segunda-feira, dezembro 22, 2014

Uma carta ao Papai Noel.


Querido Papai Noel,

há quanto tempo não escrevo ao bom velhinho! Sei que não tenho sido um bom menino ao longo destes anos todos, principalmente depois que cheguei àquela fase sem graça chamada “adulta”, mas mesmo assim resolvi escrever (ou melhor, digitar) algumas palavrinhas e, claro, fazer um pedido.

Certo, eu andei rebelde por muito tempo duvidando de sua existência e reduzindo sua figura a uma estratégia de marketing de uma conhecida marca de refrigerante e, mais ainda, ao consumismo desenfreado nesta época do ano. Não é culpa sua, querido Nicolau, se trocaram sua roupa verde por uma roupa vermelha. E já escrevi tanta coisa sobre o natal que o tema parece esgotado, porém há uma coisa que eu gostaria de contar e também fazer um pedido.

Bem, além da história do nascimento de Jesus – e aqui, independente da fé e crenças religiosas, devo dizer que é uma bela história e uma personalidade fascinante – nesta época do ano eu gosto de relembrar da maravilhosa obra de Charles Dickens, “Um conto de natal”. Todo mundo, até mesmo as suas renas e duendes, já conhece a história do sovina e rabugento sr. Scrooge, que recebeu a visita de três espíritos na véspera do natal e repensa toda a sua trajetória de vida até então. Essa história é tão bonita que já foi adaptada para cinema, teatro, desenho animado, história em quadrinhos e a criação do Tio Patinhas encontrou inspiração no velho Ebenezer Scrooge.

Não há época de natal em que eu não releia esse conto de Dickens ou até assista alguma reprise de filme adaptado contando a história de Scrooge. Uma passagem que eu gosto muito no livro é quando o velho Ebenezer recebeu a visita do segundo espírito, um gigante que se apresentou como o “Espírito do Natal Presente” e segurava “uma tocha bem estranha”- mas era um objeto bem especial, “porque nas vezes em que algumas pessoas discutiram, só por terem se esbarrado, ele lançou sobre elas algumas poucas gotas e o bom humor delas imediatamente voltou, a ponto de reconhecerem que era mesmo uma vergonha brigar no dia de natal”.

Fale a verdade, querido Nicolau: o gigante era você mesmo, não é? Sim, pois segundo o conto, você usava um largo roupão verde-escuro com acabamento branco e não tinha dificuldade nenhuma ao entrar nos ambientes – fosse por uma janela ou chaminé. Creio que não ficou chateado com Dickens por revelar seu segredo, mas isso não importa: eu gostaria de fazer um pedido, embora não seja merecedor por alguns comportamentos ruins.

O meu pedido é simples: será que essa tocha não poderia circular pelo mundo em um período do tipo o ano inteiro? Sei que o senhor é muito ocupado, querido Nicolau, mas sei também que muitos duendes o ajudam bastante – espero que os duendes tenham registro em carteira e recebam todos os benefícios trabalhistas, certo? Desculpe, voltando ao que interessa: eu acho que o mundo precisa diariamente das gotas desta tocha e não apenas em um breve período natalino. Eu sei que somos ocupados demais, que não largamos o celular, que colocamos muitas vezes o trabalho em primeiro lugar, que temos muitas vezes o coração endurecido e que todos nós temos um pouco de Marley, o sócio de Scrooge, reconhecendo “que não há remorso que pague as oportunidades perdidas na vida”.

Sei de tudo isso, Papai Noel, e também desconfio de sua provável resposta: os responsáveis por lembrar esse espírito e sustentar as gotas durante o ano inteiro somos nós mesmos. E tem razão. E acho que muita gente consegue entender e sustentá-las durante muitos dias do ano; creio, porém, que um reforço seria muito bem vindo, sobretudo aos corações mais duros, não acha? 

Não vou mais tomar o seu tempo, sei que está muito ocupado nesta época. Fica aí registrado o meu pedido (desconsidere o bilhetinho anexo pedindo “A revolução dos bichos”, do Orwell,mas ficaria muito feliz se o encontrasse em minha modesta árvore de natal)  e torcendo para que esta mensagem chegue rapidamente aí na Lapônia. Um grande abraço e Feliz Natal!

11 comentários:

  1. Olá, amigo do Bordando Palavras,

    Estou passando para desejar um Feliz Natal repleto de amor e paz para você e sua família.

    Simplesmente adorei a sua cartinha. Eu acabei de postar uma pequena mensagem falando que o espírito natalino deve ser nos 365 dias do ano.

    Beijinhos estalados.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Aline!

      Muito obrigado! Espero que tenha passado um ótimo natal junto aos seus familiares. E é verdade: o espírito natalino deve permanecer durante todo o ano!

      Beijo estalado! rs

      Excluir
    2. Feliz 2015, Jaime! E muito obrigada pelos comentários. Beijinhos.

      Excluir
  2. Muito linda sua cartinha,Jaime!Comovente!

    Sabe,eu até pouco tempo tempo tinha uma cisma com o Santa Claus,mas eu passei a enxergar nele o próprio Jesus,sim,Jesus.E nesse meu novo modo de vê-lo,pude perceber que devemos ser Papais Noéis todos os dias de nossas vidas.Nos darmos de presente ao outro.De uma certa forma nos sacrificarmos para ver o outro feliz.É o que Papai Noel faz.É o que Jesus quer de nós.Olharmos o outro com um olhar humano,olhar de amor.É algo difícil,sabemos,mas se nos despirmos de nosso ego bestial,poderemos fazer vários Natais em nossas vidas e na vida do outro.

    Beijão,querido!

    Dani.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Dani, gostei bastante desta visão do Santa Claus/Papai Noel e da relação que você faz com Jesus. Pessoas elevadas mantém o ego bem distante e assim fazem vários natais todos os dias! :) Grande beijo!

      Excluir
  3. É um belo pedido! Seria bom se antes de desejarmos presentes desejássemos essas coisas que sem dúvida fariam muito mais diferença em nosso ano.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, Suzana! A reflexão sempre é válida neste período de consumo. :-)

      Excluir
  4. Jaime , gostei do pedido e que assim seja.

    Eu desejo pra tua vida, a pureza do sorriso de uma criança Eu desejo a beleza de uma linda manhã de sol Eu desejo o frescor de uma pele de banho tomado e o sabor de um beijo bem dado.. Em 2015, Eu desejo uma sorte de bençãos que seja tão imensa, que não consigas se conter... Eu desejo a presença constante de Deus no seu dia-a-dia! Eu desejo o milagre da fé, a força da oração... Eu desejo as grandes realizações... das coisas grandes e pequenas... Eu desejo a sensibilidade, a emoção com as pequenas grandes coisas da vida! Eu desejo a doçura da poesia e a suavidade de uma canção. Eu desejo que você só deseje coisas boas pras pessoas ao seu redor. Desejo que em seu coração, não haja espaço para orgulho,inveja, rancor e vingança. Desejo que não faças tempestades em copo da água... Desejo que reencontre todas as virtudes que sei que possuis, mas que acabastes perdendo ao longo da vida... Desejo-te todas as coisas boas possíveis...Feliz ano novo...
    Beijos



    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rute, muito obrigado pela belíssima mensagem! As grandes realizações estão também nos pequenos gestos e assim geramos coisas boas. :) Um feliz ano novo para você também! Beijos!

      Excluir
  5. Descobri o seu blog e woow, estou adorar :)
    Um bom dia de reis, e claro, um belíssimo 2015 :)

    Hugs ;)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom, Daniel! Seja bem-vindo e muito obrigado! Tenha um excelente 2015 também! Abraço!

      Excluir

Agradeço sua visita e o seu comentário! É sempre bom receber o retorno dos leitores.

Todas as opiniões são livres, porém não serão aceitos comentários anônimos e tampouco comentários ofensivos, discriminatórios e que não prezam pelos princípios da boa convivência - o autor do blog reserva a si o direito de excluir comentários com tais temas.

Volte sempre! =)

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails