domingo, fevereiro 05, 2012

Greve da Polícia Militar na Bahia


(charge de Alpino, do blog do Alpino - AQUI

Não pretendia publicar algo sobre a greve da Polícia Militar na Bahia aqui no blog, ( já estou com outro texto pronto) mas foi inevitável diante da proporção do movimento e pensei que poderia expor o que eu penso por aqui sem risco de censuras. Peço desculpas aos meus 4 ou 5 leitores, mas é também quase um desabafo de alguém desanimado com determinadas posturas políticas. 

Como a greve começou

A greve dos policiais militares começou de forma tímida, quase isolada, a partir de uma assembleia da ASPRA – Associação de Policiais,Bombeiros e seus familiares - na terça-feira dia 31 de Janeiro. O comando  da Polícia Militar do Estado da Bahia não reconheceu a greve. Na quarta-feira, dia 01/02, o governador Jaques Wagner estava em Cuba acompanhando a presidente Dilma Roussef em visita àquele país. O vice-governador Otto Alencar, com informações do comandante da PM e do secretário de segurança pública, afirmou que tudo estava “sob controle”.

Na manhã de quinta-feira, dia 02, a Justiça decretou ailegalidade da greve atendendo requerimento do Estado. O movimento dos grevistas cresceu e o caos tomou conta da capital e do interior no final da tarde, com notícias de saques, arrastões e assaltos – muitas informações não passavam de boatos, porém muitas ações violentas eram confirmadas tanto pelaimprensa como pela própria Polícia Militar. Somente no período entre a meianoite e 7 da manhã do dia 03/02 ocorreram 17 assassinatos em Salvador e Região Metropolitana.

Somente no dia 03/02 - muito tempo depois - o governo resolve tomar providências e pede ajuda ao governo Federal: mais de 2 mil homens da Força Nacional doExército chegam à Bahia para auxiliar na segurança e restabelecer a ordem.

Maus policiais e a letargia do governo estadual


Infelizmente alguns maus policiais resolveram utilizar métodos condenáveis para manifestarem seu descontentamento com o governo: com armas em punho pararam o trânsito em uma das principais avenidas de Salvador e, como se diz, “tocaram o terror” entre a população. As reivindicações são justas, porém quaisquer atos de vandalismos são lamentáveis e condenáveis.  

Contudo não podemos eximir a responsabilidade do governo do Estado da Bahia, que tratou com desdém a greve logo no seu inicio e o movimento cresceu, com mais de 10 mil policiais aderindo à greve em todo o estado. Quando o governo finalmente percebeu o quão amplo era o movimento, já era tarde: além da capital, muitas cidades importantes do interior baiano praticamente "pararam" por causa da greve, como Feira de Santana - nem mesmo os rodoviários do transporte coletivo circularam na sexta-feira, dia 03. E foi notícia até no exterior

Decepção

Tratar com desdém movimentos grevistas é uma prática do governo Jaques Wagner, por ironia um ex-sindicalista. Em 2007 os professores da rede estadual entraram em greve e assim permaneceram por quase 2 meses – o governador chegou a cortar o salário dos professores; em 2011 os professores das Universidades estaduais da Bahia também entraram em greve por 2 meses e a atitude do governador foi a mesma: cortar os salários – que já são baixos e além disso o governo insiste em não pagar uma diferença salarial (URV) que foi inclusive determinada pela Justiça. Aliás, o tratamento do governo aos servidores públicos estaduais é decepcionante para quem esperava por mudanças significativas com o fim do carlismo.

Partidarismos, “PIG” e cegueira

Quando acontece uma greve deste porte é comum surgirem oportunistas partidários – como ACM Neto, esquecendo da greve da PM em 2001 quando o carlismo de seu avô dominava a Bahia – mas dizer que esta greve não passa de um “movimento de um sujeito ligado ao PSDB e orquestrado pelo PIG” é um exagero e é deixar levar-se por um partidarismo cego, além de desmerecer as reivindicações dos policiais - que já discutiam a questão salarial e outros direitos desde o ano passado.

Sim, é verdade que o líder grevista pela ASPRA é filiado ao PSDB e tentou eleição para deputado; sim, sabemos que a Globo, a VEJA, a FOLHA e outros veículos de comunicação possuem um histórico de manipulações e posturas antidemocráticas – por isso o termo “PIG” como referência ao “Partido da Imprensa Golpista”: contra o “PIG” as redes sociais e alguns blogs contam com o apoio de militantes de esquerda (em maior parte simpatizantes ou partidários do PT) e blogueiros conhecidos como “progressistas”.

No entanto até o dia 03/02, com 17 mortos na região metropolitana de Salvador, com a convocação do exército, com as notícias (verídicas) de saques e 10 mil policiais em greve, não vi uma linha sequer nos chamados “blogs progressistas” e até mesmo por parte dos militantes nas redes sociais. Só passaram a comentar após a greve tomar espaço nos jornalões e emissoras de TV em rede nacional – mas aí, claro, a greve era toda uma “orquestração do PIG”, causada por uma única pessoa (!) ligada ao PSDB e eximiram o governo Jaques Wagner de qualquer responsabilidade. E ai de quem fizesse uma crítica ao governo baiano.

Eu, “tucano e saudoso de ACM”

Estou muito à vontade para falar do governo Jaques Wagner: votei nele na primeira eleição - e sempre no Lula para presidente - e vibrei com a derrocada do carlismo na Bahia. Nunca tive afinidades ideológicas com partidos como PSDB e DEM ( antigo PFL) e  durante muito tempo li revistas como “Caros Amigos” e “Fórum”. Ainda assim fui chamado de “tucano”; fui bloqueado e “deletado” por perfis no twitter e tive comentário em blog/site recusado por fazer críticas à atuação do governador Jaques Wagner, que é do PT. E ao comentar sobre minhas impressões com alguns militantes aqui em Salvador perguntaram se eu “estava com saudades do carlismo”. 

O (pobre) debate político no Brasil

Sem generalizações - ao passo em que há fanáticos em todos os setores e principalmente quando lidamos com política partidária, também temos excelentes quadros para se discutir política - o debate político no Brasil, hoje, é praticamente um maniqueísmo quase infantil: “Eu, PT, bonzinho; você, PSDB, tucano malvado.” ou “Eu, PSDB, bonzinho; você, PT, petralha.”. Tais posturas em nada contribuem para a democracia e demonstram a pobreza de um debate político mais consistente. Comentários em alguns sites e blogs de tendência “progressista” que tragam alguma crítica ao governo são alvos de ataques e até mesmo chacotas - quando publicados. Condenar a falta de democracia, a intolerância às opiniões e liberdade de expressão atribuídas ao “PIG” e agir desta maneira ( nem todos agem assim, evidentemente) é uma contradição gritante. O espírito crítico passa longe em tais situações.

Apenas paz, só isso!

No bairro onde moro houve poucos registros de assaltos e arrastões. Mas fiquei “preso” em casa, é claro. O clima de insegurança é muito grande e a violência, real: a jornada pedagógica em uma das escolas onde leciono, à noite, foi suspensa – no bairro onde a escola está localizada houve saque e arrombamento de supermercado e um músico do grupo Olodum foi assassinado. Na praça do bairro onde moro, local com grande atividade comercial, poucas lojas arriscaram abrir suas portas e ainda assim com horário reduzido e segurança particular de prontidão. No sábado, dia 04, o exército estava lá na praça, quase na esquina de casa. Assustador. E nesta segunda, dia 06, é o inicio do ano letivo para os alunos da rede pública. Mesmo com a presença do exército a violência não dá trégua. Haverá segurança para  mais de 1 milhão de estudantes e 40 mil professores na Bahia, inclusive no turno da noite? Tudo o que os baianos, soteropolitanos, radicados e turistas querem é paz, tanto na capital como no interior.

Recomendação

O amigo Wander Veroni escreveu em seu excelente blog Café com Notícias um artigo bastante lúcido sobre a greve da PM na Bahia. E muito gentilmente incorporou à sua postagem o meu comentário sobre a greve dos policiais. Meus agradecimentos e parabéns ao Wander pela postura democrática.   

40 comentários:

  1. Pessoal:

    Estou seguindo alguns blogs que infelizmente não estão aparecendo em minha "Lista de Blogs" aí na coluna ao lado.

    Quando seleciono os blogs para serem mostrados nesta lista on line, o blogger não está salvando. Espero que isso seja resolvido logo para que eu possa conferir as atualizações de ótimos blogs que descobri recentemente.

    Grato! :)

    ResponderExcluir
  2. Então.
    Está lastimável a situação.
    Um monte de amigo meu cancelou a ida pra Salvador...
    Daqui a gente vê o desespero. É desolador.
    O brasileiro é desumano. E não tem fim.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Poxa, Denise...mas não dá pra recomendar que ninguém venha mesmo para a capital baiana por estes tempos.

      É lamentável.

      :(

      Excluir
  3. Oi Jaime,

    Excelente a sua análise sobre a questão. O que percebo, como também moradora de uma capital no Nordeste, é a ausência de política pública para questões de ordem social. Vejo o caso da segurança pública relevada a condição de controle social, sem nenhuma proposta para diminuir os indicadores, que poer sinal, nesses lados, é taxa de homicídio maior que Honduras.

    Chama atenção porque em Fortaleza, movimento semelhante aconteceu no final do ano e passados alguns dias, ninguém lembrava que ficar em casa com receio é estado de sítio ou guerra.

    Lamento, independente de ideologia política qualquer manifestação que entenda que há necessidade de armas no ar.

    Beijos.

    Lu
    http://lucianasantarita.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Luciana,

      você citou bem a questão das políticas públicas. Tanto no setor da segurança quanto na educação, saúde, moradia e outros setores há um descaso governamental gritante.

      E hoje, nesta segunda-feira, parece que as coisas estão piores por aqui. Espero que isso termine logo.

      Beijo e obrigado!

      Excluir
    2. ISSO É PARA TODOS AQUELES QUE NÃO CONHECEM A REALIDADE DA POLÍCIA MILITAR DA BAHIA E POR ESTE MOTIVO FALAM BESTEIRAS:
      A POLÍCIA SOFRE ORRORES EM SEU TRABALHO. SOU PEDAGOGA E TRABALHEI EM ECOLAS PÚBLICAS, UNIVERSIDADE, PRESÍDIO E ATÉ VENDENDO COISAS NA RUA E EM TODOS ESTES ESPAÇOS A POLÍCIA ESTVA PRESENTE. VAMOS MAIS AFUNDO:QUEM É QUE CHAMAM QUANDO TEM UM MALUCO NA RUA BATENDO EM TODO MUNDO? A POLÍCIA E NAO UM PISICATRA; QUEM É QUE CHAMAM QUANDO ACONTECE BRIGA ENTRE MARIDO E MULHER? A POLÍCIA E QUANDO CHEGAM À DELEGACIA A CRIATURA NEM QUER DAR QUEIXA; QUANDO ASSALTAM, ESTUPRAM E MATAM QUEM É QUE CHAMAM??? A POLÍCIA, E QUANDO RESOLVE A CITUAÇÃO EM FAVOR DO CIVIL MATANDO O ASSALTANTE MESMO BENEFICIANDO A TODOS A POLÍCIA É ERRADAAAAAA. QUEM DESCE EM BOCADAS? QUEM TROCA TIROS ????ETC ETC ETC....NAO VAMOS NOS ESQUECER QUE TODOS ESTES TEM FAMÍLIAS ASSIM COMO VOCES... E SEM FALAR Q ACREDITAM EM TUDO QUE MÍDIA DIVULGAM E AQUELES QUE SE ACHAM INFORMADOS NAO VAO PPROCURAR SABER DO PRÓPRIO PROLICIAL SE TAIS BADERNAS FORAM REALMENTE REALIZADAS POR ELES, ETC, ETC E ETC... É MUITA IGNORÂNCIA PQ NINGUEM RECONHECEM OS ESFORÇOS DESTES BRAVOS HOMENS QUE NAO MERECEM A POPULAÇÃO QUE TEM.
      MICHELE SANTANA

      Excluir
  4. Oi Jaime! Parabéns pelo artigo. Depois que li consegui me inteirar ainda mais sobre o assunto. E muito obrigado por linkar o post do Café com Notícias à sua postagem. Também irei fazer o mesmo. Infelizmente, a crítica política no Brasil virou algo partidário. E isso é muito chato pq os próprios políticos não sabem entender a importância da crítica para melhorar a sua atuação como representante do povo. Estou aqui na torcida para que a situação da segurança pública daí da Bahia se resolva o quanto antes. Infelizmente, não tem como fazer política sozinho. Política se faz em conjunto. E o povo brasileiro está carente de bons políticos. Um forte abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Wander!

      Eu é que tenho que agradecer pelo seu Café com Notícias.

      Concordo plenamente: discussão política, hoje, virou discussão partidária - com exceções, é claro. Essas visões unilaterais que alguns militantes e políticos mantém não contribuem em nada para o debate.

      O povo brasileiro está carente de bons políticos, mas também precisa tratar as questões políticas com maior seriedade e maior atenção.

      Um abraço!

      Excluir
  5. Artigo excelente, (como sempre)!
    Precisamos de pessoas como você, analisando a situação além da superficialidade.
    Sem mais comentários,só posso unir-me ao seu apelo por paz. E que não demore!

    (maldita imprensa que não divulga corretamente....)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, Marina!

      É, a imprensa só começou a dar maior atenção ao que está acontecendo aqui na Bahia quando o exército chegou. E tomara que essa greve termine logo.

      Excluir
  6. Parece que para algumas pessoas tudo se trata de um duelo, onde vc tem q escolher um lado e atacar o outro de toda e qualquer maneira, incusive apontando os problemas do seu lado como consequência dos erros cometidos pelo outro. Mas e os meus erros? Não, mais importante é apontar o erro do "inimigo", admitir os próprios erros podem enfraquecer a causa.
    Particularmente tenho medo de pessoas que estão o tempo todo com alguma bandeira em punho, tenho a impressão q estão prontas para bater nos outros com o mastro da bandeira... rsrs
    Sobre o número de homicídios, na minha completa ignorância, considerando q Salvador é tida como uma das capitais mais violentas do país, esse número é realmente tão culpa da greve assim? Tenho lá minhas dúvidas.

    Bom, espero q as coisas melhorem por aí.
    bjohnny!

    (a propósito e o campeonato baiano? tem policia dentro do estádio e não tem policiamento nas ruas, é isso mesmo produção?)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É verdade, moça cabofriense; e se você chegar perto destas pessoas é até possível reparar na baba escorrendo pela boca rsrs

      Olha, sobre o número de homicídios - que é realmente elevadíssimo em Salvador - está mesmo acima da "média" durante o período de greve. Agora também é verdade que alguns casos que passariam batido nas "estatísticas" - como o assassinato de moradores de rua - passaram a "contar".

      E aí no RJ já existe uma movimentação por aí, não é?

      Bjks!

      ( É isso mesmo, produção: ontem uma das partidas demorou 20 minutos para iniciar - só quando o exército apareceu é que teve bola rolando. Agora, na volta às aulas - que o governo irresponsavelmente mantém - não há segurança. É mesmo o país do futebol!)

      Excluir
  7. Oi Jaiminho... concordo plenamente quando vc fala que o governo sempre trata com desdem os movimentos grevistas. Eu imagino que vcs devem estar extremamente revoltados com tudo o que anda acontecendo e tbem concordo que "tocar o terror" não foi a melhor solução para a polícia. Assim como o governo sequer parece ter conseguido levar a situação de forma equilibrada. De certa forma, o caos está instaurado na política há long time, e eles não fazem naaaaada para que isso mude!

    É um assunto polêmico, porém necessário.

    Participei de apenas uma greve, em minha vida como professora de escola pública, mas participarei de tantas quantas forem necessárias, se isso for o que a categoria decidir e tbm participarei os movimentos, como fiz na última greve da educação municipal aqui de Gyn. Sabemos que um dos grandes problemas que enfrentamos, é realmente a falta de união e conscientização enquanto categoria que insiste em continuar dividida(de forma alarmante)! Desculpe mudar um cadim o rumo da prosa, mas sacomé, né!? Qdo o assunto entra um pouco na educação, acabo me empolgando demais!


    bjinhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Joicy!

      Olha, isso é verdade mesmo: quando há greve de professores o movimento é tratado com desdém - e neste caso tanto por parte do governo e também por uma parte da população, sabe? E o papel da imprensa, quando há greve de professores, em muito caso é deplorável: falam o tempo todo que "os alunos estão sendo prejudicados". Ora, os alunos são prejudicados a partir do momento em que são matriculados em uma escola ruim, uma escola sem segurança, uma escola sem professores de disciplinas como Matemática e Química, uma escola com professores com carga horária insana, enfim, aqueles problemas que todos sabemos.

      E posso falar uma coisa? A categoria mais dividida e desunida que existe é a dos professores - ao menos da educação básica. E pelo o que eu vejo aqui na Bahia, sabe? Não sei como é é Gyn ou outras cidades e estados, mas aqui...é duro, colega! rs

      Nada, Joicy, adorei seu comentário, como sempre você tem muito a acrescentar.

      bjs

      Excluir
  8. Jaiminho,
    meu bichinho!
    Tudo bem? Fora essas questões aí?
    Vou te ser bem sincera, estava até agora um tanto por fora desse assunto, pouco li e quase não assisti nada, por isso este teu post tem valor redobrado.

    Confesso que não sobrou muito para comentar, tendo em vista estar um tanto completo, mas apenas reitero a questão da falta de interesse por parte dos governantes, a letargia do poder público, o clima de rebelião civil (e se formos perceber é globalizada, o mundo está em clima de rebelião civil...), e o quanto uma situação pode agravar-se se nenhuma medida eficaz é tomada, bem como medidas políticas que contemplem à população, gerando assim a insegurança do cidadão-comum, entre outras coisas de natureza básica que são rechaçadas e/ou desconsideradas.

    Ótimo post!

    Beijinhos e te cuida :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cissinha,

      tá tudo bem comigo, sim, tirando o fato de que eu estou "entocado" em casa hahaha Minto, com a chegada do exército eu até saí no sábado pela manhã, mas foi bem rápido. O que deu para perceber é que o exército está com presença forte na região central e nos pontos turísticos. O diacho é nas periferias e nas vias de acesso. Tá tudo muito tenso até agora. ( 06/02, segunda-feira pela manhã)

      Eu concordo contigo e ótima observação sobre as rebeliões civis: estão mesmo disseminadas por muitos lugares. Bom, aqui pelos lados do Brasil é preciso antecipar a algumas situações. Por exemplo, no Rio de Janeiro: existe uma movimentação da Polícia Militar de lá - e não é de hoje. A hora de negociar, de tentar acalmar os ânimos é ANTES do movimento "explodir". O governador da Bahia admitiu que de certa forma foi surpreendido pelo fato do movimento grevista aqui no estado chegar a tal estágio.

      Se os nossos governantes se preocupassem menos com questões partidárias e composições de cargos para "aliados" e "amiguinhos"... até mesmo essas composições de poder são complicadas e tomam mais tempo do que deveriam.

      Beijinho e me cuido mesmo - entocado em casa hahaha

      Excluir
  9. Cara muito válido esse texto.

    Tem 3 profissões que que JAMAIS deve sofrer desdem do governo: Médico, Policial e Professores.

    Esses dois últimos recebem um salário ilusório pela sua importância. O governo tem essa mania de culpar os grevista. O salário que a polícia recebe é um absurdo. Graças a esse salário que recebem que são mais propício a corrupção. Claro, tem muitos que são mau-caráter.

    Infelizmente estamos refém dessa governo de merda, que aumentam seus salários todo ano e para aumentar o salário de uma profissão essencial para ordem de qualquer país.

    Valeu Jaime.

    Abss!

    ----
    Site Oficial: JimCarbonera.com
    Rascunhos: PalavraVadia.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu, Jim!

      No caso dos professores posso dizer por experiência própria: o descaso governamental na área da educação é revoltante. E ainda assim há muitos colegas que fazem verdadeiros milagres! ( estou sendo um tanto corporativista, mas ou a categoria do magistério é assim ou acaba cada vez mais dividida)

      Enfim, vamos nessa luta pra ver no que dá. :)

      Abs!

      Excluir
  10. Fala mano Jaime,

    A postura dos petistas baianos que não aceitam críticas ao governo, ao perguntarem se os críticos preferem o governo anterior (na minha opinião, bem pior mesmo)é como se perguntassem "prefere um câncer ou um tumor maligno"? Lembra também a postura do PT nacional, quando perguntam "preferem a privatização tucana? A nossa é concessão"...

    Eu li em algum lugar que os próprios PMs encapuzados estão tocando o terror no Estado, e não duvido -- mais do que isso: temo por uma iminente greve policial aqui no rio também... a policia baiana é um doce perto da nossa...

    Sobre todo esse assunto, eu me permito resumir a minha opinião na fala de um politico carioca chamado Milton Temer: "Não tenho nenhuma simpatia em relaçãos às PMs como instituição. Mas sou solidário ao PM que se conscientiza como trabalhador. A Campanha da Legalidade contra golpe de 61, só venceu porque Brigada Militar do Rio Grande cumpriu ordens de Brizola, pela Constituição. O comportamento das PMs depende do governo estadual que a comanda. Se for autoritário, produz Pinheirinho. Se for democrático, protege o povo. No caso da Bahia, que se negocie e cumpra o que foi prometido anteriormente. Movimento só se alastra quando reivindicações são justas.
    Registro, por fim, que PM pode fazer greve, mas sem desfrutar do privilégio da arma que lhe é concedida pelo Estado. Como todo trabalhador."

    Grande abraço meu chapa

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Grande Almir!

      Isso, concordo com as palavras do Milton Temer. "sou solidário ao PM que se conscientiza como trabalhador." Um dos pontos que está "pegando" nas reivindicações entre algumas lideranças é a questão da anistia. Mas aí não dá pra aliviar com PM que sai por aí com arma em punho "tocando o terror". Para estes não há concessões: o estado de Direito também precisa ser respeitado.

      O que não pode acontecer é confundir as coisas, como alguns petistas baianos tentam fazer na tentativa de blindar JW: dizer que os PM são "bandidos que usam crianças e mulheres como escudos humanos e armas pra tocarem o terror". Ora, são mais de 10 mil policiais paralisados em todo o Estado, isso se não for um número maior. São 10 mil homens armados tocando terror? Claro que não. Mas em movimentos grevistas - e o PT sabe disso MUITO BEM - sempre há um grupinho mais radical, como em 2001 na greve da PM - que o PT apoiou, inclusive o Lula - que apronta atos condenáveis. Como esquecer aqueles professores paulistas jogando cadeira no Mário Covas?

      Pois é, no RJ terá manifestação na quinta-feira. O governador da Bahia afirmou ter sido "surpreendido" com a greve da PM daqui. Será que Cabralzinho, no RJ, será "surpreendido" também?

      Valeu, rapaz! Grande abraço!

      Excluir
  11. Olá, querido Jaime!

    Então, tenho acompanhado a greve pelos Jornais. Bem, é complicado a polícia entrar em greve, com ela, tudo já anda como anda, imagina sem? Bem, falando por experiência própria, aqui, No Maranhão, houve a greve dos motoristas e o sindicato fica ao lado do pensionato onde vivo. Foi uma confusão! Mas olhando pelo lado deles, é uma vida difícil e estressante, mereciam o aumento, só que o governo não dá o braço a torcer. E teve as dos policiais mês retrasado, em novembro... Arrastões e o exercíto nas ruas. Imagina sair de casa e não saber se vai voltar? No caso dos policiais... É pior, é todo dia, todo dia - mal remunerado. Não é o conto de fadas de NY, que tem aqueles caras heróis - é a realidade suja do escárnio mesmo. Só que tem os maus, como em todo lugar, e fora que abusam do poder, são corruptos, estão no tráfico. Não sei o que dizer mais, pois há tantos pontos positivos na atitudes deles quanto reprováveis.

    Ticyana

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Ticyana! ( finalmente descubro seu nome rs)

      Sim, olha o caso de Salvador: a cidade já é uma das capitais mais violentas do Brasil e sem PM vira o caos absoluto. Então é uma atividade que requer muito preparo e boas condições para exercer a função. Aqui na Bahia a grande frustração reside no fato do governo ser um ex-sindicalista e de um partido que outrora ( ao menos em suas origens) esteve ligado a movimentos populares e tinha uma postura de esquerda. Com os professores - e isso posso falar com maior tranquilidade - foi a mesma coisa: muito desdém, muita enrolação e muito pouco mudou para melhor. Eu tenho um pezinho atrás com sindicatos - reconheço a importância deles, mas quando é pro-governo chega a ser constrangedora a atuação de alguns líderes.

      Sempre teremos os corruptos, os maus policiais, maus elementos... como em todas as profissões. Também não morro de amores pela PM - militar? Tá na hora de rever isso - porém há de se reconhecer que a categoria possui direitos. E deveres. Que ambos sejam cumpridos em suas partes correspondentes.

      Excluir
  12. Moro em Itabuna e aqui a greve também foi aderida, com boatos (ou não) de arrastões, mais assaltos, homicídios, etc. O comércio parou, e nas redes sociais tudo que se viam eram a adaptação dos famosos "Memes" à situação, e outras piadinhas a respeito... Lembrei do outro post seu, sobre o espírito crítico. A maioria das pessoas tem uma visão supérflua sobre política, e acabam caindo no caminho da generalização, do pensamento condicionado, das ideias pré-concebidas, sem mesmo uma reflexão a respeito. Eu, por exemplo, tardei a me interessar sobre assuntos políticos e ingeria a ideia de "todo político é ladrão" como fato, mesmo sem entender quase nada sobre política. Mas não era uma opinião formada pelo MEU ponto de vista, e acho, agora, que isso cada um deve buscar.

    Voltando à greve... Como sempre, quem paga é a sociedade. Não defendo nenhum dos lados: tanto o governo quanto a polícia têm, como DEVER, garantir a segurança da sociedade. Isso implica na necessidade de acordo. E concordo com você que o governo não deveria ter tratado a greve, de início, com tal desdém. Enquanto isso, fico presa dentro de casa, e só saio daqui pro colégio e vice-versa. Aliás, o meu foi um dos poucos a voltarem às aulas por causa dessa greve.

    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Elisa!

      Política é algo que todos nós praticamos no dia a dia, não tem jeito: é a reunião do condomínio, é a reunião com os componentes do grupo para o seminário do colégio, etc. O que "cansa" é a política partidária, esta sim, cada vez mais confusa até para os políticos com anos de estrada - imagina para o cidadão comum.

      E você tem razão: tanto governo quanto PM tem a obrigação de zelar pela segurança da sociedade. Quando uma das partes falha ou não cumpre com os deveres, ficamos acuados - tanto que nem os colégios de Salvador, em absoluta maioria, abriram suas portas nos períodos mais críticos da greve.

      Bjs!

      Excluir
  13. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  14. Quando o poder público se ausenta,é isso que dá:baderna generalizada.São todos assim,até se elegerem é uma coisa,depois,são outra.O movimento tem que representar os interesses do povo e não,de alguns.Como estou vendo nesse caso,a intenção é instalar a insegurança e o terror generalizado na população,eu penso ser uma covardia sem tamanho.
    Que esta situação seja normalizada o mais rápido possível e que antes de picuinhas partidárias,vaidades;ou qual interesse REAL esteja por trás desse movimento,que prevaleça o direito constitucional do cidadão,que é o que mais sofre.
    Apoio qualquer movimento que visa o bem estar da população,mas que esse,seja feito com responsabilidade.
    Obs:O blog está com um aviso de software malicioso.
    Beijão,jaime!Dani.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Dani!

      E mais: quando não há políticas públicas adequadas temos exatamente isso que está acontecendo tanto aqui na Bahia como no Rio de Janeiro. Aliás, Salvador é uma bomba relógio: a desigualdade por aqui é tão grande que já se reflete em números de homicídios e violência assustadora.

      E sempre há oportunistas partidários nestes movimentos - sejam eles quais forem. Sindicalistas que encontram em tais greves a oportunidade de alavancarem a carreira política nas eleições. É sempre assim.

      Beijo, Dani! Obrigado! :)

      PS: Deu um trabalhão resolver aquele malware...mas foi coisa do blogger mesmo.

      Excluir
  15. Olá Jaime..

    Parabéns pela maneira como você conduziu o seu texto.
    Vc escreve lindamente, mesmo quando o assunto não é tão lindo assim.
    Voce foi muito claro em seu texto.
    Fico triste com a postura de certos politicos que por falta de inteligemcia ou de desdém eixam uma situaçõ desta chegar ao ponto que chegou.
    E fico triste com a atitude dos policiais. Acho greve um direito
    de qualquer cidadão mas que aconteça de maneira civilizda, por mais pertinente que seja a reivindicação.

    Mas vamos torcer para que tudo se resolva da melhor maneira e que a população não seja ainda mais prejudicada com este lastimável fato.

    A vc meu carinho...Avante..sempre!!

    bj

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Ma!

      Muito obrigado por suas palavras sempre carinhosas! :)

      Pois é, todo mundo errado nessa história. O que poderia ser um movimento legítimo acabou marcado por alguns atos lamentáveis e o governo, de certa forma, é "blindado" com isso - e as pessoas esquecerão da pífia atuação do governo nesta greve.

      Tomara...parece que já está resolvendo por aqui :)

      Bj

      Excluir
  16. Você fez uma exposição fundamentada e não se limitou a dizer sim ou não. Tem razões e competência para uma análise que envolve políticos, diante da situação. E mora na Bahia.
    Independente da questão salarial, sou mesmo radical quando ao não exercício do direito de greve por parte de militares. E sabemos que em todas as profissões e incorporações, nem todos têm dignidade para fazer parte delas. A polícia já não proporciona daquela sensação de tranquilidade que deveria passar ao povo. E incidentes da natureza só prejudicam o todo, já que não temos condições de separar o joio do trigo.

    Bjs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também não morro de amores pela atuação da PM ao menos aqui em Salvador, Marilene, e realmente há maus profissionais na corporação - como em tantos outros setores e profissões. No caso dos mais de 10 mil PM´s em greve por suas reivindicações, o movimento foi prejudicado graças a uma associação que era minoria, porém radical. E quando a Globo divulgou as conversas gravadas entre o líder desta associação e outro PM, bem, aí o movimento enfraqueceu e perdeu credibilidade. Sabe aquela coisa de "laranja podre no cesto"? Pois é.

      bjs!

      Excluir
  17. Jaime Bond!
    Vim trazer sua vodka-martini, batida, não-mexida, ok?
    Agradecer o comentariãooo, adorei e também saber se está tudo bem com o Groo (pelo visto está!) e contigo!
    No demais... depois nos falamos, ok?

    Beijinhos e te cuida :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cissa Andress,

      ótimo! Está do jeito que eu queria. Garto! :D

      Está sim, obrigado, Cissinha. Parece que foi coisa do blogger mesmo. Não dá para confiar muito rsrs

      Tá certo, minha nega. No que precisar e quando quiser, ok? :)

      Beijinho procê também - e te cuida por aí, tchê!

      Excluir
  18. Professor

    O que os policiais da Bahia reivindicam neste movimento:


    a) Habilitação: um direito que os policiais tem desde 1997, e que o governo só pagam a alguns por meio de sentença judicial.
    b) GAP 5: um aumento da gratificação que o policial rebebe (plano de cargo e salário) referente a sua atividade. Este direito foi assinado para ser cumprido desde de 2001, pergunta-se, depois de mais de 10 anos este acordo foi cumprido? Claro que não!!!!
    c) URV : reajuste referente a perdas salariais dos planos econômicos do ministro da fazenda Fernando Henrique.
    d) Periculosidade: pelo risco profissional. Este reajuste até agora só foi paga aos funcionários da justiça, é claro, por que eles ( os juízes) sentenciam processos em favor do estado e das oligárquias contemporâneas, e contra o próprio povo e os funcionários públicos.
    e) Plano de promoções coerente e efetivo: um Soldado demora mais de 20 anos para ser cabo e muitas vezes de 23, 25 ou mais para ser promovido para o posto de Sargento, na maioria das vezes quando consegue esta promoção o policial já esta próximo da aposentadoria, por isso é raro se ver esta graduação nas ruas, o que quebra a hierarquia por que é o posto que mantém elo entre o comando e a tropa que vai realizar as operações. Quer saber o tempo real para promoção de cabo: 10 anos, para Sargento: 17 anos no máximo, o exército respeita estritamente o tempo de promoção do seu quadro de profissionais, a policial da Bahia respeita?

    Outra questão: quem elege o representante de uma categoria é os próprios componentes da categoria, e não o governo ou qualquer gerenciador de empresa privada ou pública, então nosso representante é legal, junto com presidentes de várias associações do interior do estado, o que o estado quer é negociar com APPM e Associação de Sargentos, por que já trairam a tropa em 2009 se vendendo para o estado, e agora eles querem fazer o mesmo e enfraquecer o movimento.

    O movimento que o governo, e a justiça e a imprensa compradas dizem ser ilegal, não tem nada de ilegal por não se tratar de greve, a grande maioria dos policiais estão indo ao serviço, só que estão paralisados e aquartelados (dentro dos quartéis), a fim do governador ditatorial, demagógico e alcoólatra, abrir canal de negociações com os representantes do movimento. O incrível, que este governador já foi sindicalista, e hoje é um ditador que compra os canais de TV e mente para o povo denominando pais e mães de famílias como vagabumdos e marginais. Claro que é algo pessoal com os PMs, devido sua história sindical e estudantil de baderneiro e piqueteiro, e agora demagogicamente fala para população em democracia e legalidade, como forma de não oferecer os direitos que os policiais tem e que são desrespeitados por este governo traidor, anti-democrático e falso moralista.

    As arruaças nos ônibus e na rua são realizadas por vandâlos e não policiais, no movimento o que há são pais e mães de famílias que lutam por dignidade e uma melhor valorização profissional, para todos aqueles que trabalham com condições de trabalho precárias e salários indignos, e que arriscam a vida pela sociedade e enquanto as pessoas comuns estão trabalhando em tranquilidade, dormindo ou se divertindo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Retificação acima onde se lê "é" emprega-se: quem elege "são" os próprios componentes da categoria.

      Excluir
    2. Lula


      Professores são formadores de opiniões, primeiro temos que analisar se o que é reivindicado é direito dos profissionais, em segundo quanto tempo este governo que se diz democrático, sério e aberto a negociação vem tentando enrolar a categoria, e em terceiro qual o salário e as condições de trabalho que este policiais vem tendo a muito tempo, que os fez se indignar e colocar em risco anos de serviço e de sua liberdade em pró de direitos líquidos e certos, que em muitos estados bem mais pobres que o nosso, como por exemplo: Piauí, Maranhão, Sergipe, Ceará entre outros, já foram conquistados, pois comprovadamente os policiais recebem bem mais que os policiais da Bahia(8º economia), tem melhores aparelhos e viaturas apropriadas para trabalhar (picapes Nissan etc), bem como possuem planos de cargo e salários dignos e coerentes. Só quem deveria tecer comentários fundamentados professor sobre determinado tema é quem tem especialidade no assunto, evitando dogmatismo, tomando como verdades notícias de uma imprensa (que sempre vende muito jornal utilizando notícias policiais), que na Bahia não é independente), e sim comprada por verbas do Estado(tanto que só entrevistou um dos lados), não cabe a um professor ou pesquisador uma leitura dos fatos utilizando o senso comum, idéias passionais e pessoais, como por exemplo esta: “Também não morro de amores pela atuação da PM ao menos aqui em Salvador.........” É devido as ideologias preconceituosas e personalistas a respeito de grupos, pessoas, categorias ou pensamentos, que nasceram o racismo, a homofobia, a inquisição, as ditaduras, seja mais imparcial professor e não relate que a área docente é a única que sofre (ou sofre mais do que a dos policias (só quem geme é quem sente a dor), por que lá também tem pessoas competentes, compromissadas e honestas como em todas profissões, inclusive vários pais e mães de famílias que dão a vida enquanto a sociedade trabalha, dorme ou se diverte.Sei que a profissão de juristas e advogados tem bons e sérios profissionais como toda profissão, mas engraçado 13 ou 14 advogados defenderam Beira Mar, sem falar quando defendem réus confessos como estrupadores, assaltantes e assassinos (caso Eloá,Suzane Von Richthofen),não vejo ninguém chamar de atividade de vagabundos ou de mal elementos, na verdade dizem que eles estão exercendo sua profissão legalmente, mas a moral e a ética ficam aonde...... Já que você é bom neste assunto enviarei outros textos para você entenda, que para quem está de fora parece que é muito fácil falar de segurança pública (você já foi policial, tem amigos PMs, irmãos, pai, parceiro(a)....), é fácil tecer comentários de algo sem se basear na realidade ou só conhecê-la através dos meios de "informações". Pode me responder colega docente diretamente no meu email por que como você sabe nossa área temos pouco tempo para frequentar vários sites ao mesmo tempo, terei o maior prazer em responder e tirar as dúvidas de quem me enviar emails: africangod@gmail.com

      Excluir
    3. lula


      Háaaaa, esqueci.... e os juízes que vendem setenças e que foram encontrados mais de 150 milhões nas suas contas no Rio de Janeiro, rastreados pela investigação do CNJ ( dirigida pela Eliana Calmon, baiana retada, rsrsr), os médicos que fingem ser cirurgiões e esquartejam as pessoas, ou matam por negrigência nos centros cirúrgicos, são classificados pela sociedade como categoria de vagabumdos também......etá paisinho onde reina a hipócrisia e julgamentos levando-se em conta o status social dos indivíduos e das categorias. Nada contra estas profissiões que tem como todas ótimos profissionais e éticos na sua atuação, só quero levantar esta questão para que reflitam e sejam imparciais, observando que a sociedade sempre escolheu seus bodes expiatórios, as mazelas sociais são por causa dos pobres e dos negros e as profissionais são sempre culpa da galera da segurança pública, que nunca cometem acertos e é a pior profissão do mundo onde só tem maus elementos......, o engraçado é que poucos gostam mas todos precisam, de perto incomoda e de longe faz falta, prova disso é o que caos na cidade com a ausência destes profissionais nas ruas. Depois meu caro Jaime, não quero nem que você diga para que existe o Estado e as leis, por que são respostas óbvias, mas se o assunto é segurança quero que diga sinteticamente por que houve a necessidade da sociedade dita civilizada criarem as policiais e os presídios........... africangod@gmail.com

      Excluir
    4. Olá!

      Muito obrigado pelo seu comentário e esclarecimentos que enriqueceram este espaço e certamente quem procurar por informações sobre as reivindicações da Polícia Militar da Bahia encontrará um rico material em suas palavras.

      Gostaria, apenas, de pontuar duas coisas:

      1) Por ser professor e formador de opinião eu tenho o direito de exercê-la e também não condenar este direito dos demais cidadãos - pelo contrário, em minha prática profissional eu estimulo o pensamento crítico e a opinião entre meus estudantes e neste blog não censuro ou limito comentários. Quando eu afirmo que "não morro de amores pela atuação da PM ao menos aqui em Salvador" é a opinião de um cidadão que tem suas restrições à atuação da polícia militar - da mesma forma que todos os dias ouço comentários de cidadãos que têm restrições sobre a Educação Pública da qual eu também faço atuo. ( como também muitos têm restrições à saúde pública e outros setores do funcionalismo público) Concordo e discordo de algumas destas opiniões e não tenho a pretensão nenhuma em ser "dono da razão" - ao contrário, é muito bom ver que este blog, por exemplo, suscita debates e agrega informações. Afirmar que "não morro de amores" pelo trabalho de alguma instituição não desqualifica a mesma, pois é evidente que há (muitos) méritos na corporação, mas há também falhas como há nas áreas da educação, da saúde e dos sindicatos - onde, sabemos bem, há grupos mais radicais;

      2) "Só quem deveria tecer comentários fundamentados professor sobre determinado tema é quem tem especialidade no assunto". Desculpe, mas isso é segmentação. Este blog não se propõe a ser um espaço que publique teses acadêmicas sobretudo por especialistas em determinadas áreas, mas o bom senso prevalece. Se você reparar bem no corpo do texto não há aprofundamento sobre questões específicas sobre GAP e planos de carreira dos soldados porque realmente não tenho condições de falar sobre isso visto que não pertenço à categoria; contudo, dentro dos links do texto ( em vermelho), há um link para um site que trata especificamente deste assunto - o http://abordagempolicial.com/ - do qual eu fiz a leitura inclusive de nota da AOPM-BA sobre a ( descompromissada) atuação do governo do estado da Bahia em relação ao salário e condições de trabalho da PM-BA. Aliás, isso foi uma coisa que eu pouco vi em alguns blogues - sobretudo nos chamados "blogs progressistas" - dos quais abordaram sobre a greve da PM-BA este daqui foi um dos poucos a criticar a atuação do governador tanto no trato da greve como aos funcionários públicos da Bahia. Saiba que em outros blogues, notadamente da esfera "progressista" ( pró-governo do PT e simpatizantes) fui censurado, tive comentários apagados e bloqueado por tecer tais críticas ao governador e por divulgarem apenas as chamadas "informações oficiais" - e, claro, as motivações e reivindicações da PM nunca eram publicadas ou divulgadas naqueles espaços. Acredite: diante de muitos blogues por aí - e eu visitei vários durante o período de greve - posso afirmar com toda a tranquilidade que o Grooeland pautou pelo bom senso e equilíbrio.

      E note também que em nenhum momento eu afirmei que a categoria docente sofre ou necessita mais do que a categoria A ou B, tanto que está apontado no texto "o tratamento do governo aos servidores públicos estaduais é decepcionante".

      Enfim, eram apenas estes pontos que eu gostaria de ressaltar. Mais uma vez agradeço a sua visita e o rico comentário ao meu humilde blog. Fique à vontade para visitá-lo outras vezes.

      Um abraço!

      PS: e se dra. Eliana Calmon candidatar-se à presidência da República, já tem o meu voto! :)

      Excluir
  19. Lula

    E outras, quem são estes governantes grevistas profissionais e que já pegaram em armas para reivindicar seus direitos no passado, para julgar quem são vândalos, desordeiros ou mau elementos........é muito falso moralismo, a verdade que quem chega o poder esquece as ideologias e ações do passado e se utiliza do poder de forma farcista para defender seus interesses. Lamento que a sociedade neste conflito entre forças armadas auxiliar e um Estado sob a direção de um governo ditador e demagógico, seja a maior vítima, mas em todos conflitos sempre há pessoas ou uma parcela da sociedade menos que paga um preço maior, pergunte se o governo evitou ou foi competente na solução deste conflito como ocorreu em outros Estados...........

    ResponderExcluir
  20. Retificação acima: retirar a palavra : "menos"(parcela da sociedade menos)

    ResponderExcluir

Agradeço sua visita e o seu comentário! É sempre bom receber o retorno dos leitores.

Todas as opiniões são livres, porém não serão aceitos comentários anônimos e tampouco comentários ofensivos, discriminatórios e que não prezam pelos princípios da boa convivência - o autor do blog reserva a si o direito de excluir comentários com tais temas.

Volte sempre! =)

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails