sábado, janeiro 31, 2009

Tá velho mas tá pago!

Com um calor de rachar em um carrinho popular sem ar-condicionado, ao menos os Beach Boys eram companhia agradável neste trânsito maluco da São Salvador de Todos os Santos. Apesar de rolar “Fun fun fun” no cd, eu não tinha motivos para me alegrar: acabara de doar para o governo a bagatela de 400 mangos no pagamento do famigerado IPVA ( quer saber pra que serve o IPVA ao menos teoricamente? Clique AQUI).

Guiava meu teco-teco pelas ruas e pensava nos custos para se manter um carrinho. É muito dinheiro. Só de impostos e licenciamento, é uma pequena fortuna. Gasolina, então, nem se fala. Dizem que um cara inventou um carro movido à água e desapareceu. Os chefões do cartel do combustível deram fim nele. Adoro essas teorias conspiratórias de boteco!
E graças à eficiente segurança pública que temos, um seguro é fundamental. Se o dinheiro não der, o jeito é botar um alarme que só faz barulho (até hoje não sei a utilidade desses alarmes). Talvez uma trava. Correntes e cadeados na direção. Ou então o santinho de São Cristovão no vidro do carro. E é bom pedir ao santo uma forcinha pro carro não pifar - e aí é hora de lidar com mecânicos e peças. Tende piedade, São Cristovão!

Eu cantarolava “Help me Rhonda” (meu carro é Fiat da P...) trafegando por uma rua tranquila quando me deparo com uma verdadeira pérola: um Chevette, de cor bege, caindo aos pedaços, todo detonado. Devia ser ano 77 ou 79 . Mas andava, sabe lá Henry Ford como! Há quanto tempo não via um Chevette! O que me chamou a atenção mesmo foi o letreiro pintado à mão na lataria do carro, na parte traseira (onde deveria existir um pára-choque):
Até agora esta foi a melhor frase que li em adesivos ou letreiros em carros neste ano. Deve ser até antiga, mas é a primeira vez que eu vi. Gosto de prestar atenção nesses adesivos e letreiros que o povo cola nos seus automóveis. A maior parte não tem graça: “Jesus é meu guia”, “dirigido por mim, guiado por Deus”, “Coração apaixonado”, “Quer emagrecer? Pergunte-me como” e mais um monte de outras frases nada originais, isso sem contar nas bandeirinhas de países europeus (geralmente Espanha e Portugal) para o dono mostrar que tem "descendência européia, seus pobres tupiniquins" ( um dia escrevo sobre isso). Que saudade dos pára-choques de caminhão!

O que eu achei mais sensacional em “Tá velho mas tá pago” ( ele não paga IPVA – carros com mais de 20 anos de uso estão isentos) foi o debochado recadinho a uns novos-ricos que circulam pela cidade com seus possantes carros 0km e não tem nem onde cair duro. Não sei se o dono do Chevette lê jornal, mas eu leio e estava lá: Inadimplência em compra de carros é a maior da história.

Para Miriam Big Pig até os furos nas calçolas são culpa da apocalíptica e devastadora crise. Mas e se o fulano compromete metade do salário num financiamento de uns 72 meses para comprar um carro zero? Claro, as taxas de juros, mas e a taxa de simancol do fulano pra não se meter em dívidas e mais dívidas? É que estou pensando no vizinho do terceiro andar e você deve conhecer algum assim: o cara todo mês atrasa o condomínio, mas o carro na garagem é zero, novinho. E tem ar condicionado, vidros elétricos, umas rodas invocadas e,é claro, tem som potente pro mané mostrar para todo mundo seu excelente gosto musical. O síndico já tá de olho no sujeito.

Já faz certo tempo que li uma frase interessante, não me lembro onde: "carro não serve para fazer você chegar a algum lugar; carro serve para mostrar onde você chegou". Tem lógica. Vejo umas pick-ups enormes por aqui ( em Salvador, a cidade onde as ruas são estreitas e lá do tempo do rei) e sempre faço a mesma pergunta: “pra que diabos esse cara quer um carro deste tamanho?”. É, pode ser isso aí mesmo que você pensou.

Passei o velho Chevette, dei um toque de buzina, e o motorista retribuiu. Não vi a cara do sujeito e nem me interessava. O carro, detonado e já nas últimas, tornara-se simpático, até. Talvez o dono queira um carro mais novo; talvez ele queira mesmo reformar o Chevette, todinho. Vai saber. Enquanto isso os Beach Boys tocavam “Wouldn’t it be nice”, que inspirou o jingle para uma propaganda de conhecida pick up – por "apenas" o custo de uma casa, com juros “camaradas” e planos de até 100 meses para pagar!

Sei não...daqui a algum tempo, acho que serei eu a estampar no meu carrinho um “tá velho mas tá pago”.

5 comentários:

  1. "Ta velho mas tá pago"

    Essa é boa cara

    shaushasas
    http://ownedando.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Sabe que tem uma crônica do Rubem Braga (acho), falando sobre parachoque (como se escreve isso, com a nova ortografia?).
    É fantástica. Hilária!
    Li nos meus tempos de rata (adolescente) de biblioteca e guardei, para sempre, na minha memória afetiva.
    Se achar, eu mando. Certeza! :P

    E, a frase do cara é genial. "Tá v elho, mas tá pago!" ADOREI!
    O meu carro, ainda é do Itaú...
    Risos.

    Outro dia, peguei carona com uma amiga minha de trabalho. Uma senhorinha. Pós-doutora.
    Eu, toda de boca calada, só ouvindo, claro.
    Aí, um desses carros, do tamanho de um prédio, cortou, com tudo, todo mundo que estava no caminho.
    Eu só ouvi a minha amiga gritando:
    - Vai seu cabeça de ostra com pinto pequeno.
    Gargalhei de tanto rir.
    Pense em uma velhinha intelectual gritando isso...
    :)

    Beijo.

    ResponderExcluir
  3. Além do texto ser explicativo (eu não sabia que carros com mais de 20 anos de uso são isentos)tem um toque que acho divino , a irônia , ai, adoro essa picardia em textos.Fica gostoso de ler, a leitura fica mais interessante. E isso, vc faz muito bem.
    E qts as frases em caminhões, estou na lista dos que adoram .Gosto tb de frases escritas erradas em placas estabelecimentos ou casas. Já viu?
    E sobre o carro de seu vizinho do terceiro andar, entendo perfeitamente, aqui tenho um assim. O carro todo bonitão, zerinho e tão cheios de acessórios (parece um canivete suiço)e a casa caindo aos pedaços, caindo mesmo, uma parte de seu muro caiu aqui e deu pano p/ manga, pq caiu no canteiro que a vizinha tem, encostado ao muro dele, que divide os dois quintais. E sei que a vizinha além de ficar sem seu canteiro ( que cá entre nós, eu achava um baita sacrifício p/ a pobre criatura. Ela levava 2 hs p/ se abaixar e mais 3 hs p/ se levantar qd acabava o serviço, sem contar nos 3 dias de cama , devido a coluna estropiada) ainda teve que fazer o muro sozinha, pq ele disse que não tinha dinheiro no momento.
    Ah, se vc tiver um tempinho livre , visite o http://www.babelpontocom.blogspot.com/ tem uma entrevista que a Letícia fez comigo e com meu marido, sobre a CGfilmes.
    Beijinhos!!
    http://www.babelpontocom.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  4. Ainda chego lá, nem que tenha que amarrar o pára-lamas com barbante ou improvisar uma cadeira de sol no banco do motorista. =p

    ResponderExcluir
  5. hahaha.
    Adorei a parte que vc diz: "carro não serve para fazer você chegar a algum lugar; carro serve para mostrar onde você chegou".

    mas meu cérebro limitado não deixou que eu entendesse o final do paragrafo. =/

    É muito bonito ver o amor que alguns tem pelas suas latas velhas(to vendo muito Caldeirão do Hulk)...E mais do que justo que possam desfrutar um pouco de suas máquinas sem pagar impostos.

    Obrigado pelas visitas frequentes ao meu blog.

    ResponderExcluir

Agradeço sua visita e o seu comentário! É sempre bom receber o retorno dos leitores.

Todas as opiniões são livres, porém não serão aceitos comentários anônimos e tampouco comentários ofensivos, discriminatórios e que não prezam pelos princípios da boa convivência - o autor do blog reserva a si o direito de excluir comentários com tais temas.

Volte sempre! =)

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails