quarta-feira, julho 22, 2009

O tempo passa, o tempo voa, e o FEBEAPÁ continua uma boa!

O irreverente jornalista e escritor Sérgio Porto, mais conhecido como Stanislaw Ponte Preta, é o genial criador do FEBEAPÁ ( Festival de Besteiras que Assola o País), uma coletânea de bobagens ditas e cometidas durante o período em que a “redentora” veio salvar o país da ameaça dos comunistas comedores de criancinhas na década de 60.

De lá pra cá muita coisa mudou no Brasil. Somos pentacampeões mundiais de futebol, a ditadura militar acabou, elegemos agora nossos governantes, o país enfim é uma democracia e...er...bom, aparentemente alguma coisa mudou, não?

Mas algumas coisas continuam as mesmas: o Chaves não sai da grade de programação, o Corinthians ainda não tem estádio e o FEBEAPÁ continua por aí, firme e forte. Se o grande criador de tipos como Tia Zulmira e do Primo Altamirando ainda estivesse vivo, certamente não faltaria material para inúmeros volumes do festival.

Vejam, por exemplo, o processo movido pela talentosa atriz Juliana Paes contra o humorista José Simão, da Folha de SP. O humorista está proibido de falar ou escrever o nome da atriz (que é muito boa, diga-se de passagem) por ter feito algumas anedotas com o nome e a personagem da moça na novela, inclusive utilizando um trocadilho genial com a palavra “casta” ( abordando o sistema indiano de classe social e a castidade).

Obviamente a atriz sentiu-se agredida quanto à sua honra e à sua moral. Eu entendo. Ela quer ser reconhecida finalmente como a boa atriz que é. O fato de ser conhecida nacionalmente por conta de seus volumosos quadris em revistas masculinas e em generosos shortinhos enquanto vende cerveja é apenas um detalhe. E eu não sou machista, por isso solidarizo-me à Juliana Paes e digo: ela é uma atriz muito boa! E como!

Quer ver outra para o FEBEAPÁ? Vem do Paraná! E dessa você vai gostá: que tal todas as palavras em inglês ou em qualquer outro idioma em uma propaganda serem traduzidas para o português? Tudo para proteger nossa língua e soberania! Tem coisas que só o governador Roberto Requião faz por você!

Não é uma boa? Vejamos... o “Forno de Microondas 28l com 800w de potência e sistema de descongelamento chaos” ficaria assim: “Forno de Microondas 28l com 800w de potência e sistema de descongelamento caótico”. Ideal para donas de casa desorganizadas.

Na verdade o projeto do governador paranaense não é inédito. Recentemente o deputado Aldo Rebelo também já tentou “proteger” a língua portuguesa também com um projetinho. E é claro que vai dar certo, afinal a linguagem é facilmente controlada graças a leis e projetos que visam resgatar a soberania do povo diante dos invasores estrangeiros! Viva la Revolucion!

Acho o projeto útil e certamente evoluirá para a tradução até do economês: “o aumento do superávit primário em 4,5% deve-se ao reajuste da taxa Selic que gerará um acréscimo à oferta de bens de capitais, a ser discutido na reunião do Copom”.

Como escreveu o próprio Stanislaw, "um dia eu vou contar isto aos meus netinhos e os garotos vão comentar: esse vovô inventa cada besteira!"
========================================
Follow me on twitter: http://twitter.com/jaimeguimaraess

19 comentários:

  1. Esse vovô inventa cada besteira...

    Hahaha! Morri de ri....
    Essa da lingua é a pior né? Lembro qnd aquele outro tentou alavancar esse projeto, tanta coisa p se preocupar e eles querem colocar regras em algo tão dinamico e vivo como a lingua! Faça-me o favor...

    Estava com saudades do seu cantinho, ultimamente to na correria, quase nem entro, rsss


    Bjks

    ResponderExcluir
  2. É, Jaimão... Grande FEBEAPÁ!

    Essa da Ju Paes (desculpa a intimidade, é que a gente é assim, ó! Uahahahhahaaaa!!!) foi demais. Por que ela não mete o processo no Casseta, por exemplo? Ah, claro, os Cassetas são "grobais", como ela. Aliás, esse fim de semana, ri muito por conta da dita cuja. Li uma reportagem onde ela, dona Juliana, afirmava ser adepta da da lingerie mais... mais... mais grandinha, digamos. Traduzindo: calcinha de vovó. Calçolão. Ceroula. Mas, vem cá: o que aconteceu com a moça que era adpeta do livre, leve e solto (http://exclusivo.terra.com.br/interna/0,,OI1124243-EI1118,00.html)? Ah, claro... ela estava com uma String! Tu sabe o que é uma String, Jaimão? Rapaz, não sabe o que tá perdendo... Se bem, que prefiro sem calcinha. Quer dizer, prefiro as moças sem calcinha... Ih, me compliquei! Uahahahhaaaaaa!!!!!!

    É, meu caro. O Sérgio Porto faz falta. Ainda bem que hoje, temos o Jaime Guimarães...

    p.s.: Marcelo A. jura que não usa calcinha. Nem cueca.

    ResponderExcluir
  3. Eu também me lembrei imediatamente do Febeapá quando vi o processo da Juliana Paes contra o Macaco Simão. Uma piada pronta!
    bjos
    Cris

    ResponderExcluir
  4. Esse Jaime tem cada besteira...

    Eu troco todas, (todas mesmo, sem hipérbole) todas as crônicas do país pelas suas.
    Você é ímpar!
    Você me fez gostar de crônicas.

    Um beijo.

    ResponderExcluir
  5. Groo, tô sem tempo pra fazer meus posts, mas acabei lendo o seu e não tive como não parar... Aliás são duas coisas que tenho que fazer depois de comentar aqui, terminar uma matéria de chata sobre economia e terminar final fantasy 9. Pulei esse capitulo. fui pro 10, 11 e 12 e não tinha jogado o 9. rs Ah, mas devido a esse projeto então eu só posso jogar é Fantasia final, né? Se bem que Fantasia me lembra daquele programa tosquissimo que tinha no SBT.

    Bem, proteger a língua assim não acho muito válido. O idioma é igual ao vírus da gripe, mutante. A nossa língua portuguesa mesmo é conhecida por sua riqueza devido a influências do Tupi e idiomas oriundos da África, então qual é o problema nisso? Não vamos sair de um lugar pro outro falando um outro idioma, vamos transformar o português aos poucos, mas isso é natural. E o Brasil é um país com um peso cultural e história muito fortes. Não há o que temer. É só subir um morro, ir à favela, à praia, à balada pra ver que a nossa cultura não vai se deteriorar assim facilmente. Em qualquer lugar do Brasil podemos ver isso. Eu sei que em algumas áreas há um excesso de estrangeirismo. Em comunicação existem milhões. rsrs Tons of it! Ih! rsrs

    E a Juliane Paes tem que fazer jus ao nome, não pode querer guerra. Caso contrário ela participará daquele filme "Star Whores: Revenge is shit" rsrsrs Ruim essa, eu sei. rsrs

    Bem, abração!!!

    E vou tentar postar uma ou duas vezes por semana agora.

    Valeu!

    ResponderExcluir
  6. Jaime, qualquer coisa que eu comentar será uma besteira que os meus netos vão rir.....rs.

    :) então prefiro comentar que não irei comentar, =p

    ResponderExcluir
  7. Dois dos netos estão bem pertinho de mim; são meus enteados... Eles ficam é bem orgulhosos do avô ter uma percepção que se manteve tão bem humorada e transgressora, diante de uma realidade que se mantém tão patética...
    Volto a lembrar: "O humor não é resignado, mas rebelde"; Sigmund Freud, 1927, pág 191.

    ResponderExcluir
  8. Não conhecia a FEBEAPÁ, mas adorei. A nossa política é um prato cheio para isso.

    ResponderExcluir
  9. hahah adorei saber sobre a FEBEAPÁ, kkk, mas seu texto tá otimooo!

    Valeu pelo voto no blog, semana que vem ja estaremos de cara nova!! Mas os textos , ahh estes so tendem a melhorar!!^^

    bjuu

    ResponderExcluir
  10. adorei, cara ja tinah esquecido como tu é inteligente pra caramba e super bem informado. eu acho legal a gente defender nossa cultura, mas existem certas palavras que não precisam ser traduzidas, como estas q especificam eletrodomesticos e tals.


    grande beijo

    ResponderExcluir
  11. Do Simão ao Requião, da Juliana ao Stanislaw, gostei de passar por aqui, o desenvolvimento é conciso, os temas atuais se misturam e o foco se mantém! Tudo isso com uma boa base crítica e até um apelo para o sarcasmo.

    ResponderExcluir
  12. Receber um comentário tão positivo de um blogueiro realmente com conteúdo me deixa feliz e logo vim agradecer.
    Também não gosto muito daquele jogo "comente acima" tenho fugido como posso, mas como ferramenta de divulgação e interação é imprescindível pra um blog recente...rs
    Já tinha visitado seu blog há um tempo e adoro seus textos nesse misto de informação e humor criativo. Agora que uso o feed, vou receber as notícias e sempre voltar por aqui.
    Não sabia do processo da Juliana, pelo visto, cansou de ser "bôua"! rs
    De Febeapá o brasileiro gosta... rsrs
    Abraços!

    ResponderExcluir
  13. adoreiiii , parabens .. muito boa critica! é febeapá.... fazer oq ne...? kkkkkkkkkk

    ResponderExcluir
  14. Olá!

    Quase não acompanho o mundo das famosidades e, faz uma pá de tempo que não acompanho el macacón simoneto, traduzindo, estou desatualizada!

    é por meio de bons blogs, como o seu, aliás, seu blog é excelente, que eu fico sabendo dos xiliques da atriz 'zoiuda'. O que é que tem o Simão falar dela? Marketing de graça é bom, 'meu cumpadi'! kkk...

    Se o Simão quiser falar de mim, eu aceito!

    E sobre a proteção da língua... acho que estes políticos estão precisando cuidar é do próprio rabo, sabia?

    Com tanta coisa mais importante pendente nestas terras de meu DEUS e me vem um camarada com essa! Humf!!!

    Ótima postagem, meu amigo!

    Kiso!

    ResponderExcluir
  15. Um viva à Juliana Paes. Afinal, conseguiu resguardar sua honra e sua imagem com o processo movido contra Simão. Só rindo mesmo para tolerar tais incoerências de nosso Brasil.

    Quanto à proposta de tradução para o português, para mim a real valorização de uma língua parte do povo, não de propostas legislativas que tente influenciar o modo de ser da sociedade. Não há volarização linguística forçada, como está sendo pretendida.

    ResponderExcluir
  16. By the way ( kkk ) Você se lembra da expressão "fritar bolinhos" ? Parece-me que se referia às reuniões de alguns políticos, acho que, mineiros, á época da referida "redentora", no próprio livro do Sérgio Porto. Nem meso o Santo Google pode me ajudar a lembrar. "Would you please?"

    ResponderExcluir
  17. By the way ( kkk ) Você se lembra da expressão "fritar bolinhos" ? Parece-me que se referia às reuniões de alguns políticos, acho que, mineiros, á época da referida "redentora", no próprio livro do Sérgio Porto. Nem meso o Santo Google pode me ajudar a lembrar. "Would you please?"

    ResponderExcluir
  18. "By the way", você se lembra da expressão "fritar bolinhos"? Penso que se referia às reuniões de alguns políticos durante a tal "redentora", num dos textos do próprio Sergio Porto, no FEBEAPÁ. Nem o Santo Google pode me ajudar a localizá-la. Would you please?

    ResponderExcluir
  19. "By the way", você se lembra da expressão "fritar bolinhos"? Penso que se referia às reuniões de alguns políticos durante a tal "redentora", num dos textos do próprio Sergio Porto, no FEBEAPÁ. Nem o Santo Google pode me ajudar a localizá-la. Would you please?

    ResponderExcluir

Agradeço sua visita e o seu comentário! É sempre bom receber o retorno dos leitores.

Todas as opiniões são livres, porém não serão aceitos comentários anônimos e tampouco comentários ofensivos, discriminatórios e que não prezam pelos princípios da boa convivência - o autor do blog reserva a si o direito de excluir comentários com tais temas.

Volte sempre! =)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...