sexta-feira, novembro 06, 2009

Concurso: adivinhe qual é o único que não vale a pena?

(charge de autoria do autor do blog que é autor dessas mal digitadas linhas. Péssimos trabalhos de autoria!)

Navegando pela internet entre twitter, blogs, portais de notícias e sites educativos como o x-tube, resolvi dar uma olhadinha na minha caixa postal para ver se aquela gatinha do msn se lembrou de mim e enviou alguma mensagem cheia de amor, afeto e spam erótico. Numa dessas eu poderia até ganhar uma indenização, quem sabe, não é? Ah, sim, eu falava sobre minha caixa postal. Continuemos.

Recebi uma newsletter sobre concursos públicos, pois estou atento e propenso a mudar de profissão já que na mega-sena não tem jeito, eu não acerto sequer 2 míseros números. O jeito, então, é estudar um bocado e concorrer com milhares de candidatos que também buscam a estabilidade de um emprego público ( todo mundo reclama do serviço público, mas todos querem essa boquinha!).

E tem muito concurso bom! Tem, por exemplo, o concurso do Ministério Público do Trabalho, para todos os estados do país, que oferece R$ 21 mil de salário! Com uma grana dessas, eu trabalharia até no Pará, a terra sem lei! Pena que é só para aqueles que possuem curso de Direito, e na minha época de faculdade eu fui de esquerda, desses que usavam até camiseta do Che Guevara. É, eu sei, mas eu tinha 18 anos, pô!

Mas há outros concursos. Tem o concurso da ABDI, Associação Brasileira de Desenvolvimento Industrial, da qual eu nunca ouvi falar e, provavelmente, nem você. Os salários variam entre R$ 4 mil e R$ 9 mil mensais, para trabalhar no Distrito Federal. Seria uma boa, se não fosse somente para “formação de cadastro”. Ou seja, uma espera quase eterna a depender da colocação.

Até aqui na Bahia tem um concurso: para a Empresa Baiana de Água e Saneamento, conhecida como EMBASA (ou ENVASA, porque só envasando a água no balde para que ela chegue até em casa). Salários que variam entre R$ 800 para quem possui nível médio e está disposto a trabalhar na “manutenção” ( no esgoto, inclusive) e R$ 4 mil para quem possui nível superior. Deu sede!

A listinha de concursos é em ordem decrescente. E lá no final vejo o concurso da Secretaria de Educação e Cultura do Piauí, a SEDUC. Por mera curiosidade, resolvo dar uma olhada. É um concurso para preencher cargos de professores e supervisores pedagógicos, e exigindo nível superior. O salário é estupendo: R$ 670,00.

É isso aí: um sujeito com nível médio que vai limpar as latrinas e lidar com o esgoto aqui na Bahia vai ganhar bem mais do que um professor com nível superior no Piauí. Não se trata em desvalorizar o profissional que trabalha no depto. de saneamento - que tem uma função importante, é claro – mas isso demonstra bem o quanto vale um professor no Brasil e porque não adianta o MEC fazer propaganda bonitinha e nem os discursos demagógicos sobre educação que ouvimos por aí de autoridades e “especialistas” que assinam colunas repletas de tolices: se a coisa continuar assim, voltaremos aos tempos do Brasil colonial, onde a educação ficava a cargo dos jesuítas.

Eu gostaria muito que esse concurso não tivesse nenhum inscrito, nenhum profissional ou recém-formado disposto a pagar a inscrição de R$ 60 para preencher essas vagas. É preciso ter alguma dignidade, mesmo diante do desemprego. Porque uma coisa é trabalhar no esgoto limpando a merda da cidade inteira, outra coisa é estar literalmente na merda, abaixo do esgoto, no fundo do poço. Joguem uma corda e resgatem os professores...enquanto eles ainda existirem. Senão ninguém mais passa em concurso nenhum!
========================

12 comentários:

  1. É meu caro... professor é coisa DUMAL mesmo. Eu tenho pena dessa situação toda. Mas quando é que a educação foi levada a sério no país, Jaime? Quando? Eu já disse , mas não canso de repetir. Acho que profissionais de educação e saúde deveriam ser os mais bem pagos da sociedade. Mas esse descaso é cultural, é o desprezo e o medo dos inteligentes. Se falam em "revolução dos idiotas" por que não tentam tornar o país em um lugar menos idiotizado? Mas, sério, num país em que um cantor diz que Serra é de esquerda e que canta Eta Eta Eta como rima pra Tieta... é... não sei aonde vamos parar

    Abração!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  2. Não me causa espanto diante da situação que o Brasil impõe aos seus professores. É só mais uma triste constatação. E o governo ainda fica gastando dinheiro com propagandas do tipo "seja professor"!

    ResponderExcluir
  3. Só consigo pensar no "Raizes do Brasil" do Sergio Buarque...
    Acabei de voltar do Maranhão, onde estive....dando AULAS; imagine como me sinto nesse exato minuto, lendo você?...
    BJS!

    ResponderExcluir
  4. Isso me fez lembrar aquela reportagem que te mandei, faz alguns dias, sobre o nível de escolaridade do pessoal que queria trabalhar na Companhia de Limpeza Urbana aqui do Rio. Gente com doutorado e mestrado, se canditando à uma vaga de gari, o que não é mole não. Trabalho digno, honesto, mas também puxado, quase extenuante.

    Agora, voltando ao texto... O que fazem com a Educação aqui no Brasil, não é brincadeira. Aí a gente lembra do mais novo comercial dessa campanha do MEC pra atrair a garotada pra carreira, que entrevista pessoas de diferentes países desenvolvidos, e todos são unânimes em afirmar que esse desenvolvimento deve-se à figura do professor. Só esqueceram de avisar que lá, com certeza, os mestres não recebem esmola, e sim, salários de verdade!

    Bom, Jaimão! É isso aí! Quem mandou bancar uma de intelectual?! Se tivesse seguido seu coração, hoje seria um astro do rock consagrado...

    Uahahhahaaaaaaa!!!!

    Abração!

    ResponderExcluir
  5. Isso me fez lembrar aquela reportagem que te mandei, faz alguns dias, sobre o nível de escolaridade do pessoal que queria trabalhar na Companhia de Limpeza Urbana aqui do Rio. Gente com doutorado e mestrado, se canditando à uma vaga de gari, o que não é mole não. Trabalho digno, honesto, mas também puxado, quase extenuante.

    Agora, voltando ao texto... O que fazem com a Educação aqui no Brasil, não é brincadeira. Aí a gente lembra do mais novo comercial dessa campanha do MEC pra atrair a garotada pra carreira, que entrevista pessoas de diferentes países desenvolvidos, e todos são unânimes em afirmar que esse desenvolvimento deve-se à figura do professor. Só esqueceram de avisar que lá, com certeza, os mestres não recebem esmola, e sim, salários de verdade!

    Bom, Jaimão! É isso aí! Quem mandou bancar uma de intelectual?! Se tivesse seguido seu coração, hoje seria um astro do rock consagrado...

    Uahahhahaaaaaaa!!!!

    Abração!

    ResponderExcluir
  6. Adorei o texto. Opiniões muito lúcidas as suas! E o seu humor dá um toque a mais. Voltarei a ler o blog mais vezes.

    Obrigada

    Judith, uma professora aposentada.

    ResponderExcluir
  7. Oi Jaime!

    Bem oportuno seu texto. O tema é interessante e atual.

    Mostra como a carreira do magistério há muito tempo deixou de ter valor para nossos governantes, pois até um gari, ta gannhando mais que um mestre. Claro, não desmerecendo estes trabalhadores que ralam pra caramba.

    Mas, se analisarmos com calma, um professor que passou alguns anos na faculdade, gastou dinheiro e tempo investindo em livros e material pedagógico, ao entrar no mercado de trabalho começa sua vida profissional com um sálario de R$ 670,00 é estranho e uma vergonha.

    Aqui no Rio a situação é a mesma. E um fato que chama a atenção e é uma grande verdade, conforme falou o Marcelo ai em cima muitas pessoas com mais do que bacharelado e licenciatura, com mestrado e doutorado concorreram a uma vaga de gari no concurso aqui no estado. Realidade dura, porém, verdadeira de um país que não tem oferecido opções a sua população. Muitas vezes nível superior não quer dizer muita coisa. Somente, que vc se dedicou e não conseguiu alcançar sua meta ou seu sonho.

    Enfim, a cada dia vamos nos adaptando a esta realidade e buscando o melhor para nós.
    Vc está certo em buscar algo que garanta seu futuro.

    Eu por aqui, ja estou tentando garantir meu sustento e de meu filho já tem algum tempo. E concurso público é um caminho.
    So que hj em dia tem muita gente concorrendo o que torna nossa entrada nesse meio difícil.

    Não devemos desistir e nem desanimar.

    Um abraço e bons concursos.

    ResponderExcluir
  8. Caro Jaime, achei interessante esse trecho da entrevista do professor da UFS,Luiz Eduardo Oliveira, dada ao “Jornal da Cidade”, caderno “Bem Estar” de 01.11.2009 - Aracaju-SE., que mostra como os problemas dos professores são antigos.

    “PERGUNTA - As políticas de governo falam sempre na valorização do professor. O senhor credibiliza estas falas?”

    “RESPOSTA - Desde o século XVI, havia escritores, a exemplo de João de Barros, que reclamavam do descaso social e depois governamental com a instrução pública. Nesse ano de 2009, completamos 250 anos de profissão docente, isto porque em 1759, com um alvará baixado pelo rei D. José I, sob as vistas do Conde de Oeiras, depois Marquês de Pombal, a profissão docente começou um lento processo de desligamento progressivo da igreja para se tornar vinculada ao Estado. Desde então, a luta pela valorização da profissão docente tem enfrentado vários obstáculos, mas o pior deles é o fato de que falar em educação virou discurso de palanque, desde o século XIX, no Brasil, e muito pouco se faz na prática”.

    ResponderExcluir
  9. Ei Groo, quanto tempo!
    Resolvi dar uma passadinha para ver o que você anda escrevendo e fiquei chocada. É realmente desanimador para qualquer um. Só por amor mesmo.
    Um grande abraço,

    ResponderExcluir
  10. Querido amigo avassalador... Por essas e outras já está havendo dificuldade das instituições de ensino encontrarem professores para diversas disciplinas... Não há mais procura de cursos de formação especifica apenas de licenciatura... todos querem fazer concursos publicos. Francamente, nem dá pra criticar pois as pessoas tem suas familias e desejam dar e ter conforto material e respeito social....Será que professor é uma especie em extinção ?

    ResponderExcluir
  11. Afastei para aposentar em abril deste ano. Tenho 6 quinquênios, biênios, e 32 anos de serviço. Professora de português, 2º grau, duas faculdades. Aposentei e estou recebendo 1.100,00 depois de 32 anos de serviço...Sou mineira... é isso aí. Se pago aluguel, não como, se como, não pago aluguel...

    ResponderExcluir
  12. Oi, Jaime!
    Cê me permite responder seu comentário por aqui?

    Pois é... Essas mudanças são necessárias mesmo. Você fazia que curso?
    Vou tentar arquitetura esse ano. Espero que eu passe. Não fui muito bem na prova não, mas já era o que eu esperava.

    O resultado, só ano que vem porque ainda tenho de fazer a 2ª etapa.

    Enfim, sorte pra mim, né? Vou precisar! Hahaha.
    Obrigada pela força.
    Beijo.

    ResponderExcluir

Agradeço sua visita e o seu comentário! É sempre bom receber o retorno dos leitores.

Todas as opiniões são livres, porém não serão aceitos comentários anônimos e tampouco comentários ofensivos, discriminatórios e que não prezam pelos princípios da boa convivência - o autor do blog reserva a si o direito de excluir comentários com tais temas.

Volte sempre! =)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...