quinta-feira, setembro 03, 2009

Semana da Pátria, filhos da mãe...gentil!

Ah! Finalmente, Agosto se foi! Ufa! Eu não deveria perder tempo com crendices, pois é apenas um mês no calendário, mas definitivamente desgosto de Agosto (ei, foi proposital, viu?), apesar do meu pai e de uma amiga da qual gosto imensamente festejarem seus aniversários neste período.

Mas arranquei a última folhinha do mês de Agosto e lá apareceu... 01 de Setembro! Ah, que maravilha! Já me senti bem melhor. E mais ainda quando li as efemérides: dia do professor de educação física e inicio da Semana da Pátria!

Imediatamente coloquei-me na posição de soldado, pousei a mão direita sobre o peito e comecei a cantar mais desafinado do que a Vanuza: "Ouviro dos Piranga..."

(uma digressão rápida, prometo: privacidade, hoje, é luxo. Quase todo mundo tem um celular que “tira retrato e faz filme”. Portanto se você, anônimo ou sub-celebridade, fizer alguma burrada em espaço público e até privado, corre o risco de “cair na net”. E depois não adianta pedir pro youtube remover o vídeo, porque já “espalhou” por aí. Exposição de imagem, é assunto pra outra vez )

Onde eu estava mesmo? Ah, sim, em casa, detonando o hino nacional. Eu me lembro bem da semana da pátria quando eu ainda estava na escola, há uns 300 anos como aluno: todas as manhãs deste período cívico nos enfileirávamos e cantávamos o “Ouviro dos Piranga” e acontecia o hasteamento da bandeira. E em nossos cadernos fazíamos duas faixas com lápis de cor, verde e amarelo, para lembrarmos do amor à Pátria.

Não é querendo bancar o saudosista até porque não tenho esse perfil, mas estive reparando este princípio de ‘Semana da Pátria’ nas escolas e na cidade em geral. Não há nenhuma menção ao fato, a não ser o jogo entre Brasil x Chile. As bandeirinhas e bonezinhos do Brasil estão à venda por "5 real"; o Hino Nacional está na contra-capa dos livros didáticos, mas a verdade é que pouca gente se arrisca a cantá-lo. Também, quem é que sabe o que significa “plácidas”, “retumbantes”, “penhor”, “lábaro”?

Mas não estou jogando a responsabilidade para a escola, afinal ela tem muitas atribuições como servir de posto para Bolsa-Família, creche, boca de fumo e até ensinar. Patriotismo, na minha humilde concepção, vai além de vestir uma camisa amarela, pegar uma bandeirinha, um bonezinho e berrar “Brasil, Brasil! Pen-ta-cam-pi-ão!” – isso é ufanismo bobo e muita gente confunde o meio de campo – pra isso já temos o Dunga; a melhor demonstração de “amor à pátria” que pode haver é exercer a cidadania e o espírito crítico. E isso, evidente, não deve ficar a cargo exclusivamente da escola.

Pensei nisso tudo enquanto terminava o “pátria amada Brasil” e logo fui prestar uma homenagem aos professores de educação física: o relógio deu o sinal, saí correndo, saltei as sujeiras que os cachorros das madames deixam nos passeios, driblei os buracos das ruas, arremessei o lixo numa cesta certeira de três pontos e cruzei a linha de chegada em cima da hora no trabalho! Melhor que as tradicionais 10 voltas na quadra! E a galera já cantava o hino do momento: “todo enfiado/ todo enfiado”!

22 comentários:

  1. Oii Groo!!

    Sobre o texto acima não tenho o que discordar, afinal tem tempo que não vejo as pessoas cantando o Hino, ou fazendo alguma referência a ele.
    Engraçado, minha mãe um dia falou que quando ela estudava no Rio de Janeiro, o diretor do colégio dela era uruguaio, dai ele obrigava a todos os alunos a aprender tanto o hino do Brasil quanto do Uruguai. Veja só? Hoje, nem mais o do Brasil queremos..
    Isso tudo me dá uma tristeza sabe, são pequenas coisas que se você parar para analisar, ver que realmente as pessoas estão perdendo a visão cada vez mais! Não enxergam as besteiras no senado, não se preocpam com a situação dos brasileiros, se há uma má qualidade na educação, na saúde e na segurança...tudo continua com um simples "normal". É realmente lamentável...

    Sobre a questão da professora, eu concordo com inúmeros aspectos do que você me respondeu, sei que o professor se constitui como um exemplo para a criança, mas veja que a dança da professora foi a mesma que o pessoal canta nas ruas, dança em casa, etc...não há diferença, só a questão da roupa, mas como falei no meu texto, outras dançarinas já tinha feito praticamente o mesmo, e Carla Perez puxa bloco de criança...Então Groo a coisa não foi tão absurda assim comparando ao que já se via por aí...Claro que eu não concordo com a música, com a dança, nada disso, não porque se refira também a sexualidade, mas porque acho que pagode só serve para falar mal da mulher em algum aspecto. Se a sociedade fosse livre, se as pessoas não tivessem preconceito com essas coisas seria normal falar "ela pode fazer o que quiser". Mas as coisas não funcionam assim, estamos inseridos num contexto, e tem que se pensar nele. Em relação a questão professora é o que eu acho, foi mais um fato para dar ibope. Mas tenho certeza que tem professor que faz coisas piores, mas é a realidade, quando se é professor tem que ser um exemplo, mas e o mundo que vivemos? Que exemplo magnifico essas crianças veem nos jornais todos os dias? Sabe, é tudo contraditório! Sem falar em outro território, também relacionado a educação. Muitas professores só passam mesmo o conteúdo lá e pronto, não há uma discussão sobre o mundo ou sei lá, é aula de português? Então tá, entro na sala dou minha e aula e pronto, acabou...Então em qual momento essa professora não teve uma postura descente? Eu só inocento mesmo a professora porque eu sei, pelas entrevistas que vi dela, que ela não tem conhecimento mesmo da causa feminista, e que é nessas pessoas que eu e muitas meninas queremos tocar para alertar mesmo que isso não está certo...Mas aí é outra história...
    E fico feliz por já ter professores analisando esse tipo de letra...Tem que ser alertado mesmo, estar atento pra isso, o pagode é mais uma forma de alienação do povo...Se no 'todo enfiado" as pessoas acham engraçado e maravilhoso imagine o que não vem depois, só está faltando mesmo o sexo explícito nos palcos, nada mais...

    ResponderExcluir
  2. Negro/branco/mula/to?3 de setembro de 2009 11:35

    Cara, conseguir desafinar mais que a Vanuza "toda enfiada" é definitivamente ainda estar em desgosto em setembro: "Ouviram a dos pirangueiros nas barbas..." O resto a gente já sabe, como você disse, está na contracapa.

    Se o amor está tão fora de moda, imagine o "amor à pátria"! Talvez fosse mais apropriado comemorarmos a "Semana do Sexo pelo Pátria!"

    Pensando bem, não daria certo. Seria uma semana como outra qualquer na vida comum de um compatriota comum, principalmente para os políticos. Eles, os "nossos"(Quanta possessão!) políticos já fazem isso ("sexo") livremente! Eles sim se divertem, trocam de posição e de parceiros quando lhes "dão na telha". E, quanto mais seus vídeos forem flagrados e disseminados na internet mais eles gozam ("dagente", com "agente" e "nagente"... Eca!) Ser patriota é isso: ser plácido com seus vícios retumbantes.

    Ser patriota é isso: "torcer" pelo "Brasil"(nós), "contra" a "Argentina"(o outro), agitando o lábaro da nossa dignidade penhorada num vídeo "todo entubado".

    Sine qua non

    ResponderExcluir
  3. Foi terrivel o hino nacional ser cantado daquele jeito pela cantora vanusa ,perto da semana da patria,e alias,por que ninguem fala dessa semana da pátria?O Brasil é tão importante.Aquela professora do todo enfiado é meio contraditória,ela se faz de coitadinha ,mas se aproveita.

    ResponderExcluir
  4. O senso nacionalista do brasileiro é muito baixo ... nos EUA vc passa em bairros residenciais e a bandeira americana está presente em 80% das casas.

    ResponderExcluir
  5. Salve, Jaimão!

    Aqui no Rio, o Governador aprovou uma lei que obriga que o Hino Nacional seja executado nas escolas, pelo menos, uma vez na semana. No colégio em que trabalho, isso já acontecia. Mas é engraçado. Primeiro porque as crianças não se entusiasmam pelo Hino. Em compensação, se eu aparecer com um CD de "Proibidão", todas cantam em coro e em uníssono! Uahahhaahha!!! Mas também, vamos combinar: que hino é esse?! Primeiro, ele é todo arrevesado! Não dava pra ser "Às margens plácidas do Ipiranga, ouviram o brado retumbante de um povo heróico"?! Longe de mim faltar com o respeito com o símbolo maior de nossa Pátria, mas, putz! Lábaro?! Plácidas?! Garrida!? Pelamordedeus, me arrumem um dicionário!

    Agora, em relação à Vanusa... Serinho?! Eu até gostei... Uahahhahahha!!! Evidente que não tô falando da nova letra que ela compôs, mas até que ela deu uma floreada bacana. Eu sempre gostei do Hino Americano cantado por aquelas negonas, sabecumé? Por mim, Vanusa abria a Copa de 2014 com sua versão pro Hino Nacional Brasileiro!!!

    Uahahhahahhahaaaaaaaaaaa!!!!

    Em relação à Semana da Pátria, concordo contigo. Claro que não chego nem perto de sua idade, afinal, sou quase um adolescente, mas tenho a mesma sensação. Pôxa, nem aquele filme com o Tarcisão fazendo papel de D.Pedro passa mais na Sessão da Tarde?!

    E discussões "hinárias" à parte, prefiro mesmo o do América (que, aliás, é plágio de um hino dos remadores americanos, o "Row, Row, Row"). Grande Lamartine!

    "Hei de torcer, torcer, torcer...
    Hei de torcer até morrer, morrer, morrer...
    Pois a torcida americana é toda assim
    A começar por mim
    A cor do pavilhão é a cor do nosso coração
    Em nossos dias de emoção
    Toda torcida cantará esta canção
    Tra-la-la-la-la-la
    Tra-la-la-la-la-la
    Tra-la-la-la-la
    Campeões de 13, 16 e 22
    Tra-la-la
    Temos muitas glórias
    E surgirão outras depois
    Tra-la-la
    Campeões com a pelota nos pés
    Fabricamos aos montes, aos dez
    Nós ainda queremos muito mais
    América unido vencerás!"

    ResponderExcluir
  6. Tanto se falou da Vanusa que eu fui conferir o vídeo que você postou no blog. Pensei que fosse apenas um errinho de nada, mas ela simplesmente cometeu um monte deles. Por isso que eu não gosto quando esses "artista(s)" são convidados a cantar o hino. Quando não enfeitam demais tornando-o meloso, cometem esses erros grosseiros como a Vanuza.

    Ah, detalhe. O cachê do fiasco saiu dos cofres públicos. Mas não temos do que reclamar. O brasileiro já se aceitou o rótulo de "trouxa" que os nossos políticos estamparam em suas testas.

    ResponderExcluir
  7. Fica clara a falta de patritismo brasileira ao se analisar o povo norte-americano. Este, orgulha-se em ostentar sua nacionalidade, honra o país em que nasceu, orgulha-se ao ser convocado a lutar na guerra em prol de seu país, discute com quem denigra a imagem de seu país e sempre está pronto a erguer uma bandeira , a cantar o hino nacional ou a comemorar o dia da independência norte-americana.

    Devíamos nos inspirar no exemplo não tão distante geograficamente e nos orgulhamos de ostentar a nacionalidade brasileira não só em Copa do Mundo de futebol.

    Muito boa postagem, Jaime.
    Abraços!

    ResponderExcluir
  8. Vanusa destruiu hino!
    terrível...

    ResponderExcluir
  9. Pior que cantar hinonacional prá cá, hinodocolégio prá lá, era - a cada vez que entrasse ou saisse alguém da sala - ter que levantar e falar em uníssono: "Viva Cristo Rei!" (Notre Dame Entra Burra Sai Madame, Ipanema, RJ, anos 60!) Cristo ENFIADO no cérebro é fogo!...

    ResponderExcluir
  10. Gente! Adorei seu blog! O que foi a Vanuza? E quanto a professora, se ela trocar de profissão: de professora a dançarina ou de professora a outras atividades condizentes com a dancinha... Com certeza ela vai ganhar mais e ser mais valorizada! rsrs Quem sabe uma futura BBB?
    Enquanto isso, todo dia eu danço "Todo enfiado" na escola onde trabalho. Porque o governo só "enfia" na gente e não vai parar no "You Tube". Por que será? rsrsrs

    ResponderExcluir
  11. oi, bom o texto está muito bem escrito.. você falou de muita coisa que realmente acontece começando pela charge.. Mas tem uma coisa que eu percebi e achei demais, eu não te conheço mas lendo esse texto deu meio de saber como você é, parece que quando a gente lê você está presente ali, como se estivesse contando uma história,quando leio cronicas de jornalistas locais de florianopolis e profissionais não sinto isso, gostei muito, parabéns!!
    Por acaso me espantei quando vi o nome BOLSA-FAMILIA, por que foi meu ultimo assunto de cronica que eu postei ontem , então se quizeres dar uma olhada ficarei agradecida, www.nossasblonicas.blogspot.com
    ....
    bom final de semana pra ti, beijos

    ResponderExcluir
  12. Oi Jaime!
    Em primeiro lugar, obrigada pela visita em meu blog. Para quem disse não entender nada de cinema, vc está falando muito bem.
    Indicar "Festim diabólico", mostra que vc tem bom gosto. Já assisti este filme e para mim é um dos melhores do fantástico Hitchckok.
    Highlander tem uma belíssima trilha sonora, uma pena vc não a ter conseguido.
    O exterminador do futuro, além de ser um excelente filme conta em sua trilha sonora com a música de um grupo que eu adorava. Guns n' roses foi um dos meus grupos preferidos na época de adolescente. Acredito que para todas as mocinhas daquela época tb.......rs
    Concordo com vc, eu detesto o Michael Keaton (super sem graça e um péssimo ator). Nunca entendi pq o escalaram para o papel. O que salva o filme foi o personagem coringa numa atuação maravilhosa de Jack Nicholson.
    Quanto à "televisão colorado" não me lembro desta marca. Muito bacana seu relato, sobre a gurizada que se reunia para assistir a “turma do lambe lambe”. Eu amava esse programa. A minha “Philco” deixou muitas saudades e durou até bem pouquinho tempo atrás (2002). Sinal de que os produtos antigos eram infinitamente melhores dos que os produtos descartáveis que compramos nos dias de hoje.
    Bem, agora vou falar um pouco sobre seu texto. Muito bem escrito.
    Como vc, há uns cem anos atrás, no colégio onde estudei o ensino fundamental, antigo ginásio, todos os dias de manhã, éramos obrigados a cumprir uma rotina: hastear a bandeira, cantar o hino nacional e rezar o pai nosso (o diretor do colégio era católico). Embora achasse aquilo chato e maçante, conseguia compreender o espírito da coisa (eu era brasileira e como tal, deveria aprender a letra e aprender a cantar o meu hino que era o símbolo de meu amor a minha pátria), pelo menos era isso que o inspetor responsável pela execução de tal ritual, nos falava diariamente.
    Concordo com vc e com Marcelo quando dizem que a letra é difícil e complicada (já é para um adulto, imagina para uma criança). Bem ou mal o colégio tentava nos ensinar um pouco sobre sermos patriotas. Hoje perdemos isso. A atual geração não sabe nem o significado desta palavra "patriotismo".
    Na verdade, o Brasileiro em si nunca foi patriota. Não aprendemos de fato o significado e o sentido real dessa palavra. Nesse aspecto, os EUA são um referencial de povo verdadeiramente patriota. A única coisa que nos ensinaram sobre ela e estão ensinando é que de quatro em quatro anos, devemos nos unir e torcer pela nossa seleção "símbolo maior de nosso amor ao Brasil". Uma pena!
    As charges são desenhadas por vc?
    Um abraço.
    Cintia Carvalho.

    ResponderExcluir
  13. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  14. Cintia,
    não concordo do ponto de vista de que aprender a letra e cantar o hino deva ser um dever, imposto pela escola, para que o estudante, e assim o cidadão brasileiro, seja patriota.

    O patriotismo deve ser algo que surja como costume de um povo, de forma natural e espontânea deve-se honrar sua nação. Não pode ser um ritual o que inculte na cabeça dos cidadãos o patriotismo.

    ResponderExcluir
  15. Oi Jaime!

    O pseudo-ufanismo de Copa do mundo não deve ser mesmo confundido com o verdadeiro amor ao Brasil. Também é dose vermos Vanusas por aí esculhambando o hino, tornando-o num "ino" de péssima qualidade.

    Hmmm..Não tenho um pensamento bem definido sobre essa questão do hino nas escolas e tal. É que acho uma hipocrisia obrigar os estudantes a cantá-lo toda a manhã, pois isso não faz nascer uma brasilidade ou um caráter patriótico na criança - às vezes até muito pelo contrário. ahah Ainda assim, ele não deve ser esquecido, devemos saber a letra inteira e não pagar vexames (ainda mais publicados no youtube). Me envergonho ao dizer que me confundo na segunda parte da letra, mas acho válido estudar as palavras para não trocá-las mais. Farei o meu melhor. rs

    Beijos,
    Bia

    ResponderExcluir
  16. Olá Jaime,

    Já tive oportunidade de ler seus textos (postados aqui no Grooeland) mas, desconhecia seu "dom" de escrever crônicas. Sim pois, na minha humilde opinião...nem todo mundo que escreve bem...consegue ser bom cronista.
    É difícil achar o "tom" certo, ou seja, abordar um tema com leveza e humor.
    Acho sinceramente que somos um país carente de cronistas. Você poderia investir mais nesse estilo viu!
    Parabénsss! Fê

    ResponderExcluir
  17. Qto ao desempenho da Vanusa interpretando o Hino Nacional...lastimável né? O que será q ocorreu naquele exato momento??? Amnésia???
    Concordo que o hino brasileiro é difícil pois, é composto de muitas palavras rebuscadas. Mas, ela como cantora deveria ter ensaiado (para não desafinar, nem esquecer a letra).
    Ela tem uma certa representatividade musical mas, demonstrou despreparo total. Não que um cantor não possa errar...não é isso. Mas, acredito que quando surgiu o convite...ela já estava ciente do desafio. Lamento! Ficou feio...muito feio!

    ResponderExcluir
  18. Se tem uma coisa que nunca fui é ser patriota.
    E não tenho nada contra o meu aís,mas sei lá, semprefui doidíssima pra conhcer outros lugares e não me apeguei muito.
    Mas confesso que depois de visitar o Rio de Janeiro achei que vai ficar meio difícil algum outro lugar superar tanta beleza e poesia.
    Meu patriotismo deve se expressar no amor que desenvolvo por algumas cidades.

    Beijão pra você! Obrigada por visitar sempre meuhumilde blog =)

    PS:Adoro suas charges!

    ResponderExcluir
  19. Nossa,acho que foi o comentário mais analfa que já postei,rsss,malz pelos erros!!!

    ResponderExcluir
  20. Jaime, meu amigo... Eu concordo plenamente com você quando diz que patriotismo não é vestir uma camisa verde e amarela e gritar Brasil sil sil. Eu sou meio hippie rsr é sério rs. Eu me orgulho do Brasil (depois que vc entrevista um monte de gente e encontra histórias incriveis, vc percebe que há com o que se orgulhar), mas é lógico que não sou ufanista, odeio isso. Acho inclusive uma falta de respeito com o país porque o Barsil não é só futebol e mulatas gostosas. O Brasil é tão diversificado, é um mosaico de crenças e cores tão impressionante que as pessoas não o entende, ainda não sabem qual é a sua identidade pelo fato de estarem procurando uma dentre as várias. A real mesmo é que o Brasil é plural e isso já é uma identidade. Pelo menos pra mim. rs

    Ah! Eu adoro o Hino Nacional. Sério. Acho lindo. Quando eu era criança era a música que eu mais gostava junto com a abertura de yuyu Hakusho. O hino da bandeira tbm é bonito. Eu gosto dessas músicas e sempre gostei de cantar na escola. (eu devia ser uma criança insuportável mesmo rsrs), mas nem todo mundo gostava. rs Eu estudei em escola pública, e olha, lá o pessoa odiava cantar o hino e os professores não demonstravam tanto amor pela pátria assim... Tbm, ganhando 900 reais quem demonstraria, né?

    Abração, JaimE!!!

    ResponderExcluir
  21. Sou fã desse seu humor inteligente. Muito fã mesmo.Adoro essa sua hironia com um forte toque de sábias verdades.

    Também acho que amor à pátria é exercer a cidadania e não apenas torcer pela seleção.

    ResponderExcluir

Agradeço sua visita e o seu comentário! É sempre bom receber o retorno dos leitores.

Todas as opiniões são livres, porém não serão aceitos comentários anônimos e tampouco comentários ofensivos, discriminatórios e que não prezam pelos princípios da boa convivência - o autor do blog reserva a si o direito de excluir comentários com tais temas.

Volte sempre! =)

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails