quinta-feira, janeiro 19, 2012

Bad dream

Da nossa vida, em meio da jornada,
Achei-me numa selva tenebrosa,
Tendo perdido a verdadeira estrada.

Contar não posso como tinha entrado;
Tanto o sono os sentidos me tomara,
Quando hei o bom caminho abandonado.*


De alguma forma que eu não sei explicar encontrei uma trilha no meio da selva tenebrosa. Não era a estrada que eu conhecia, mas quando se está perdido qualquer caminho serve. E segui cautelosamente rumo a destino incerto quando encontro um leão bloqueando o caminho e, para meu espanto, ele diz:

- Alto! Essa trilha é proibida para você, não pode passar por aqui!

Após alguns segundos de terror na expectativa que a fera pudesse me devorar, reuni coragem e, com tom firme, disse:

- Não é verdade: você mesmo, animal das savanas, é uma mentira que não deveria estar nesta selva!

Imediatamente o leão desapareceu e segui o caminho que não era meu, mas para algum lugar me levaria. As palavras da fera acenderam a curiosidade: proibido, por quê? O que encontrarei no fim desta jornada? Absorto em pensamentos, eu não percebi logo adiante outra fera bloqueando o caminho: um enorme crocodilo anunciava o mesmo aviso que o leão havia me dado:

- Alto! Essa trilha é proibida para você, não pode passar por aqui!

O animal estava com suas enormes mandíbulas abertas e calculei que seria muito fácil para ele me devorar caso eu tentasse seguir caminho adiante. Olhei o ambiente ao redor e, com tom firme, disse:

- Não é verdade: você mesmo, animal das águas e pântanos, está muito distante do seu habitat, pois não existe água aqui por perto!

Imediatamente o crocodilo desapareceu e prossegui pela trilha que a cada curva representava uma expectativa: o que encontraria nesta selva tenebrosa e surpreendente? Não parecia ser o mais importante naquele momento, mas eu queria saber o nome daquele lugar; qualquer localização, por mais imprecisa que fosse, ajudaria.

Caminhei um bom pedaço da trilha sem surpresas até que cheguei a uma velha choupana onde avistei um homem apontando um rifle em minha direção. Por saber o que ele iria falar, tomei primeiro a palavra:

- Sei que essa trilha não é permitida para mim, mas gostaria de saber por quê.
- Basta que você saiba que ela é proibida, é o bastante! – disse o homem.
- Eu não entendo... diga-me por que este caminho é proibido para mim!
- Tudo o que eu posso dizer é que este não é o caminho que você procura. Não sei como passou pelas feras, mas por mim não passará. Ordeno que volte!
- Para onde? – perguntei, cada vez mais confuso.
- Este é problema seu: se você não sabe de onde veio, não pode saber para onde vai! Já falei mais do que deveria, vá embora ou atiro!

O homem ajeitou o rifle e fez a mira, então resolvi voltar, mas as feras estavam logo atrás de mim.

- De onde surgiram? – perguntei assustado.
- Agora não pode mais voltar. Se tentar será devorado e desta vez não importa o artifício que use, nós atacaremos! – disse o leão, enquanto o crocodilo salivava.

Não poderia seguir em frente, tampouco retornar e não sabia o que fazer! Ah, se eu tivesse asas para tentar o céu! Então corri para o coração da selva, no meio do mato e de repente me vejo diante de um precipício. Lá embaixo um filete de água que poderia ser um rio. Com medo de altura logo recuei, mas a poucos metros estavam parados o homem, o leão e o crocodilo. O rifle do homem continuava apontado para mim, o leão rugia e quanto ao crocodilo é impossível prever suas reações, animal traiçoeiro!

- Agora você tem apenas essa opção! – gritou o homem.
- E se eu não a quiser? Sempre há outras opções! – o meu grito transmitia pavor.
- Sim, então escolha: ou você salta ou tenta passar por nós. Qualquer que seja a sua escolha você estará sozinho, entendeu? Sozinho! Você fez tudo errado, ajeite-se sozinho daqui para frente! – gritou o homem e esta foi a última coisa que eu ouvi.

Terra dos Pesadelos, noite de 13 para 14 de Janeiro de 2012.

*introdução de “O Inferno”, da Divina Comédia de Dante Alighieri.

28 comentários:

  1. Jaiminho,
    passei para deixar um beijinho, as coisas não estão tranquilas por estes dias com minha filhota... e não consigo me concentrar...
    mas volto!
    Mudou o visual do Groo? !!!
    Beijinhos, amigo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Cissinha!

      Não te preocupa com as coisas por cá, espero que tua filhota recupere logo e fique tudo bem e vocês tranquilos! :)

      Pois é, tô mexendo em umas coisas, experimentando outras...esse texto é uma experiência, nem tô divulgando.

      Beijinho, amiga! Tudo vai dar certo! :)

      Excluir
  2. Eu costumo dizer que "o inferno" somos nós mesmos que construímos em nossas vidas.Nossa vida,é reflexo de nossas escolhas,ações e até de nossos medos e angústias.Temos o livre arbítrio sobre nosso amanhecer e deitar.
    O céu nos é muito distante;mas o inferno,esse nos queima os pés.
    Beijão,Jaime!Dani.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi,Dani!

      Existe uma fábula budista ( ou zen, enfim...) que conta sobre um guerreiro chegando ao lar de um mestre e pedindo para que ele ensine sobre o céu e o inferno. O mestre, imediatamente, se recusa a ensiná-lo e o faz dizendo coisas do tipo "como eu posso ensinar algo tão elevado para um ignorante, estúpido e descerebrado como você?".

      Os impropérios do mestre continuam e o guerreiro, furioso, saca a sua espada e vai dar cabo do velho quando este para e diz: "Isso é o inferno".

      Então o guerreiro abaixa sua espada e, envergonhado, pede perdão e olha para o mestre, que está sorrindo. De repente o guerreiro entende tudo e sorri também. Não precisava, mas o mestre complementa:

      " E isso é o céu".

      E acredito nisso! :)

      Beijão, Dani!

      Excluir
  3. Respostas
    1. Pode sim, Satoru: faça um depósito na conta corrente 12345...rs tô brincando, foi apenas (?) um pesadelo. Se você for bom para interpretar sonhos, manda ver! =D

      Excluir
  4. O inferno jaz dentro de cada um, como já diria a Donzela do Inferno.
    Excelente texto Jaime..como sempre mostrando seu dom para a literatura!!
    bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Tsu! É isso, exatamente como no conto budista que eu mencionei logo acima.

      Muito obrigado pelas palavras! =)

      bjs!

      Excluir
  5. "esse texto é uma experiência, nem tô divulgando"

    Pois deveria pq esse é um dos textos mais bonitos q li aqui no Grooeland (sim, eu disse bonito).
    Pular do precipício pode ser legal pra quem sonha voar, principalmente se tem um rio lá em baixo. E ainda tem o lado bom: a última coisa ouvida não foi um ploft.

    Bons sonhos!

    bjohnny!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, moça cabofriense!

      "E ainda tem o lado bom: a última coisa ouvida não foi um ploft." Sagaz, Silvana, muito sagaz...por isso a esperança perdura, não? ;)

      Muito obrigado pelo "bonito". Como diria o pedreiro, "são seus olhos, SUA LINDA!" rs Que bom ter gostado! Realmente não estou divulgando por achá-lo "confessional", digamos...talvez, então, interesse a poucos.

      Já dormi mais tranquilo recentemente! rs

      Bjks!

      Excluir
  6. Jaiminho,
    voltando...
    a filhota está melhor, o suficiente para eu voltar á ativa.

    Amigo, eu ainda não tinha lido um conto seu.
    Interessante, gostei dessa introdução do Dante favorecendo o clima do "incubus".
    E nesse pesadelo, que começa "macio", um tanto quotidiano até a chegada do prenúncio (o Leão), sempre existe um prenúncio/senha de enter para o início de um pesadelo, que até então era apenas um sonho.

    Convincente! Diálogos interessantes, muito visual,e com um fim para completar... hummm, eu diria que nosso personagem se jogou, na ânsia de não ser comido pelas feras ou ser ferido pelo homem. Um fim a "Thelma e Louisie"? Onde o sonho nunca acabou, verdade?

    Beijinhos, Jaiminho!
    Ótimo domingo bichinho! :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cissinha,

      bom saber que tua filhota está melhor!

      Sim, realmente "conto" não é o estilo do qual eu tenha alguma habilidade para escrever, embora seja um leitor voraz do gênero. Como 2012 é um ano de experimentações e mudanças - afinal a Lua é regente - vou tentar algumas coisas aqui e ali no gênero.

      Eu não posso dizer se o final e à la "Thelma e Louise" porque nunca assisti a este filme ( minha relação com o cinema é quase de indiferença, acredite...rsrs) mas o final é...despertar. Não saberia dizer como acaba ou, quem sabe, retomar o bad dream? Hum, difícil.

      Xêru, minha nega! E muito obrigado mesmo, viu? :)

      Excluir
  7. Jaime, que belo texto!!!
    Prendeu a minha atenção do inicio ao fim.
    E tem todo um significado eu diria "psicológico" nas entre linhas.
    Ja passei por momentos assim...tendo que ir em frente e com muitas feras no caminho. A opção seria enfrentar as NOSSAS feras.
    Não dá para acelerar o futuro e voltar ao passado não vale a pena.

    Espero duas coisas: Que você continue ..tipo parte 2...
    E que eu não tenha esrito muita besteira..rs
    Se escrevi leve em consideração que sou do barro não das letras tá?
    beijo e ótimo domingo!!
    Ah..a ilustração? amei!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Ma!

      Muito obrigado! Bom, tem psicologia aí sim, afinal é um daqueles pesadelos que a nossa mente cria para representar de forma abstrata uma situação - que eu ainda tenho que descobrir especificamente o que é rsrs

      Mas é por aí: ou sigo em frente pra enfrentar as feras ou desisto e tchibum! Ou "ploft" abismo abaixo rs

      Acho que a parte 2 é meio difícil, vamos ver o que acontece. E você nunca escreve besteira, deixe disso! Tem toda a sensibilidade que as artistas possuem - seu trabalho com a cerâmica é muito bonito mesmo! :)

      Beijo e obrigado!

      Excluir
  8. Que mancada a minha, Jaime... passei por aqui, há vários dias e li seu texto. Foi então que resolvi voltar aqui, para falar de seu comentário lá no blog e percebi que não comentei por aqui... eu jurava que tinha comentado! Desculpa a dona siá aqui... acho que a correria para tomar posse me deixou zureta das ideias.

    Voltando ao texto, entonce... Adorei, por sinal! Bad mesmo, heim? Ui ... me senti na pele do "peregrino"... Sem dizer que vc introduziu perfeitamente, com as palavras de Dante. Essas feras no caminho, me lembram algumas com as quais encontrei pelos caminhos que percorri. Aiaiai... quantas vezes não nos sentimos a beira de um precipício, nas mesmas condições que o moço ali de "riba"!!? Eita... Enfim, excelente conto! ;)

    Sobre seu comentário, Hanna-Barbera é realmente bom demais! Fico feliz em ver que meu filho curte, pq aí podemos assistir juntos sempre...

    kkkkkkkkkkkkkkk... seu problema com filmes poderia ser discutido em uma sessão de regressão, fiotim!!!! hahahhahah... certamente, Freud explica!! hahhahahah... mas, como diz o outro, cadum com seu cadum! O importante é que vc adooooora ler. Já tem muitos pontos positivos! rs

    bjkssssss, seu lindo! ;)
    JoicySorciere => Blog Umas e outras...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oxe, Joicy, relaxa! Não te preocupa com isso! :)

      Sempre nos deparamos com esses bichos em nosso caminho, né? E o precipício é uma imagem recorrente em sonhos: de vez em quando não sonhamos que estamos caindo sabe-se lá de onde e para onde? Isso tem um significado do qual não me lembro agora rs

      Felizmente adoro a literatura, porque minha relação com o cinema é muito estranha kkkkk Nem Freud daria um jeito. Bukowski não era muito fã também, apesar de ter escrito um roteiro e ter frequentado sets de filmagem. Mas sei que é uma exceção, quase todo mundo adora cinema rsrs

      Bjks, sua linda!

      Excluir
  9. Olá Jaime!!!
    Né? A roupa da Faye Valentine eu não teria coragem de usar u.u. AHSAHSAHSA confesso, tem Fayes bem bonitas =). Então de acordo com a série a dívida que Faye tem com o hospital que a manteve viva por tantas décadas é abusrda, uma fortuna biolionária..e embora ela seja caçadora de recompensas, na obra os personagens quase sempre saem mal e não conseguem uma boa grana...ou seja a dívida dela ainda está tensa...assim ela ficou meio que uma fugitiva também.
    Sim, ela é uma boa pessoa =). No comçeo parece egoísta mas com o tempo mostra que é apenas uma pessoa sozinha, sem lembranças do passado.
    bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ei, Tsu, a Faye é realmente uma gata, mas depois de saber da dívida bilionária e de como ela é esperta...sei lá, acho mais certo que ela ficaria com pena de mim. ( "Ah, é professor, tadinho...fica aqui com esses trocados que eu descolei ao detonar um ditadorzinho em uma república de bananas lá da América Central, tá?")

      Personagem interessante - e com um apelo visual INTERESSANTE também hahaha

      bj!

      Excluir
  10. Jaime!!! Que texto legal!!! Li, prestando muita atenção, já que fiquei muito curiosa...
    Uma vez você disse que não era bom em contos... Porra! Você realmente não é bom... Você é fera!!!
    Foi um sonho mesmo ou invenção?
    Beijocas Jaime!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fabi, tudo bom?

      Mas não sou bom em contos, não...rsrs Não é o gênero literário do qual eu desenvolva algo interessante. Mas vou experimentar um pouco este ano. Quem sabe, aos poucos, eu consiga trabalhar com elementos que reúnam bons escritos?

      Foi sonho mesmo...rsrs E transferi para "o papel" de forma um pouco mais clara, porque na Terra dos Pesadelos a coisa foi bem mais confusa rsrs

      Bjks, Fabi!

      Excluir
  11. Ah! Gostei do novo visu do Grooeland! Mudar é preciso, sempre!

    ResponderExcluir
  12. Oi Jaime,
    Que difícil opção, talvez o precipício, e la embaixo tem um rio, quem sabe ha chance.
    Depois de ler seu conto dirigido com essa proeza e maestria, só me resta dar parabéns ao contista. Parabéns!
    Desejo muito sucesso nos próximos contos.
    Adorei o novo visual.
    Um beijo e ótima semana.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Smareis,

      acho que seria difícil de qualquer jeito, pois não sei nadar...rsrs Estaria muito mal arranjado, ainda bem que foi só um pesadelo rs

      Muito obrigado por suas palavras! Tentarei publicar alguns contos por aqui ao longo do ano, vou experimentar, brincar com personagens, temas, enfim...vamos ver no que dá! :)

      Beijo e ótima semana!

      Excluir
  13. Lendo o texto lembre de - Ícaro, o filme dos Leões com Val Kilmer e uma queda nas águas como no filme As Minas do Rei Salomão! Que escolha difícil! Tentar executar essa galera toda no estilo Rambo [exército de um homem só] ou descer a cachoeira e ver no que dá! E agora, é saber se nosso amigo sobreviveu a queda como o Sherlock Holmes ou se enfrentou a turma com a força do pensamento!

    Obrigada pela palavras,querido Jaime. Estava precisando.

    T.S. Frank
    www.cafequenteesherlock.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, T.S.Frank!

      Olha, no caso deste nosso amigo, como ele não sabe nadar e tem medo de altura, o jeito foi enfrentar essa turma toda - ou na raça ou na força do pensamento! rs

      Bom que eu tenha ajudado de alguma forma! :)

      Excluir
  14. Não se esta fato tua intenção com o texto, mas penso que ele mostra de uma forma legal co,o boa parte de nossos medos não passam de mera ilusão, tem um tempo que li na revista Seleções um artigo que dizia que apenas 10 por cento de nossos medos são de fato reais... No caso deste pesadelo tenho minhas dúvidas até em relação ao homem que apontava a arma para o peregrino... não seria ele também uma ilusão, pois no instante em que o "sonhador" se sucumbe a ele, todos os outros medos reaparecem... procede?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, J.Bruno!

      Bom, medo controlado é útil...é um mecanismo de defesa. O problema é quando isso se torna fobia que impede a pessoa até mesmo de sair ou exercer outras atividades.

      No caso do sonho, bem, é o subconsciente agindo a alguma tensão ou a algum fato. Antes de Freud os sonhos eram encarados como "mensagens premonitórias", mas depois que o psiquiatra vienense formulou sua teoria acerca do inconsciente mudou tudo. Então o homem, o leão, o crocodilo podem representar algo que a mente "consciente" trate de outra forma - desafios, obstáculos, inimigos, traidores, gente com quem devemos tomar cuidado, enfim, as interpretações seriam diversas.

      Controlar o que se passa no sonho parece ser algo difícil. Não sei se seria possível ordenar que o homem do rifle desaparecesse ou alvejasse as feras. Acho que o Freddie Krueger conseguiria :D

      Mas sua interpretação é interessante, sim. Gostei! Obrigado!

      Excluir

Agradeço sua visita e o seu comentário! É sempre bom receber o retorno dos leitores.

Todas as opiniões são livres, porém não serão aceitos comentários anônimos e tampouco comentários ofensivos, discriminatórios e que não prezam pelos princípios da boa convivência - o autor do blog reserva a si o direito de excluir comentários com tais temas.

Volte sempre! =)

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails