemos uma taxa de assassinatos, de acidentes de trânsito, de gravidez na adolescência, e etc tão altas. Esquece-se que a educação não é simplesmente aumentar o salário como você outras vezes já escreveu, mas investir também na estrutura.

    Enquanto o povo não tomar consciência das consequências de uma educação exemplar e de uma educação tratada de qualquer jeito, daí é que nosso país não vai pra frente. Pode ser uma das maiores economias do mundo, mas com ainda vai continuar lá atrás no ranking do IDH...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Peterson. A população costuma priorizar outras causas e prefere deixar de lado outras questões como as citadas em seu ótimo comentário. O que é uma pena, pois desta forma subiremos em "rankings de consumo", mas não de desenvolvimento humano.

      Excluir
  6. Oi Jaime
    Eu não sou professora, e tenho filhos em escola particular, mas abraço totalmente a causa. Acho um absurdo o descaso do governo em geral com a Educação, principalmente no Estado de São Paulo que é o Estado mais rico do Brasil. Aqui em Itanhaém, as melhores escolas públicas são as municipais, até as particulares não estão lá essas coisas. O meu filho está no 7º ano, sempre estudou em escola particular e vive "assassinando o português" (kkkk), eu pego no pé dele, faço-o ler livros, compro palavras cruzadas, sou daquelas mães bem chatas, acho que o papel dos pais é fundamental na educação.
    Bjos.

    http://ashistoriasdeumabipolar.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Luciana!

      Imagine, você não é uma mãe chata não...é uma mãe zelosa e consciente do papel dos pais na educação - e uma pena que nem todas as mães sejam "chatas" ( no bom sentido rs) assim e deixam seus filhos "soltos" esperando que a escola resolva tudo.

      bjs!

      Excluir
  7. Escola: o seu futuro é duvidoso.
    O sono, q não me permite raciocinar, evita q eu deixe mais um comentário tosco por aqui. Porém, para ser breve, num momento de lucidez, registro que concordo com o P. Florindo num ponto: a educação não é prioridade nem para políticos nem para a sociedade. Um ciclo maldito e vicioso.

    bjohnny!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Moça Cabofriense, ou a escola muda RADICALMENTE ou continuará sendo essa instituição que procura resgatar sua função mantendo os mesmos métodos do início do século XX.

      Bjks! ( e você NUNCA faz comentários toscos!)

      Excluir
  8. Jaiminho,
    tudo bem, amigo?

    Como você sabe, não sou professora e desconheço a realidade escolar do ponto de vista de quem está dentro de uma escola no dia-a-dia, enfim..., mas sou cidadão e eleitora.
    E é sempre a mesma coisa, o mesmo apelo, a mesma propaganda e o mesmo resultado.

    Uma frase que foi muito falada aqui no RS nas eleições, com apelo humorístico e acho que se encaixa aqui:
    "Nas próximas eleições vamos votar nas put..., já que os filhos delas não fizeram nada que prestasse".

    E o que é engraçado, na verdade é trágico, por tudo que se sabe, que está aí, mesmo para quem não vive a realidade do dia-a-dia, mas que daqui há pouco será a tônica, quando minha filhota entrar na escola, e não mais estará na pré...

    Minha mãe foi professora primária do estado, agora aposentada, e o salário, como dizia o Chico Anysio na escolhinha: óoooooo....

    Texto maravilhoso, Jaime, embora meu comentário não tenha sido rsrs

    Beijinhos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cissinha,

      seu comentário é sempre muito aguardado e muito bem vindo! :)

      Mesmo para quem não vive a realidade cotidiana dentro de uma escola enxerga os reflexos de uma educação deficitária nas ruas, nas qualificações que diversos candidatos a empregos têm para oferecer, enfim... eu tento não ser pessimista e manter a esperança, mas há momentos em que fraquejo.

      Muito obrigado, minha nêga!

      Bjnhos!

      Excluir
  9. Fala meu camarada,

    Olha, o tema Educação é sempre problemático neste país. Tantas são as décadas perdidas, tantas são as leis e diretrizes que tentam melhorar uma questão ou outra, se atacar a fundo o problema, que é o sucateamento do ensino público e a desvalorização do profissional da educação.

    Enquanto não houver uma verdadeira revolução neste setor, toda esta retótica vazia dos nossos governantes não vai passar de mero engodo, disfarçando a questão mais importante com detalhes desimportantes.

    Todo apoio à greve, e aos 10 por cento do PIB para a educação. Já está na hora de sairmos das vergonhosas últimas colocações nesta área.


    Grande abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu, meu velho!

      Uma palavra que você utilizou: revolução. É preciso de fato uma revolução na área da Educação aqui no Brasil - não que em outros tantos países seja assim tão melhor, mas falamos cá dos trópicos - e tratar o assunto com a seriedade que merece, sem discursos vazios e demagogias.

      Grande abraço e obrigado!

      Excluir
  10. Querido, adoro seus textos,como é bom te rever!!!!:)

    Na condição de professora me sinto absurdamente indignada com tudo isso.A indignação começa na desvalorização da própria classe. Vejo cada piadinha desconcertante, vejo uma grande desunião e uma baita desvalorização do proprio profissional. Queria muito que o Brasil valorizasse melhor os docentes, mas antes de tudo queria que o Brasil de fato formasse docentes. Hoje em dia qualquer um com um diploma de graduação á distancia ja se sente qualificado a ensinar. Não é bem assim!
    É uma caminhada longa e árdua, mas assim como muitos países ja estão fazendo a lição de casa e mostrando que é com educação que o país avança, e que não adianta ser a 6a economia do mundo com um dos piores IDH´s. Sinto cheiro de esperanças reais,a coisa ta engatinhando, mas se formos ver, a mobilização social tem começado, eu acredito na educação e no educador.

    Bjos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Minha querida, é sempre tão bom ler suas palavras por aqui! Adoro quando me honra com sua visita!

      E concordo 100% com tudo o que escreveu, inclusive quanto à formação de professores - um problema que vai sendo "jogado para debaixo do tapete" com cursos e mais cursos de EAD. Não que a EAD seja ruim, pelo contrário, mas acredito que a formação do profissional em magistério (ao menos na graduação) requer maior participação presencial - afinal os futuros professores lidarão com grupos nas escolas, tanto na sala dos professores como nas salas de aula, reuniões de pais.

      Também detecto algumas esperanças. Eu prefiro, embora fraquejando aqui e ali, mantê-las. :)

      Bjs!

      Excluir
  11. A mãe deu bombom
    pra ver se a menina parava de desejar
    boneca

    O doce na boca
    quietou o protesto da menina
    sapeca

    Gostou do sabor
    um tantinho engordou, esqueceu de
    mamar

    Balinha acabou
    a boneca quebrou, se esqueceu de
    brincar

    No Brasil tem bombons de sobra. Admiro muito a profissão de professor, e digo que não é pra qualquer um. Vejo também que tem muita gente que levaria jeito, mas não tem coragem de embarcar nessa onda. Uma das coisas que mais ouço é que a educação é fator fundamental para o desenvolvimento. Daí hoje qualquer maior de 18 pode concluir o ensino médio pelo Enem, fechando apenas 50% da prova. Uma prova substitui três anos de sala de aula todos os dias. Que ótimo, né? Um agradozinho do governo. Aí vem cotas, financiamento de ensino Superior, outro agradozinho, e uma alternativa mais fácil e barata que investir no ensino público e manter, entre diversos fatores, a mesma média de salário dos professores.

    Tenha um bom resto de semana!
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Elisa,

      se sobrou um bombom aí, eu quero! rs

      Bem lembrado todos esses "agradozinhos". As cotas, que seriam paliativos, vão ficando, ficando até tornarem-se permanentes. E hoje há cada modalidade de curso nas escolas...que tal terminar o ensino fundamental II ( 6.o ao 9.o ano) em 2 anos e partir pro ensino médio em outros 2 anos? Com apenas 4 anos de estudo a pessoa resolve a vida. Já viu, né?

      Obrigado, bjs!

      Excluir
  12. Eu li agora há pouco um post onde uma dona de casa era muito crítica em relação a educação de seus filhos e comentou que, em uma sala de vários alunos, nas reuniões escolares além dela, apareciam uns quatro pais dos mesmos. A própria família, que, em minha opinião, é a base da educação (a escola apenas complementa, eu sou daqueles que acredita que educação vem de berço, não necessariamente o caráter) não se interessa nem pelo desempenho dos próprios filhos, os "formadores de opinião" queiram se intrometer no que seja prejudicial ou não aos estudantes. Isto é somente para "marcar território" e "mostrar trabalho e opinião".
    Não sou professor e não conheço a realidade do dia-a-dia de uma escola pública, estudei em escolas privadas minha vida inteira, no entanto, isso não me isenta de ter noção do quanto há problemas na educação e de que isto não é culpa do profissional que se esforça, mesmo sendo tão mal pago.
    Eu presenciei professores de escola particular que também passavam um cortado tanto com os coordenadores, tanto com os pais, visto que alunos de escola particular possuem esta mentalidade de que o professor está ali para servi-lo e, se suas notas são baixas, o culpabilizado nunca é o aluno e os pais, logicamente, são coniventes com isto, a responsabilidade não cairá sobre eles. Apenas desconheço do salário que ganham. Não sei se estou fugindo do assunto, contudo, acho interessante expor esta realidade para quem não está do lado de dentro dos portões da escola particular.
    Não sei se os da escola pública possuem mais liberdade, o que sei é que possuem menos recursos para executar seus trabalhos pela verba escassa que o governo libera. E, obviamente, o que seu post não nos deixa mentir, os salários dos profissionais estão inclusos.
    Somente espero que não seja uma paralisação por nada, e depois haja um comodismo e tudo volte "ao normal", como presenciamos em alguns casos. Espero que esta greve faça valer os seus direitos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Christian,

      os professores da escola pública possuem, de fato, maior autonomia para exercerem seu trabalho. Evidente que há os planejamentos, reuniões com coordenadores, cursos de formação, etc. Mas muitos ótimos projetos - como educação e tecnológicas, educação e meio ambiente, etc - são realizados na rede pública justamente por conta desta autonomia; na rede particular há um programa que, graças também ao ENEM, já estão modificando e fugindo da decoreba e única finalidade visando o vestibular. ( e infelizmente há muitos problemas sérios na rede particular - já lecionei também - mas ficam "dentro das paredes" das instituições, afinal existe também o marketing, enfim...)

      Obrigado por seu ótimo comentário!

      Excluir
  13. JaimeZinho, seu lindo, estou aqui de volta! Ameacei lá em cima e cumpri! heheheh

    Ah, esse profissional existe, como vc bem colocou. Disseram que esse profissional receberia 1451,00(para 40 h trabalhadas, que fique claro aos desavisados, para PEI). Que salariãããããooo, heim?? Sassinhora!(Tá, parei... prometo que tentarei não ser tãããão irônica da próxima vez). O que pega é que NEM ESSE VALOR eles querem pagar. Mas, o que é pior está por vir! Pois, esse bando de políticos filhos de uma !@$@#%$#@(prontoparei) dizem que não podem pagar isso. O que mais? Querem que o índice de aumento salarial anual aconteça de uma forma diferente. Claro, de forma que eles aumentem uma merreca ao ano, afinal, eles insistem em dizer que não tem dinheiro suficiente para pagar o piso salarial aos professores.(Claro, tem que sobrar uma graninha pra colocar naquela samba canção caríssima que eles compraram... ops... calei!) Enfim, diante dessa questão salarial, onde fica o professor? Sim, aquele ‘multifuncional’ que precisa dar conta de tudo? Só posso dizer pra vc, JaimeZinho, que estou revoltada, frustrada e tudo o mais... triste, sim, triste com nossa realidade.

    Mas, a coisa não para por aqui, pois vc bemm colocou outros sérios problemas que nos assolam! Quando li o subtítulo “Prejuízo aos alunos” que me veio à mente foi que nossos alunos já estão prejudicados desde o início, com as péssimas condições que o governo apresenta para eles. Basta olharmos as condições em que as escolas estão. Mas, aí li o restante do texto e vi que vc falou muito bem sobre isso. Seu danado, vc não deixou escapar nadinha!

    Educação como prioridade? Posso rir??? Seria muita feiura de minha parte gargalhar agora? É triste, mas tenho que concordar com todas as suas palavras. Educação NUNCA foi prioridade em nosso país. Nunca!!! Um pais que se gaba por ser a sexta(??) economia do mundo, mas, está em 84ª lugar no IDH(irônico, não?) não merece minhas palmas.

    Paulo Freire deve estar se revirando no tumulo, uma hora dessas!

    Me despeço por aqui, JaimeZinho.

    Sacomé, né? Às vezes eu exagero na dosagem das palavras!

    Bjks JoicySorciere => Blog Umas e outras...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Joicy, sua LINDA!

      Você nunca exagera nas palavras! E você também é colega de profissão, então seu relato é precioso. Olha, também fico frustrado, revoltado...e mesmo assim teimo em manter alguma esperança, utopia.

      Enfim, olha que coisa interessante:
      Reajuste salarial do governador da BA - R$ 1.100,00 (aprovado por unanimidade pelos deputados em rápida sessão)
      Reajuste salarial dos policiais da BA - R$ 42,00 ( foi preciso uma greve para que o governo atendesse às reivindicações - e pelo jeitão não está cumprindo. Olha, sei não...)

      Pra você ver.

      Beijos! E obrigado, viu?

      Excluir
  14. Muito bom! Muito bom Jaime.
    Esses dias no twitter o tão pop Sen Cristovão Buarque disse que é a favor dos prof se manifestarem, porém contra a grave.
    Ai agora eu li o seu texto e vi:
    "no entanto, os estudantes são prejudicados desde o momento em que é efetuada a matrícula em escolas com infra-estrutura deficitária, professores desmotivados e mal pagos, a violência que contribui para a evasão escolar etc."

    Gostei desse pensamento! É ousado e demonstra clareza ao mesmo tempo.

    Abrç

    End Fernandes

    ...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, End Fernandes.

      Grato pelo "ousado"...rs Mas é algo visível para quem vive o cotidiano da escola e sabe como as coisas funcionam - ou não funcionam.

      Abraço!

      Excluir
  15. Boa tarde, Jaime.
    Parabéns por mais esse reflexivo e pungente texto.
    É incrível como em TODAS as eleições a Educação, Segurança e Moradia estão entre as prioridades de qualquer vereador de fundo de quintal.
    Já as "restrições orçamentárias" podem muito bem serem definidas por "tirem do bolso dos trabalhadores e coloquem no nosso".
    Quando você lembra que um deputado federal custa aos nossos bolsos mais de 100 mil reais por mês, aí dá vontade de mudar de país.
    Mas não temos escolha, o que devemos fazer é pensar 100 vezes ante de darmos nosso voto pra qualquer um.
    Esse país tem muito safado sim, mas as pessoas de bem são maioria.
    1934 foi o ano de criação do Pato Donald, só pra constar.
    Nunca li Henry David Thoreau, mas dá-se um jeito nisso também.
    Abraço e bom fim de semana, Jaime.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Jacques,

      muito obrigado! E você viu a declaração de um senador dizendo que político ganha pouco neste país? Um piadista do pior naipe. É preciso pensar o voto como ação importante para a sociedade por um período de 4 anos e não apenas como uma "obrigação". Tem muita a ser mudada.

      Leia Thoreau, você vai gostar. E viva o Pato Donald, quack! :D

      Abraço!

      Excluir
  16. A realidade docente nesse Brasil é muito crítica.Eu sou licenciada em ciências naturais e biologia e leciono uma vez por semana em um cursinho social do governo do estado.Mas,assim que me formei,lecionei um ano biologia e química em um colégio particular.Confesso que nunca me senti tão desvalorizada em toda minha vida.
    É vergonhoso como a classe docente é tratada nesse país.Um descaso,uma falta de amor,uma falta de gentileza.Chega a beirar a humilhação.E o pior,que não estão nem aí.Não mesmo!Quanto mais caos na educação,melhor.Quanto mais professores insatisfeitos,quanto mais alunos analfabetos funcionais,melhor.Não há uma sombra de comprometimento do governo com classe(que por ironia,é incubida de imbuir aos alunos valores éticos e morais;ao mesmo tempo,são desmoralizados e chamados de vândalos e por aí,que paradoxo terrível),há sim um infindo desrespeito e um autismo crônico,uma demência total e proposital por parte das 'autoridades' que denigrem a cada dia que passa os professores-heróis verdadeiros,em toda sua dimensionalidade- desse imenso e lindo país chamado Brasil.
    Beijão,Jaime!Dani.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Puxa vida, Dani, que pena que tua experiência na escola particular tenha sido tão ruim. Infelizmente, porém, não é só contigo...o desrespeito ao profissional do magistério é muito grande e é vergonhoso - da mesma forma que o descompromisso das autoridades e de uma parte da sociedade para com a Educação. E assim continuaremos no caos, embora tenhamos algumas boas iniciativas aqui e ali.

      Beijo, Dani!

      Excluir
  17. Jaime Bond!
    Cissa Andress vem te agradecer pelos comentários muuuuito bons nos últimos posts, e digo mais, melhores que os próprios posts!
    Obrigada Bichinho!
    Beijos e ótima semana :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cissa Andress,

      eu que agradeço. Se o comentário foi tão bom assim é porque o seu texto estava ótimo e estimulante para tal comentário! :)

      Eu que agradeço, minha nêga!

      Beijoooo

      Excluir
  18. Uau que post! Bem como criticar um governo inteligente como o nosso?! Devemos criticar as pessoas que não lutam pelo certo não é assim?!
    Aluno inteligente é eleitor que contesta e isso não é interessante... O governo faz direitinho e o povo que é besta aceita cesta básica e vale gás ao invés de lutar pelos direitos.
    Tudo vem da escola, professores mais bem preparados forçam alunos a estudar.

    Ai o governo que não é besta diz que professor não pode se exaltar na sala e dá todo o direito para o aluno que só quer "bundar" mesmo e hoje em dia dá isso ai que vc falou...

    Salário baixo e profissionais excelentes que já estao ficando desmotivados... Parabens para o governo, no proposito deles estão tendo vitória.

    Ahh esse assunto é uma delicia pra criticos né?! Eu poderia coversar com vc aqui uns 4 dias! kkkkkkk

    Beijos e parabens pelo post!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Camila! Obrigado pelos elogios! :D

      Olha, se o propósito de nossos queridos governantes é "investir" na alienação da população e manipulação das massas, eles realmente estão de parabéns pelo serviço! - quem disse que o governo não é eficiente? rsrsrs

      Beijo!

      Excluir
  19. Jaiminho,
    obrigada pelo comentário lá no post do Pinguim. Coloquei por lá uma resposta, pois eu mesma fiquei "embananada" com uma coisa, hahaha! Achei a maior graça! Se quiser ler depois.
    Beijãooo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cissinha,

      depois passarei por lá para conferir rsrs

      Eu acho pinguins engraçados! kkkkk

      Beijooooo

      Excluir
  20. Olá Jaime,

    Esse tema mexe muito com as pessoas.
    Educação é um problema muito sério no Brasil, hoje em dia é de fato um desafio ser professor, minha familia tem alguns professores, e sei como é dificil essa profissão. A administração pública deveria usar melhor os recursos disponíveis, privilegiando as regiões mais pobres e dando apoio as estados e municípios, por lá ainda são mais sofredores.
    Semana passada minha cidade ficou paralizada, teve passeata, protesto, os professores sairam nas ruas com faixas, fecharam as avenida principais, foi um Deus nos acuda.
    Acredito que esta faltando mais passeata , mais protesto, o povo tem que gritar pelos direitos, em todas áreas.
    Tudo no Brasil está pessimo, a saúde anda pior ainda.
    O povo precisa aprender a votar, eles ainda não descobriram o valor dos seus votos, colocam qualquer pessoas la no Governo e depois pagam pelos seu erros, vendo seus filhos sem educação, sem saúde, sem empregos... Na verdade também nem sei se existem homens de punho forte, de palavras, homem de honra que possa ser colocado no poder, e que tenha capacidade pra concertar ou amenizar tantos erros cometidos.

    Ja perdi a esperança.

    Ótima postagem Jaime.

    Que o outono que lhe traga muitas alegrias.
    Ótima semana pra ti!
    Beijos grandes!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Smareis.

      Olha, não é à toa que os cursos de licenciatura nas universidades estão com baixa procura e concorrência. O magistério não é uma carreira atrativa, infelizmente. E os nossos governantes, é verdade, não tomam medidas eficazes, mas a sociedade também pouco participa - não é só votar, é preciso seguir e fiscalizar o que os candidatos eleitos fazem -, o que é uma pena.

      Obrigado! Beijo grande pra você também! :)

      Excluir
  21. A última tirinha disse tudo: o governo não tem interesse que o povo seja instruído e questionador!
    É muito triste, e as pessoas nem percebem, aliendas!

    Um beijo, e bom fds pra você!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E é nesta alienação que eles investem, Myself!

      Bjs!

      Excluir
  22. Uma das maiores injustiças desse país é um professor ganhar uma mixaria de 1500 reais por mês, enquanto um político corrupto maldito faturar 50 mil por mês sem fazer merda nenhuma. Um profissional que ajuda a alicerçar as bases do caráter e conhecimento de uma criança deveria ser tratado como um sábio e ser remunerado à altura, e isso não acontece. Os professores deveriam, além de ter uma boa estrutura para ensinar, terem um salário de no mínimo uns 3000 mil reais mensal, mas essa valorização ainda está longe de ser reconhecida.

    Abração pra ti Jaime, ótimo texto.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Paulo, um único senador em Brasília custa pouco mais de R$ 33 milhões por ano - entre salários, verbas e demais despesas. Dizer que há "restrições orçamentárias" para setores como Educação, saúde e moradia é um cinismo gigantesco!

      Um abraço!

      Excluir
  23. Olá, querido Jaime!

    É, o verdadeiro professor é realmente assim - com todas as características de um ser humano notável. Só que, por experiência própria [e principalmente nas universidade] alguns não merecem esse título. Agora esse discurso político me dá nos nervos: mais educação, mais educação, mais educação... E no final NADA! Essa vidinha mais ou menos... Tá na hora de chutar o balde!

    T.S. Frank
    www.cafequenteesherlock.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, T.S.Frank.

      Infelizmente temos maus profissionais como em quaisquer outros setores. Uma pena, mas... fiquemos como aqueles notáveis e que nos servirão como exemplo. E é lamentável que poucos queiram chutar o balde.

      bjs!

      Excluir
  24. Olá Jaime, você tocou em um ponto que eu acho crucial, a educação vale aos interesses do estado apenas como índice e não como ferramenta de transformação social, o governo quer se gabar da queda do analfabetismo e da qualidade do ensino, ainda que sejam dados falsos ou mascarados... A situação educacional do Brasil não vai melhorar enquanto não tiver investimento no professor e não falo apenas do aumento salarial (que se faz mas que necessário), mas também do investimento em formação e constante aprimoramento...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É verdade, J.Bruno. E vou além: pouco adianta ser a 6.a economia do planeta ( segundo os órgãos de economia e finanças) se a qualidade do ensino é ruim. Ainda sofremos muito com a carência nas pesquisas por falta de investimentos em educação - não apenas a educação básica, mas nos demais níveis.

      Excluir
  25. Oi, Professor, eu sempre me vi dentro de uma sala de aula e quando passei num concurso para o magistério do RJ eu fiquei tão feliz que nem imaginas; amo a minha profissão! Sei das dificuldades que enfrentamos todos os dias; aqui faltam professores, ainda há turmas sem professor, absurdo"... temos que nos revezar...e coisa e tal.
    Não troco de profissão, não; porque amo "ensinar e principalmente trabalhar com crianças, é tudo que eu gosto de fazer; beijão, adorei o post.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, colega! :)

      Que bom, belo relato - por você ser feliz com o magistério, claro, mas a situação de descaso por parte de governos e até mesmo por parte da sociedade é alarmante. Falta de professores, revezamento de turmas, aulas suspensas por causa disso...uma pena.

      Grande beijo!

      Excluir
  26. Amo a minha profissão e não trocaria por outra; sempre me vi dentro de uma sala de aula, enfim... Fico indignada com o descaso do Governo com as escolas públicas, e consequentemente com a Educação; acredita que aqui no RJ ainda há turmas sem professor, temos q nos revezar...coisa e tal, falta pessoal, falta tudo*... um calorão nas salas e os bebedouros não funcionam; e porquê esse descaso(Vergonha)?
    Todos sabemos, e nada é feito, parece q não temos "voz na Sociedade...enfim o assunto é cheio de perguntas...sem respostas.
    Se paralisamos, a coisa só piora, não há união, não temos apoio..*)
    Beijos, da amiga professora
    Mery*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mery, se paralisamos as aulas, não há apoio, não há união e ainda a imprensa joga "pro governo" tentando colocar a culpa de uma escola ruim unicamente na greve ou paralisação de professores. Infelizmente muitos aceitam tais argumentos, mas faz parte de nossa atuação também esclarecer a população sobre tamanho descaso governamental.

      Beijo =*

      Excluir
  27. Ei Jaimão meu amigo tudo bem?
    Rapaz eu também comprei nas lojas americanas as duas primeiras temporadas de Californication e baixei as outras 3 e também achei a terceira temporada mais ou menos, só que essa quinta achei muito boa, melhor que a terceira e quarta, você vai ver.

    Quanto a sua postagem, é isso aí meu amigo, vivemos num país onde a educação e os professores não tem valor algum e isso é muuuuito ruim. Nossa educação é uma lastima. Inclusive meu próximo post será sobre isso.

    Um abraço velhão e parabens pela postagem!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala, André.

      Ainda hoje é possível encontrar a primeira temporada nas Americanas por R$ 19,90, uma pechincha. Vamos ver a quinta temporada se é tão boa quanto a 4.a temporada - da 1.a e 2.a acho difícil rs

      Pois é, pouco se valoriza a educação por aqui.

      Um abraço!

      Excluir
  28. Cadê você, sinto falta dos seus posts!!

    Beios!

    ResponderExcluir
  29. Muito bom o texto, Jaime. Muito pertinente nessa época. Aqui em Pelotas vivemos uma situação bem peculiar. O prefeito não paga o piso salarial aos professores, alegando que o piso é a soma do salário com as vantagens. Não sei como ele tem a cara de pau de dizer que isso é piso. Agora ele ameaça cortar o ponto, alegando que a greve é ilegal. Mas e não pagara o salário, não torna a greve legítima?

    ResponderExcluir

Agradeço sua visita e o seu comentário! É sempre bom receber o retorno dos leitores.

Todas as opiniões são livres, porém não serão aceitos comentários anônimos e tampouco comentários ofensivos, discriminatórios e que não prezam pelos princípios da boa convivência - o autor do blog reserva a si o direito de excluir comentários com tais temas.

Volte sempre! =)

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails