terça-feira, junho 22, 2010

Cultura e malandragem


(outra charge antiga. Não é que faltem ideias, falta é tempo mesmo. Mas vale!)

A morte do escritor português José Saramago, prêmio Nobel em Literatura, causou grande comoção nos fãs do autor de “Ensaio sobre a Cegueira” – e até naqueles que não apreciam o estilo literário do português, mas que compreendem a importância do escritor no mundo das letras. Eu me incluo neste último grupo.

E até quem nunca leu um livro de Saramago se manifestou. E dentre diversas declarações, houve uma que me chamou a atenção. Uma modelo quase desconhecida chamada Solange Gomes soltou a seguinte pérola em seu twitter: “Pergunta que não quer calar...rs, será que aqui todo mundo sabe quem é Saramago? Ou foram correndo falar com o Tio Google?”; logo depois a modelo afirmou que não gostava de ler.

Evidente que a “modelo” aproveitou a morte de um escritor mundialmente cultuado para fazer uma provocação e conseguir uns 15 segundos de fama – e acho que não conseguiu – mas por incrível que pareça a moça fez um apontamento interessante.

Em um país onde a leitura é um hábito praticado por uma pequenina parcela da população, é natural que nem todos conheçam ou sequer tenham ouvido falar em José Saramago. E muitas pessoas nas redes sociais pela internet confessavam isso, perguntando quem era Saramago. Imediatamente eram “atacados” com comentários do tipo “aff (!), que falta de cultura, não sabe quem é Saramago”, “ o brasileiro é muito alienado” e outras expressões no mesmo nível e para pior.

Isso não deixa de ser uma forma de Cyberbullying, uma modalidade de violência onde indivíduos são humilhados, intimidados e assediados por outro(s) individuo (s) através de tecnologias digitais. Quando um sujeito chama um indivíduo de “burro” por desconhecer o escritor Saramago está cometendo uma agressão. O fato de não conhecer o escritor português configura um sujeito sem cultura, alienado? É preciso tomar cuidado para não repetir velhos erros perigosos do passado, apenas para citar um exemplo: os colonizadores portugueses e espanhóis chegaram à América e dizimaram centenas de milhares de nativos pelo fato dos mesmos “não possuírem cultura” – no caso, a cultura dos valorosos habitantes da Península Ibérica.

Se grande parte da população brasileira não conhece Saramago, Machado de Assis, Lima Barreto, Fernando Pessoa, Charles Bukowski, Tchekov e muitos e muitos outros escritores isso não quer dizer que seja alienada ou sem cultura. Há outras razões para isso, mas isso fica para outra postagem. Sim, tem a ver com educação, mas também com o que o escritor e professor Daniel Pennac, em seu “Como um Romance”, adverte: o verbo ler não suporta o imperativo.

MALANDRAGEM
Jogador de futebol brasileiro, em boa parte, gosta de dar uma de “malandro”, mas quando é vítima de “malandragem” do jogador adversário fica revoltadinho. E isso acaba se estendendo para boa parte dos torcedores que aprovam a malandragem principalmente se é usada para ganhar um jogo.

Na partida entre Brasil X Costa do Marfim, vencida por 3x1 pela nossa seleção, o atacante Luís Fabiano fez um lindo gol, chapelando duas vezes os zagueiros adversários na grande área. Um golaço, pena que todo irregular: o atacante usou o braço duas vezes para levar vantagem no lance. Todo mundo comemorou, é claro, mas o gol deveria ser anulado.

Estranho foi o comportamento de muitos torcedores em não se importar com a irregularidade do lance. Diziam que “o importante é ganhar” e ninguém levantou a voz para dizer que o gol “foi roubado”. Curiosamente esses mesmos torcedores são aqueles que detonam o ex-jogador e agora treinador da Argentina, Maradona, pelo gol feito de mão na Copa do Mundo de 1986, no México; condenam também o jogador Thierry Henry, da França, que usou a mão para levar vantagem em um lance que se tornou o gol que classificou a seleção de seu país para a Copa do Mundo na África do Sul.

Já na expulsão do jogador Kaká, da seleção brasileira, o jogador da Costa do Marfim foi malandro e se aproveitou do nervosismo do bom moço camisa 10 da seleção brasileira e cavou a falta, fez uma encenação e conseguiu o cartão vermelho para o brasileiro. Neste caso quase todos levantaram a voz para dizer que “foi roubado”, a expulsão “foi injusta”, etc – mas se esquecem que o jogador Rivaldo usou de um expediente muito pior na Copa do Mundo de 2002, na Coréia do Sul/Japão ao simular uma bolada no rosto quando na verdade o adversário chutou a bola em sua perna. Na ocasião foram poucos torcedores e “especialistas” que saíram em defesa do jogador turco e muitos elogiaram a “esperteza” do jogador brasileiro.

É como cantava Bezerra da Silva: “malandro é o cara que sabe das coisas”. Mas de vez em quando aparece um cara que sabe um pouco mais. Coitado dos “mané”, que “da vida tem muito o que aprender”.

FÉRIAS
Este humilde e tosco blog ficará sem atualizações por uns 15 dias, afinal é período de férias e festividades juninas pelo Nordeste e este escriba partirá para algum local ignorado pelo sertão ou chapada diamantina. Certamente que os 4 ou 5 corajosos leitores não sentirão falta. Até breve e viva Seu João, vendedor de milho, amendoim, vinho e tocador de sanfona dos bão!

Sem malandragem, me siga no twitter: www.twitter.com/jaimeguimaraess

9 comentários:

  1. Por falar em leitura, meu grande Jaime, há uma abordagem muitíssimo interessante a esse respeito (da malandragem) no livro, Carnaval, Malandros e Heróis, de Roberto Damatta. E voce, descanse bastante, mas não suma por muito tempo. Eu sou um dos milhares de leitores seus que vão sentir falta. Abração. Paz e bem.

    ResponderExcluir
  2. Gostos à parte, vimos uma comoção enorme na internet, mas muita gente não sabia nem quem era Saramago. Das pessoas que eu atônita falava:
    -Nossa o Saramago morreu!
    Uma expressão de "quem"? Surgia no rosto da pessoa. Normal, em um pais que se valoriza peitos e bundas, funks e reboletion, bbb e mulheres frutas. Saramago estaria em terra de cegos mesmo(literalmente)!!!

    Bondade sua, meu queridíssimo Jaime, chamar a já senhora Solange Gomes de MOÇA (rs), essa aí então, só deve entender de samba, jogador de futebol e p@#$%*&! Mas como disse no início do comentário: GOSTOS À PARTE...

    O gol foi irregular e todo mundo sabe disso, inclusive o juiz que deu uma risadinha bem sacana para o autor da "malandragem" Luiz Fabiano. Mas no final do jogo me senti em um Ultimate fight, e pensei realmente que ia rolar um barraco daqueles, com troca de soquinhos e tudo mais... Rsrsrs...

    Jaime curta MUITO suas merecidas férias, mas não nos abandone por muito tempo! Vou sentir sua falta, mas fico feliz que esteja curtindo seu merecido descanso.
    Beijinhos!

    ResponderExcluir
  3. Malandro é malandro, mané é mané...

    Uahahahhahahhaa!!!

    Solange Gomes, modelo desconhecida?! Fala sério, Jaimão! Duvido que tu não tenha folheado diverrrrrsas vezes a Sexy ou a Ele & Ela com a Solange estampada! Duvide-o-dó!

    Se duvidar, folheou mais que os livros do Saramago... Uahahhahaha!!!!

    Essa do Luís Fabiano foi dose mesmo. Mas deixa pra lá. Rende até discussão antropológica... hehehe!

    Férias, é? Nossa... não entendo essas férias baianas! Pra mim, recesso de meio de ano é em julho!

    ResponderExcluir
  4. Como sempre, texto maravilhoso.
    O brasileiro é um bixo engraçado, mas apesar de tudo, cultura é o que não falta mesmo aos alheios da leitura.
    E sim, você fará bastante falta não a um nem a cinco, mas a muitos leitores Grooelandenses! aeheauheauhae

    Um beijo, Jaime!
    Aproveite o São João e boas férias!

    ResponderExcluir
  5. Olá, professor!

    Uma coisa é certa: apesar de termos exceções, apesar de a cada dia termos mais gente se dizendo "esclarecida" e "descolada" e de termos alguns avanços, a sociedade ainda é muito preconceituosa. E mais que isso: é apegada aos preconceitos. Ainda não somos educados para conviver com diversidade.
    Acho q já disse (e vou dizer novamente, pq se estivesse preocupada em não ser repetitiva, não teria usado 'termos' três vezes na frase inicial) num dos meus comentários por aqui, que tudo não passa de um preconceito bobo de status social. Considere q o q se chama de 'cultura' hoje é bem de consumo. Um cara q ganha R$510 por mês não vai gastar R$40 com um (!) livro, não vai pagar R$35 pra ir no cinema, R$55 (!!!) no teatro e por aí vai...

    ResponderExcluir
  6. concordo.
    ainda bem que aquele gol não foi o gol do jogo... muito feio ganhar assim.

    Também comparo com Argentina e França.

    O problema das pessoas é que o errado é só o "filho dos outros".

    Enfim...

    bjos e boas férias

    ResponderExcluir
  7. Também pensei nesse lance de ninguém falar nada do gol brasileiro esquisito !
    Quando convém todos se calam!

    Boas férias!

    Beijos!

    ResponderExcluir
  8. Malandragem tem tudo haver com o brasileiro, o jeito brasileiro de ser... Muitas vezes fazemos isso mesmo.

    Confesso que quando vejo sobre tal assunto e não sei eu vou logo no Sr. Google e pesquiso, mas não com a intenção de demonstrar "oh eu sei, sou a bam bam" Vou com a intenção de me informar e depois confesso que não sei, mas vi que tal assunto ou tal pessoa despertou-me interesse ou não de continuar a pesquisa.

    Sobre José Saramago, que perda, esses dias reprisou a entrevista dele na Marília Gabriela, fico admirada com seres como ele, dotado de inteligência, mas ao mesmo tempo dotado de humildade.

    Eu vi o filme baseado no livro dele o ensaio sobre a cegueira, simplesmente MARAVILHOSO!!

    Abraços meu querido!!!

    ResponderExcluir
  9. OI. Boa tarde. Fazia tempo que não vinha no seu blog. Poxa, adoro os textos aqui e a forma humilde como voc~e aborda os seus temas.

    Reamlmente, não vejo nada demais em alguém não conhecer o Saramago. Isso pode se dar a diversos fatores e um deles é o fato do ignorante em questão não ser luito ligado à literatura. Ninguém, também, é obrigado a gostar de ler. Falta de informação em nada tem a ver com burrice, se bem que as pessoas confundem muito isso. Ninguém tem o direito de taxar ninguém de burro apenas porque desconhece quem foi Saramago...

    Brasileiro é malandro mesmo. Quando a malandragem é cometida pelo time adversário, é roubo. Quando somos nós, é esperteza.

    ResponderExcluir

Agradeço sua visita e o seu comentário! É sempre bom receber o retorno dos leitores.

Todas as opiniões são livres, porém não serão aceitos comentários anônimos e tampouco comentários ofensivos, discriminatórios e que não prezam pelos princípios da boa convivência - o autor do blog reserva a si o direito de excluir comentários com tais temas.

Volte sempre! =)

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails