quarta-feira, abril 06, 2011

O empresário

Eu sou um homem justo. Que ninguém venha recriminar a minha personalidade e tampouco minhas opiniões, porque estamos em uma democracia e a liberdade de expressão está aí para isso, apesar de que um pouco de censura vai bem. Tenho saudades, sim, do tempo da gloriosa, que baniu do país o perigo vermelho e a bagunça. Pena que foi por pouco tempo e agora estamos às voltas com todos aqueles problemas que os generais tentaram resolver. E temos um país que não cresce e que fica aí dando esmola pra pobre ao invés de gerar riqueza!

Faço minha parte. Hoje sou um bem sucedido empresário no setor químico e tenho negócios espalhados pelo Brasil e América Latina; além disso, já estamos negociando com chineses, não tem jeito, esses malditos vermelhos vão dominar o planeta. Como disse, sou um homem justo, porém há quem me acuse de poluidor, de destruidor de ecossistemas, essas bobagens... me acusam de corrupto, de racista, de violador dos direitos humanos, esse monte de calúnia típico de gente invejosa e incomodada com o meu sucesso.

Felizmente hoje temos a melhor invenção do homem depois da roda: o marketing. Fizeram uma denúncia sobre a minha empresa de não cumprir as normas de segurança num desses litorais aí do Nordeste só porque vazou um pouco de dióxido de titânio no mar. Aquele bando de pescadores reclama que matamos os peixes e o sustento deles, quanta besteira! Os órgãos ambientais multaram a minha empresa, mas logo contornamos a situação com uma campanha de marketing eficiente na TV, jornais e outdoors: “Use sacolas retornáveis. É a Ilmenita Química S/A ajudando a proteger o meio ambiente”. E distribuímos umas sacolinhas! Esses publicitários são geniais, bastaram umas mensagens bonitinhas, umas imagens de natureza, a cor verde na logomarca e pronto, agora somos conhecidos como “amigos do meio ambiente”! Quanto à denúncia, bem, o processo tá lá, parado, temos advogados muito eficientes.

Dia desses, me disseram que eu deveria entrar para a política em algum cargo, como senador ou deputado ou até mesmo governador. Eu entrei para a política de outro modo: financiando a candidatura de um deputado que me foi bastante útil quanto às licenças ambientais e no lobby para a aprovação de leis interessantes para a indústria. Mas quando explodiu o escândalo da propina e que acusava o meu parlamentar como mentor intelectual e chefe da quadrilha, a primeira coisa que fiz foi negar qualquer envolvimento além do financiamento de campanha e logo depois minha equipe de relações públicas e marketing entrou no jogo: fui parar na capa de algumas revistas posando ao lado da família e em uma delas a chamada de capa era “o defensor dos valores familiares”. Logo o meu nome -e da empresa - foi esquecido, apesar do processo estar sei lá em que pé, temos advogados são muito eficientes.

Por isso que é bom manter uma família, mesmo que apenas sob aparência. Ora, eu já estou com 65 anos, mas estou bem conservado, tenho minhas vaidades, tenho dinheiro e poder. Quer combinação melhor para seduzir? Minha mais recente conquista é aquela modelo que faz uns trabalhos de atriz para a TV de vez em quando. Jovem, linda e muito gostosa, faz de tudo na cama. É sempre melhor experimentar a carne fresca, quando enjoar é só ir atrás de outra. Minha mulher é 10 anos mais jovem do que eu, tem lá seus amantes, mas eu nem me preocupo, desde que seja tudo discreto. Aos meus filhos já falei mais de mil vezes para não se meterem em confusão. Da última vez o mais velho estava bêbado, saiu pra balada e atropelou umas pessoas na calçada de um bar. Teve uma moça que precisou amputar a perna e deu muito trabalho para limpar a imagem do garoto, tivemos que botar a equipe de relações públicas, assessoria de imprensa e publicitários para trabalhar bastante. Ele foi fazer a social em orfanatos e creches, eu estampei uma campanha no outdoor ao lado de uns neguinhos órfãos sobre o tema “responsabilidade social” ou coisa parecida. Foi muito bom porque limpamos a barra do meu filho e a empresa conseguiu uns incentivos fiscais também, afinal o nome da empresa foi envolvido na estratégia. A menina da perna amputada? E eu sei lá, fatalidades, essas coisas acontecem. O processo tá rolando, temos advogados muito eficientes.

Eu me orgulho em dizer que coloco a cabeça no travesseiro e durmo tranquilo, de consciência limpa. Não canso de repetir que sou um homem justo e, se esqueci de mencionar, também sou temente a Deus! Agradeço a Ele todas as graças que obtive até hoje. Agora, se me dão licença, tenho umas coisas a fazer...esses malditos ambientalistas vagabundos não pedem por esperar! Passar bem.

8 comentários:

  1. Este cidadão é, diferente dos outros, um cara digno, dentro do grupo da pior espécie da humanidade. Brilhante relato, Groo!

    ResponderExcluir
  2. Você traçou muito o bem o perfil desses empresários que mandam e desmandam apesar de todo o mal que causam para o meio-ambiente, para a sociedade e ainda fez uma análise de suas ideologias e lifestyle.

    No finalzinho do texto, quando você falava da esposa apresentadora de TV 10 anos mais nova (às vezes 30, 40, ou bem mais), lembrei do Justus. Não sei porquê...

    ResponderExcluir
  3. Nobre Quintella, este cidadão é um gentleman, sem dúvida nenhuma...quando comparamos com OUTROS, ele é até delicado rs Obrigado! =D

    ResponderExcluir
  4. Peterson, eu lembro do (in)Justus, do Trump, do Temer...hahaha! É o (f)poder, isso é o que interessa!

    O que me assusta é que tais ideologias venham encontrando mais e mais adeptos. Abs!

    ResponderExcluir
  5. Jaime, lembra-se de um personagem do Benvindo Siqueira que , diante de tais aburdos ou barabaridades dizia: " só se for na França." (?) Pois eu o invoco aqui para comentar esse seu texto. hahahahah! (Tô rindo de que?). Abração, meu caro. Ah, que saudade de uma militância...Abração. paz e bem.

    ResponderExcluir
  6. Xi, Cacá, desse aí eu não "me alembro" não...rs. Mas nada que o youtube não resolva, vou procurá-lo por lá! Pois é, onde foi parar a militância! Abraço!

    ResponderExcluir
  7. Olá, professor!

    Outro dia o namorado da minha prima disparou: “Só quem é doido quer o fim da empresa x. Vocês não pensam nas dezenas de pessoas que eles empregam?” E com essa opinião, levou outras pessoas que estavam na sala a rever sua opinião sobre uma empresa que de ética só tem a letra a. E vamos ponderando, ponderando... quando notarmos já não teremos mais nada, talvez nem sejamos mais os mesmos.

    Bjohnny!

    ResponderExcluir
  8. Olá, moça de Cabo Frio!

    Sim, vamos ponderando, ponderando até que tudo é aceitável, normal e subverte-se até certos padrões outrora chamado de "éticos".

    Bjks!

    ResponderExcluir

Agradeço sua visita e o seu comentário! É sempre bom receber o retorno dos leitores.

Todas as opiniões são livres, porém não serão aceitos comentários anônimos e tampouco comentários ofensivos, discriminatórios e que não prezam pelos princípios da boa convivência - o autor do blog reserva a si o direito de excluir comentários com tais temas.

Volte sempre! =)

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...