segunda-feira, setembro 16, 2013

A fome é uma obscenidade


Parar em um semáforo e distrair-se com alguma coisa não é recomendável em tempos de assaltos e violências desmedidas nas grandes cidades, mas a cena realmente chamava a atenção: três mulheres revirando a carroceria de um caminhão de lixo que estava parado próximo a um pequeno supermercado.

As mulheres pegavam os restos de frutas, verduras e legumes descartados pelo estabelecimento e colocavam tudo dentro de um grande saco; no minuto em que vi esta cena, um dos coletores de lixo apareceu e fez gestos que demonstravam impaciência ou talvez a disposição em expulsá-las dali – não pude ver mais porque os carros atrás de mim começaram a buzinar alertando para o sinal verde. 

Também não é nada recomendável dirigir distraído, mas ao observar aquela cena imediatamente lembrei-me do poema de
Manuel Bandeira, chamado “O bicho”:


Vi ontem um bicho
 
Na imundície do pátio
Catando comida entre os detritos.
Quando achava alguma coisa,
Não examinava nem cheirava:
Engolia com voracidade.

O bicho não era um cão,
Não era um gato,
Não era um rato.
O bicho, meu Deus, era um homem.


Coincidentemente isso aconteceu na semana em que a Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO) divulgou um relatório que traz um fato estarrecedor: aproximadamente 1,3 bilhão de toneladas de alimentos são desperdiçados anualmente em todo o mundo. Com tantos alimentos e com tecnologias que facilitam a produção, o transporte e a distribuição, é inadmissível que no século XXI ainda tenhamos 1 bilhão de pessoas passando fome no mundo. Josué de Castro, intelectual brasileiro que estudou a fundo tal problema, dizia que a fome (ao lado da guerra) é " uma criação humana" - ou seja, definitivamente não se trata de falta de alimentos

Além da questão política, desde os tempos de escola que eu ouço sobre o Brasil ser “o celeiro do mundo” por conta de seu imenso potencial para a produção agropecuária - e pelo visto um grande potencial também para o desperdício, pois nada menos do que 26 milhões de toneladas de alimentos vão parar no lixo. Nas feiras livres, nos supermercados ou mesmo em casa são diversos os motivos que levam ao desperdício e é angustiante saber que a quantidade de comida jogada no lixo poderia alimentar milhares de pessoas. Iniciativas como os Bancos de Alimentos são excelentes, mas também podemos ajudar com pequenas atitudes de consumo consciente.

A escritora
Hilda Hilst afirmou que a fome (e a miséria) é uma obscenidade. É realmente obsceno ver pessoas fuçando a carroceria de um caminhão de lixo ou mesmo lixeiras e depósitos em busca do alimento para elas e até para os filhos. E ao relembrar as tantas vezes em que já desperdicei alimentos ao longo dos anos, fiquei envergonhado com minha própria indecência. 
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...