domingo, agosto 17, 2008

HIPOCRISIAS

Prestem atenção nesta notícia:
==================================================
Pressionados por dificuldades financeiras, os Estados preparam uma rebelião contra a
lei que cria o piso salarial nacional para professores públicos da educação básica, sancionada há pouco mais de duas semanas, no dia 17 de julho, pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Depois de uma análise e do cálculo dos custos, os governadores alegam que não têm de onde tirar dinheiro para pagar as novas obrigações. Somente a soma do acréscimo na folha de pagamento de três dos Estados mais populosos do País - São Paulo, Minas Gerais e Rio Grande do Sul - chega a R$ 6,5 bilhões por ano.

A mobilização que já começou por contatos entre os governadores do Sudeste, prossegue na reunião do Consed e terá uma nova etapa no encontro dos governadores do três Estados do Sul e do Mato Grosso do Sul, na semana que vem, em Florianópolis.

A lei em questão estabelece que os professores da rede pública não podem ganhar menos de R$ 950 por mês. A maioria dos Estados já paga esse piso, mas inclui nele as parcelas adicionais e gratificações. Pela nova regra, os R$ 950 passam a ser o vencimento básico, ao qual os benefícios se somarão. O item mais polêmico, no entanto, a exigência de reserva de um terço da carga horária para atividades fora da sala de aula, que vai exigir a contratação de milhares de professores nas redes estaduais e municipais de todo o País.

=====================================
Ótimo. Lembrem-se disso nas eleições. Não apenas nestas eleições de 2008, mas em todas as outras.

O discurso de todos os candidatos (seja do mais conhecido parlamentar ao Zé do ônibus que quer ser vereador) é o “vamos priorizar a educação e a saúde”.

E quando a educação recebe alguma atenção (com em relação à lei que estipula o piso mínimo) a hipocrisia dos “nobres governantes” entra em cena. As máscaras caem e despedaçam.

As justificativas dos governadores são absurdas. Ora, se queremos uma educação de qualidade então teremos que continuar com escolas sucateadas, sem recursos e com professores trabalhando em jornadas absurdas de 60 horas semanais à custa de um salário miserável?

É evidente que os governadores terão que contratar novos professores. Mesmo sem o piso que alegam “não ter condições de pagar” (tadinhos!) existe um défict muito grande de profissionais na rede pública de ensino. Segundo o próprio conselho nacional de educação, existe uma defasagem de 235 mil professores no ensino médio, sobretudo das matérias de física, química, biologia e matemática.

Muitas profissionais formados em química e biologia, por exemplo, preferem trabalhar em outras instituições ou se dedicam a pesquisas e mesmo ao ensino superior. Quem sente-se atraído em ganhar menos de R$ 950 e cumprir longa jornadas em ambientes sem o mínimo de recursos, infra-estrutura, salas super lotadas podendo com tudo isso desenvolver uma doença psicossomática e, de quebra, submeter-se a secretários de educação, assessores e “especialistas” incompetentes e tentando fazer crer que a escola brasileira encontra-se na wonderland?

Só um lembrete: gratiticação não é salário. Ao aposentar, o professor recebe apenas o “salário base”, perdendo os benefícios. Por isso há professores por aí cansados, doentes e sem condições de trabalho que não largam o ofício. Questão de sobrevivência.

Este blog é apolítico, mas deixa um alerta: lembre-se desses canalhas na hora de dar seu voto nas urnas. E acreditem: a gritaria só não é maior porque estamos em ano eleitoreiro. Mas não deixem se enganar: a pele de cordeiro é tão curta que não esconde mais o lobo.

Pois nessas horas aparecem os ufanistas berrando “Brasil, Brasil”, mas o fato é que os atletas são lembrados apenas nessas horas, nas parcas e suadíssimas vitórias.

Na hora de reunir condições de treinamento, política de esportes, patrocínio e toda a sorte de recursos necessários para que o atleta tenha bom desempenho, este mesmo Brasil-il-il-il “vira as costas”. Quem consegue se virar no exterior, como o César Cielo, tem que “passar o prato” aqui e ali, mendigando um patrocínio, uma oportunidade.

E alguém aí tem alguma dúvida de que os tais jogos Pan-Americanos se constituem na 5ª divisão do esporte mundial? Só mesmo os ufanistas e os ingênuos acreditam que tais jogos tem “alto nível”.

Ah, e a mãe do Thiago Pereira, com o insuportável “Vai Thiagooooooo!!!”.

4 comentários:

  1. A hipócrisia desses políticos é o pior mesmo, me lembro claramente de ACM falecido em seus diversos discursos falando de como o ensino público brasileiro - e principalmente baiano é de boa qualidade. É, o négocio é tão bom que Netinho não se formou em escola pública e quando ficava doente não ia pro SUS também. Porque afinal, se nós tínhamos o MELHOR governador, sua família merecia a MELHOR educação e o MELHOR sistema de saúde.

    Educação é a base para tudo, é clichê, todo mundo sabe, mas, esses governantes amebados simplesmente ignoram o fato. Com educação, saúde chega, as pessoas aprendem meios de higienização, investimento na educação é menos investimento natural na saúde, em campanha de controle de natalidade e abuso de drogas. Educação é a base para melhoria do nosso país. Os professores que deveriam ser reconhecidos porque são responsáveis por formar seres pensantes e geradores de opinião. Tudo bem que alguns professores criam máquinas decorebas, mas, essa parte a gente pula. Os professores são os que cuidam daqueles que vão mudar o mundo - ou melhor ainda, os professores cuidam de todos que deveriam melhorar o mundo.
    Me lembro de uma palestra que vi sobre Eng. Civil e não acredito no que a palestrante falou. Que ela, como professora da Ufba, que havia se aposentado, mas, por falta de professores...chamaram ela pra lecionar. Resultado: ganhava pouco mais que um salário mínimo que estava ATRASADO! Como é que pode um négocio desses?
    Eu, que sou muito apaixonada por matemática, desisto da idéia quando penso em como vou ser tratada pela sociedade e pelos alunos que vou ter que enfrentar. Porque tem algumas pessoas, alguns pais, que ... só, só, não sei. Eu sou aluna e vejo, convivo com alunos, e para ser professor hoje, com adolescentes fúteis é difícil demais.


    Quanto ao esporte. Bem, acho que é o pior meio para se dizer que ama o país. Em Copa, Olímpiadas, Sub 20, em tudo quanto é evento esportivo, nós temos os melhores patriotas. Acredito que se todo mundo gostasse de política e se importasse com o que os governantes fazem com nosso dinheiro do mesmo jeito que se importam com medalhas e títulos nós seríamos uma potência intelectual, no mínimo!
    Torço pra Argentina na cara-de-pau no futebol e torço pra quem tá jogando com o Brasil. Eu me irrito, os caras se formam aqui no futebol, e vão ganhar dinheiro como o quê no exterior. É direito deles, eu respeito. Mas, pelo menos não jogue na seleção. Os caras tão se lixando pro país, conseguem visto para morar no exterior como quem troca de roupa, ganham dinheiro como o inferno e depois ainda ficam fazendo pedido de doação no 'Criança Esperança'. Os pobres que se virem para ajudar financeiramente os mais necessitados, os da linha da miséria. Além do quê, esses jogadores são os piores, na última copa, Cafú capitão: "Obrigada Regina", em rede nacional segurando a taça. Porque é Regina a esposa dele que assiste todos os jogos, compra camisa e objetos oficiais, comprou todos os ingressos para hoje ele tá podre de dinheiro. Ai, me poupe!

    ResponderExcluir
  2. falando sobre o que você comentou no blog:
    Tudo que o Bahia precisa para melhoria do Clube é que o dinheiro vá pro lugar certo, por isso que o Vitória tá onde tá hoje. Não que o dinheiro esteja sendo investido da melhor forma, mas, tá dando resultado pro time. Eu quero dizer, os torcedores fazem campanha para que os torcedores do Bahia se associem ao clube por R$200,00 e depois R$20,00 ao mês. Eu me recuso a pagar essa fortuna sendo que o dinheiro no final das contas vai ser desviado e não vai chegar aqueles que merecem, vai chegar naqueles que já estão com piscina de dinheiro em casa. A gente com título de sócio pode votar, tem assembléia, mas, nesse mundo de ilegalidade e impunidade título de eleitor não é nada, quem dirá de título de time de futebol. Além do mais, o que na falta é dinheiro de patrocínio, de exibição de imagens e dos jogos, que em Feira o Bahia consegue 3000 pessoas e ainda, na época de série C, o Bahia colocando 30000 na Fonte Nova, algumas vezes, público pagante maior que times de série A. Isso é palhaçada com a torcida e com a população, porque até onde deveria haver lazer e cultura - no futebol, tem corrupção, tem roubo, tem ladrão.
    O pior de tudo, são os torcedores, que quando alguém fala uma coisa dessas que eu falei, é chamado de 'vicetória' ou de 'veado' julgando uma pessoa pelo time que torce ou ainda como se gostar de alguém do mesmo sexo fosse considerado ofença...

    E quanto ao meu texto da sensibilidade...você gostou, isso é bom. Quer dizer, ali só tá um pouquinho de mim, de como tem sido esses últimos meses.

    Bem, adoro os textos aqui, sempre me empolgo, desculpe. Hahhashha

    ;**

    ResponderExcluir
  3. Amei tua visita... esses dias não tav conseguindo entrar aqui! :( - Bela charge, parabéns... amei a sacada!:) Bjos, volte mais! Vc tem msn? Me add lá: anejardim@hotmail.com

    ResponderExcluir
  4. É como os cretinos falando mal da ginástica olímpica brasileira. MEU, a ginástica só começou a dar resultado de 2003 para cá, enquanto os EUA, China e outros países da antiga União Soviética investem no esporte há DÉCADAS. E tinha gente esperando "chuva de medalhas". RÁ!

    ResponderExcluir

Agradeço sua visita e o seu comentário! É sempre bom receber o retorno dos leitores.

Todas as opiniões são livres, porém não serão aceitos comentários anônimos e tampouco comentários ofensivos, discriminatórios e que não prezam pelos princípios da boa convivência - o autor do blog reserva a si o direito de excluir comentários com tais temas.

Volte sempre! =)

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails