quarta-feira, março 26, 2008

BIG BROTHER É A REFERÊNCIA DE SUCESSO NO BRASIL?

E hoje chega ao fim o edificante programa Big Brother Brasil, que durante meses atraiu as atenções de parte da população, virou tema de discussões tanto em botecos quanto faculdades, os portais de internet, jornais, revistas e programas de TV dedicavam páginas e tempos consideráveis para uma atração repleta de...vazios. Afinal, qual é o fascínio em se espiar a vida de quem só come-dorme-malha-conta piadas? Mas para o apresentador do programa, o intelectual Pedro Bial, os que ficam confinados na casa são “guerreiros” e “heróis”.

Coincidentemente, na mesma semana da “final” do Big Brother, chega ao Brasil (deportada) a cafetina Andreia Schwartz, que serviu como informante no caso que derrubou o governador do estado de New York, Eliot Spitzer ( entenda toda a história
aqui). A cafetina, que já planeja escrever um livro contando suas peripécias, foi cercada pelos repórteres como se fosse uma estrela de Hollywood. Nem Pelé, que estava no mesmo vôo, foi tão assediado quanto Andréia. E, segundo um amigo da cafetina, ela é uma “heroína no Brasil”.

Este Grooeland não tem pretensão e nunca terá de querer “posar de paladino da moralidade em torno desta falta de valores no Brasil atual”, mas é preocupante constatar o quanto se valorizam figuras absolutamente descartáveis, vazias, que muito pouco tem a oferecer.

Isso fica evidente quando damos uma pequena olhada no
blog de uma das participantes do BBB, a tal “finalista” Gisele:

Tudo q eu quizer o cara la de cima vai me ajudar e me dar toda coragem q eu puder e nao vai me faltar forcas p lutar,tudo q eu quizer eu vou tentar melhor do q ja fiz esteja meu destino onde tiver eu vou tentar a sorte ser feliz,estando com vcs eu sou forte pode crer o sonho estar no ar amor me faz dancar….muitos beijos carinhosfiquem com deus e liguadinhos hoje anoite;-0

O “conteúdo” interessante estende-se em outros posts:

oi pessaol bom dia p vcs,estamos com a visita da debora secco aqui na casa estar sendo muito legal a companhia dele muito agradavel uma pessoa muito gentil.espero que esteje tudo bem ai fora eu tou aqui ja imaginado a hora de ver vcs e minha familia que tenho muita saudade sem perde a garra de lutar.fique com deus merci por tudo;-)abracos carinhos p meus amigos da net vcs sao d+.nao v falar bobage

O grande problema não é a Gisele escrever desta forma ou ser incapaz de articular parágrafos lógicos e concisos sobre algum assunto ( mesmo que seja o vazio e o entendiante Big Brother); o grande problema é que uma Gisele vai tornar-se referência de sucesso para milhares de pessoas que assistem TV, acessam internet ( e acessar a internet deixou de ser exclusividade para as chamadas “classes A e B” com o
fenômeno das lan houses que surgem aos montes desde periferias a pequenos lugarejos do interior).

Não se trata de superestimar o poder de moldar comportamentos por parte da TV e tampouco subestimar a autonomia das pessoas. A “caixa mágica” está presente em
praticamente 98% dos lares brasileiros e ainda é a principal fonte de informação para milhares de pessoas. Informação e lazer, além da pretensa cultura. O conhecimento na sociedade difundia-se através de livros, escola, tradições orais (as velhas histórias contadas de pai para filho). Hoje a TV encarrega-se da difusão do conhecimento – se tal conhecimento é válido ou não seria outra discussão. Tanto que o professor Giovanni Sartori afirma que

A televisão não é somente um instrumento de comunicação; é ao mesmo tempo também paidèia [formação da criança, do homem], um instrumento “antropogenético” um meio que gera um novo ánthropos, um novo tipo de ser humano”.

Claro que isso não pode ser considerado como verdade absoluta, até porque seria até uma afronta duvidar da capacidade do ser humano de ter espírito crítico e autonomia. Mas por outro lado verificamos que essa “formação” vem mesmo ocorrendo principalmente entre boa parte dos adolescentes e dos adultos jovens.

Qual é o modelo de ascensão social vigente no Brasil? É se tornar ator, atriz (global, de preferência), jogador de futebol, pagodeiro ou cantor popular, modelo, ser famoso de alguma forma. Nem que seja tornando-se uma cafetina de luxo ou amante de um senador da república. O que vale é a fama e o dinheiro instantâneo.

E, se repararem bem, em nenhum destes referenciais de sucesso encontra-se relação com estudo, com escola, com leitura. Pelo contrário, neste mundo de fama e sucesso, até professora tem o sonho de virar uma atriz famosa, segundo a “pedagogia Xuxa”. A escola tenta de todas as formas atrair os jovens para que não desistam dos estudos. O mantra da aula “prazerosa e agradável” constitui-se num grande desafio aos professores com carga horária estressante e escolas sem recursos. Fazem o que podem, mas muitas vezes os alunos gostariam mesmo é de ter um controle remoto em mão para “zapear” por outros “canais”.

Não se trata de culpabilizar a programação da TV – é apenas uma constatação do que realmente acontece nas escolas e outros meios sociais. Uma alternativa interessante é utilizar estes programas de TV nas aulas. Poderia no mínimo gerar um debate sobre valores que temos hoje em dia e a sociedade que gostaríamos de ter.

E quando uma assembléia legislativa composta por vereadores eleitos pelo voto popular para legislar em prol da cidade resolve oficializar a futilidade ( aliás, trabalho de vereador parece ser a coisa mais fútil no Brasil) sob novamente o argumento de "sujeito desempenhou um papel importante" é porque a coisa chegou a um ponto complicado:

"Infelizmente não vemos com freqüência, pessoas comuns, homens e mulheres simples sendo agraciados e homenageados à altura de sua importância para a sociedade. A homenagem é mais do que justa por se tratar de uma pessoa que é a cara do Rio", disse o vereador Alberto Salles (PSC)durante a solenidade que premiou com a medalha "Pedro Melo" o ex-participante do programa Big Brother, Augustinho Fernandes, por "reforçar a imagem do carioca ao Brasil" ( confira a notícia AQUI).

Quem sabe se o blog da Gisele não poderia ser utilizado nas aulas de português e redação? Um exemplo de como não se deve escrever... um exercício interessante: reescrever, com concisão e coerência, o que a moçoila tentou passar para seus fãs. Talvez seja uma boa idéia...!

Enfim, este é o quadro que nós temos atualmente. Futilidades e sub-celebridades descartáveis que alcançaram seus 15 minutos de fama são os modelos de ascensão para milhares de pessoas que sonham em um dia estarem na tal casa do Big Brother ou criar uma música “de sucesso” ( créééééu!) para faturar dinheiro e espaço na TV. Como disse Adorno há mais de 70 anos, “toda conexão lógica que exija alento intelectual é escrupulosamente evitada”.



E É ISSO...AINDA BEM QUE SUMIU ( quando achamos que nos livramos...créééééu!!!)

sexta-feira, março 21, 2008

Uma postagem amenizada...

Cinéfilo – s.m: Aquele que é apaixonado por filmes cinematográficos.

Não sou muito chegado a filmes. Não fico horas na locadora escolhendo DVD’s, não chego no balcão pedindo as “novidades” ou lançamentos, não encaro filas de cinema, dificilmente entro num cinema. Raramente assisto a um filme na TV. Mas isso vai de cada um. Todo mundo tem seu passatempo preferido, de alguma forma. Eu gosto de leitura. E de rabiscar. E de ouvir um rock n'roll. E às vezes escrever bobagens como estas.

Mas já assisti filmes interessantes, sim. Vários, aliás. Sempre preferi os clássicos ou aqueles filmes intrigantes que ficam esquecidos nas prateleiras ou documentários que pouquíssimos se interessam.

Por isso é até interessante reproduzir um diálogo que tive há algum tempo com um sujeito que se dizia cinéfilo, do tipo que passa o fim de semana inteira com uns 10 DVD’s dentro de casa assistindo horas e horas de filmes. Segue aí:
***
- Na verdade, não sou muito de assistir filmes...
- Você não gosta?
- Bom, eu prefiro ler a assistir horas de um filme que pode até ser bom, mas, sinceramente, não tenho essa disposição toda...
- Ah, eu sou cinéfilo! Sou fã de carteirinha de cinema!
- Legal.
- Gosto mesmo. Adoro ir aos cinemas, alugar DVD’s... é minha diversão de final de semana!
- É, todo mundo precisa ter um hobby...
- E eu adoro! Curto os lançamentos, vejo os sites, leio as resenhas... e quando eu gosto de um filme eu assisto várias vezes! Tipo o “Gladiador”. Já assistiu?
- Não.
- Não????
- Não. Ouvi falar muito, mas nem me interessei...
- Cara, passou até na TV! Você deveria ter assistido!
- Por que?
- Porque é muito bom!
- Ah...eu devia estar ocupado no dia que passou na TV...
- Mas tem em DVD...até na Internet tem. Eu assisti “Tropa de Elite” inteirinho na internet! E depois fui conferir no cinema e peguei o DVD!
- Acho que sou a única pessoa no planeta que não viu esse filme...hehehe!
- Ahhhhhh, não acredito!!! Você não viu “Tropa de Elite”???
- Eu não. Nunca me despertou interesse!
- Pô, quando você falou que não gostava de filmes, não achei que fosse tanto assim...
- Não é que eu “não goste”. Já vi alguns bons filmes que até hoje me recordo claramente das cenas.
- Oh! Aleluia! E quais filmes são esses?
- Por exemplo, gostei muito de “2001-Uma Odisséia no Espaço”...
- Eu não gostei. Muito parado.
- Acho que foi essa a intenção do diretor...hehehe. Outro que gostei bastante foi “Planeta dos Macacos”.
- Eu assisti! Eu assisti! É realmente muito bom!
- Aquela última cena do Taylor encontrando a estátua da Liberdade destroçada é aterradora...
- Hã? Taylor? Quem é? Tem isso no filme?
- Claro que tem. No primeiro filme.
- Que primeiro? Só teve um “Planeta dos Macacos”! Acho que você ta confundindo...
- Ah, já sei o que é. Eu estou me referindo ao “Planeta dos Macacos” original, lá de década de 60! Esse que você tá falando deve ser a “refilmagem”.
- Bom, eu soube que era baseado em um outro filme, mas não que era um remake.
- Pois é...esse último nem vi. Vi aquela refilmagem de “Psicose” e na verdade nem agüentei ver o final do filme, de tão ruim que ficou. Certas coisas não deveriam mexer.
- Você assistiu esse “Psicose”?
- O do Hitchcock. Mas o filme que eu mais gosto dele é “Festim Diabólico”.
- Nunca vi. É bom?
- Eu gostei. Tem muito filme bom escondido nas locadoras por aí.
- Eu acho esses filmes antigos meio paradões...
- Mas o roteiro compensa. O roteiro de “O Sétimo selo” é excelente. E o filme começa num ritmo bem lento. “Cidadão Kane” eu diria que é indispensável. Tem filmes com ação, também, mais recentes que são interessantes. Já viu “Laranja Mecânica”?
- Já ouvi falar, mas nunca vi. É recente?
- Recente é modo de dizer...é lá da década de 70, acho.
- Então deve ser ação lá nos moldes dos anos 70. Eu quero coisa mais agitada, mas viva...tipo “Homem Aranha”, sabe?
- Prefiro o homem-aranha dos gibis antigos...
- Cara, você tem 30 anos mas parece um velho de 70 e poucos, hein?
***
E assim o velhinho septuagenário encerra esta postagem pra quebrar um pouco a sisudez dos assuntos anteriores ( "pô, cara, esse texto tá muito grande! resume ae!!!") e descontrair um pouco nesta páscoa – que não é época de “chocolate e coelhinho” nos supermercados e tampouco de bacalhau a preços exorbitantes.

Groo Veiga, 70 e poucos anos, também conhecido como "Ministro Veiga" nos meios santistas, tem orkut, msn, blog e curte coisas velhas como gibis antigos do Homem-Aranha, Batman, Tio Patinhas, revista MAD ao som de Ramones.


Nota: O grande escritor Thiago Quintella respondeu aos MEMES ( lembram deles?) lá no seu excelente CANIS FAMILIARES. Passa lá!

segunda-feira, março 17, 2008

QUAIS SERÃO NOSSAS PERSPECTIVAS PELOS PRÓXIMOS 7 BILHÕES DE ANOS?

Prometo não desaparecer pelos próximos 02 anos! É que a carga de trabalho está cada vez maior, ao passo que o salário continua cada vez menor. Não deveria ser uma lógica diferente? Quanto mais qualificação e serviço mostrado, maior o salário e mais tempo livre, afinal estamos numa sociedade “informatizada”, não é verdade?

É um sonho da humanidade: máquinas que farão a maior parte do trabalho, enquanto os homens aproveitam mais o tempo livre para atividades de lazer, cultura...o “ócio criativo”.

Quem sabe isso não aconteça nos próximos 7,59 bilhões de anos? Esta é a previsão de dois astrônomos para o fim deste simpático planetinha azul...isso se não houver interferência com a natureza. Do jeito que as coisas andam, é provável que este simpático planetinha não chegue nem perto deste tempo estipulado.

Na verdade é uma previsão até otimista todos estes bilhões de anos que a Terra ainda existirá feita por estes astrônomos. Para boa parte da população terrestre a esperança de um mundo melhor chegou ao fim e não há nada mais a se fazer a não ser procurar sobreviver da maneira menos dolorosa o possível e com um pouco mais de dignidade.

Estaria eu sendo pessimista, apocalíptico ou alguma espécie de profeta das desgraças? Fica até difícil ser otimista quando se depara com uma situação como a relatada abaixo:

O espaço urbano aberto, por exemplo, costuma estar enterrado sob lixo não coletado, criando pequenas utopias para ratos e vetores de doenças, como os mosquitos. [...] Por vezes, o conteúdo dos resíduos é terrível: em Acra ( Gana), o Daily Graphic noticiou recentemente que “os depósitos de lixo cada vez maiores, cheios de sacos de plástico preto contendo fetos abortados da kayayee [carregadoras de mercados] e adolescentes em Acra. Segundo o chefe do Executivo metropolitano, ‘75% do lixo em sacos de polietileno preto da metrópole contêm fetos humanos abortados”.

Este é apenas um dos relatos e análises contidos no livro “Planeta Favela”, de Mike Davis, que analisa o crescimento vertiginoso das favelas e cortiços nas grandes cidades no mundo com base em dados, estatísticas e relatos de pesquisadores de fontes diversas, desde ONU ao Banco Mundial. As favelas da África, do Sudeste Asiático e da América Latina são os piores lugares para se tentar sobreviver.

As megacidades com suas populosas favelas não param de crescer. Lagos, na Nigéria, contava com 300 mil habitantes em 1950; hoje a cidade possui 13,5 milhões de habitantes. A China, na década de 80, somou mais habitantes urbanos do que toda a população existente na Europa no século XIX; Uma faixa de 500 quilômetros entre Rio e São Paulo conta hoje com uma população de 37 milhões de habitantes. Situação pior é a projeção para 2020 na costa ocidental da África, em uma faixa de 600 quilômetros entre Benin e Acra: 60 milhões de pessoas.
É assustador principalmente quando pensamos em questões simples como alimentação, saúde, educação e condições de moradia para esta grande massa de pessoas já existente e para as pessoas que irão nascer nos próximos anos. Até mesmo situações simples como utilizar um banheiro já é complicado em alguns países:

“Nas favelas de Bangalore – a cidade vitrine de alta tecnologia da ‘Índia Brilhante’ – as mulheres pobres, que não podem pagar para usar os banheiros públicos, precisam esperar a noite para lavar-se ou aliviar-se. A pesquisadora Loes Schenk-Sandbergen escreve:

Os homens podem urinar a qualquer momento, em qualquer lugar, enquanto as mulheres só são vistas obedecendo ao chamado da natureza antes do amanhecer e depois que anoitece. Para evitar riscos, as mulheres tem de ir em grupos às cinco da manhã [...] muitas vezes a locais pantanosos onde pode haver serpentes ocultas ou algum depósito de lixo deserto com ratos e outros roedores. É comum as mulheres dizerem que não comem durante o dia só para evitar ter de sair em campo aberto à noite.

Do mesmo modo, em Mumbai, as mulheres tem de se aliviar “entre as duas e as cinco da madrugada, porque é a única hora que tem têm privacidade”.
Davis, Mike. Planeta Favela. p145. SP: Editora Boitempo. 2006

Cenários desoladores, sem sombra de dúvida. Muitas vezes observamos ( à distância e apenas de relance) em nosso cotidiano pessoas em situações tão humilhantes e já consideradas como “coisas" normais da cidade grande, apenas isso. Em minha atuação em escolas da rede pública nas periferias de Salvador tenho ouvido histórias que conferem credibilidade aos relatos dos fetos de Acra e das mulheres pobres de Bangalore.

Como as cidades dos países em desenvolvimento chegaram a este patamar ( e mesmo cidades dos chamados países em desenvolvimento possuem seus bolsões de pobreza e miséria camuflados estrategicamente, até que uma tragédia como a de New Orleans revele “a real”) já não é novidade. A falta de investimento em setores cruciais como Educação, Saúde, Planejamento Urbano ( cidades crescem sem um plano diretor) e Familiar, Meio Ambiente e tantas outras questões levaram a este cenário, sem contar o colonialismo em diversos países da África e Sudeste Asiático e as receitinhas do FMI e Banco Mundial para que os países em desenvolvimento realmente cresçam – tudo em nome da misteriosa entidade reguladora conhecida como “mercado”.

Mas o mundo chegou a este patamar. E agora, o que fazer? O dogma “investir em educação, saúde, blá-blá-blá” parece insuficiente, apesar de necessário e prioritário.

Segundo o ex-secretário geral da ONU, Koffi Annan, a “parceria mundial para o desenvolvimento é feita mais de palavras do que de atos”. Este já seria o primeiro ponto: a ação. Mas que sejam ações relevantes além de cantores reunidos para chamar a atenção dos “problemas do mundo” a uma platéia mais a fim de ouvir os hits do momento do que com crianças morrendo na África.

Uma das ações relevantes seria rever as prioridades. O que seria mais necessário: uma ogiva nuclear ou a construção de 3.000 residências? A invasão do Iraque, que vai para o sexto ano, tem o custo MENSAL de US$12 bilhões. Quantas escolas não seriam construídas com este valor? Com US$ 11 bilhões ANUAIS a educação básica no continente africano melhoraria consideravelmente. Segundo a UNESCO, a África subsaariana necessita entre 2 a 4 milhões de novos professores.

A ONU acha possível acabar com a pobreza no mundo. Para isso, foram criadas as Metas do Milênio, um documento assinado por 191 estados-membros da ONU que se comprometeram a atacar os problemas em 08 frentes até 2015. Mas vários países não estão cumprindo as metas. Para os países mais ricos, o investimento de apenas 0,5% de seu PIB para os países mais pobres já seria um grande avanço para a realização das metas.

Para isso seria necessário também acabar com a praga da corrupção no mundo. Somente em subornos há um desvio de US$ 1 trilhão anuais. A corrupção causa mortes em todo o mundo porque as pessoas não recebem tratamento e remédios adequados – muitas vezes doados por entidades não-governamentais ou por países mais ricos.Percebam que a corrupção e o suborno estão intimamente ligados. Temos exemplos evidentes no Brasil: quantas e quantas vezes não vemos notícias em que grandes empresários, políticos e especuladores escapam incólumes da lei que deveria ser para todos ( basta lembrar da “máfia dos juízes”).

Enfim, o quadro não é dos mais promissores. Há propostas aqui e ali, boas intenções de um lado, nem tantas de outro, mas a verdade é que este belo e aprazível planetinha dificilmente atingirá 7 bilhões de anos até que seja decretado seu fim. Com os atuais níveis de consumo e energia, agressões constantes ao meio ambiente e uma população que não pára de crescer em péssimas condições de sobrevivência as perspectivas para o futuro não são muito animadoras.

Por enquanto, vamos tocando a nossa parte como dá. Além dos já conhecidos cuidados com o meio ambiente ( não jogar lixo nas ruas, controlar os gastos com água, etc) e trabalhos voluntários, é interessante também que parte das pessoas que tem acesso à informação ( como você, que acessa este blog - não que este blog tenha a pretensão de mudar alguma coisa, mas pelo fato de você ter internet e acessar constantemente) divulguem, repassem informações, promovam debates, enfim, criem MASSA CRÍTICA para aqueles que não acesso ou resistem a uma conversa mais "séria".

Se isso vai mudar alguma coisa? Se não começarmos a disseminar a massa crítica, não saberemos. E este ano tem eleições. Eis uma boa oportunidade...

A "ARTE" ( uhauhauhauhauha!!!!) DO GROO
Agradeço ao comentários elogiando meus "desenhos"...na verdade um monte de rabiscos pessimamente distribuídos numa folha qualquer. Mas eu agradeço assim mesmo!

sábado, março 08, 2008

A EDUCAÇÃO BRASILEIRA E SUA NOVA PÉROLA

É estarrecedor o descaso para com a educação no Brasil. Todos os dias pipocam notícias mais absurdas e desalentadoras sobre o assunto na imprensa. A mais nova “pérola” da educação brasileira é um menino de 08 anos que foi aprovado no curso de Direito em uma faculdade particular em Goiânia-GO.

O garoto, estudante da 5ª série do ensino fundamental e tido como bom aluno na escola onde estuda, fez o vestibular mesmo sem nunca ter assistido aulas de Química ou Física: "Eu fiz uma revisão do que aprendi da 1ª à 4ª série. Não sabia nada de Física, sabia algumas de Matemática e nada de Química", afirmou o garoto.

Não é de estranhar que um menino de 08 anos que faça uma revisão de assuntos da 1ª a 4ª série seja aprovado em faculdades do tipo “pagou, passou”. Quem não se lembra do padeiro Severino da Silva, analfabeto, mas que foi aprovado para o curso de direito em uma faculdade particular no Rio de Janeiro?

Em primeiro lugar é bom não generalizar: há boas faculdades particulares com bons alunos. O problema é que a partir de 2000 as particulares tiveram um crescimento fantástico no país. Somente no período de 2001 a 2003 foram 544 instituições autorizadas a funcionar – tínhamos em média 1 faculdade que surgia por dia em diferentes cantos do Brasil. Muitas do estilo “pagou, passou”.

E nesta farta quantidade de instituições de ensino superior o curso mais oferecido é justamente Direito. Mas quantidade não significa qualidade: entre 2003 e 2005, a OAB ( Ordem dos Advogados do Brasil) avaliou 172 cursos autorizados a funcionar nas faculdades - entre particulares e públicas. Apenas 13 foram aprovadas.

E aqui vale um esclarecimento que muitas pessoas deixam de notar. Nas propagandas destas faculdades, é anunciado com pompa que a instituição é “autorizada pelo MEC”, o que confere, em tese, a garantia de que a faculdade é absolutamente confiável. O que não é verdade.

Quando se diz que um curso é “autorizado” pelo MEC, significa que a faculdade teve um projeto (um novo curso, pro exemplo) que pode ser colocado em prática, ou seja, o curso é autorizado a funcionar- e neste passo a graduação não é reconhecida, de fato. Tal reconhecimento só é concedido após a formação da primeira turma e da constatação pelo MEC que o projeto apresentado foi cumprido e bem-sucedido.

Mas não é difícil constatar também que o MEC distribuiu e distribui autorizações e reconhecimentos a granel para empresários que entram no setor educacional ávidos pelos lucros que uma instituição de ensino particular pode gerar ( mesmo com a inadimplência) aproveitando-se da pouca oferta de cursos em instituições públicas.

Voltando ao caso do garoto em Goiânia, a faculdade alegou que o candidato de 08 anos fez a prova vestibular na condição de treineiro, o que não daria o direito do aluno se matricular na instituição; no entanto os pais do garoto pagaram o boleto de R$ 506 referentes à matrícula. A faculdade vai devolver o dinheiro. Mas o estrago foi feito. Aceitaram a matrícula de um aluno que não preenchia os requisitos mínimos para freqüentar um curso superior.

E o que dizer do pai deste menino senão que trata-se de um deslumbrado, para dizer o mínimo? As declarações e as atitudes deste futuro advogado são de revirar o estômago. Chegou a ir à sede da faculdade, em São Paulo, para pedir que o menino pudesse ao menos assistir as aulas na condição de aluno-ouvinte, no que não foi atendido. E soltou a pérola:

“A humanidade está evoluída. Para você ver, hoje as crianças já nascem até com dente. Eu sugiro que as universidades particulares comecem a preparar um ambiente para jovens dessa idade. A estrutura da educação está muito arcaica e precisa evoluir.”

Que a estrutura da educação é arcaica para os tempos atuais é correto. Acontece que o pai do garoto, que é estudante de direito – e parece que não dos mais brilhantes, visto o desconhecimento que demonstra do objeto de seu estudo, no caso, o Direito – esqueceu de um pequeno detalhe que deveria ser mais presente em sua vida de estudante universitário de Direito: a lei.

A LDB ( Lei de Diretrizes e Bases da Educação Brasileira) prevê, em seu artigo 44, o seguinte:

Art. 44º. A educação superior abrangerá os seguintes cursos e programas:II - de graduação, abertos a candidatos que tenham concluído o ensino médio ou equivalente e tenham sido classificados em processo seletivo;

Isso já encerra a questão. Mas o que será que o futuro advogado quer dizer com “evoluir”? Um garoto de 08 anos sem maturidade e discernimento sequer para entender a estrutura e o funcionamento do judiciário brasileiro pode se formar com 11 ou 12 anos de idade? Ser um juiz federal aos 15 anos? Se o menino é realmente super dotado, ele precisa ir para uma escola especial ou ter um tratamento especial por parte dos professores e da própria escola para que ele possa desenvolver plenamente suas potencialidades.

Sem contar no que os pais estão fazendo com essa criança. Além de tirar proveito com a situação, aparecerem “na TV” e ter seus minutinhos de fama, estão criando ilusões e falsas expectativas ( e se o menino tirar uma nota ruim na escola,como será? O “futuro advogado” já ouviu falar de bullying?) estão esquecendo que o menino tem apenas 08 anos de idade e é uma criança que deve ter seu desenvolvimento normal, e não acelerado – como muitos pais, aliás, fazem com seus filhos, privando-os da infância sob o argumento de “você tem que pensar no futuro”.

Já a educação no país seguirá este mesmo caminho de descaso, deficiência e desvalorização que já é histórico e vergonhoso. Não adianta o ministro da Educação dizer-se “preocupado” com o fato de um garoto de 08 anos ter sido aprovado em uma faculdade. A tal instituição continuará funcionando da mesma forma que continua até hoje funcionando a faculdade que aprovou um analfabeto. De pouco adiantarão os apelos da OAB e dos professores de modo geral: o que manda é o dinheiro e as estatísticas de aprovação. Nossas escolas formam em boa parte verdadeiros analfabetos funcionais que entrarão em faculdades de esquina “pagou, passou” e serão os “profissionais do futuro”.
Perspectivas? Tirem suas conclusões.

EXERCÍCIO DE VIDÊNCIA: muito provavelmente na semana que entra teremos artigos de “especialistas em educação” falando abobrinhas sobre o caso em revista de circulação nacional e tida como “indispensável”. E é quase certo de que a culpa será atribuída aos...professores! Vamos acompanhar.
E NÃO PERCAM! EM BREVE, UMA UNIMANO PERTO DE VOCÊ! INCLUSIVE COM EDUCAÇÃO (BEM) À DISTÂNCIA!



PS: não deixem de ler os dois posts anteriores: as respostas das perguntas da Denise ( Vírgula Antenada - recomendo!) e sobre a IURD x Imprensa.

quinta-feira, março 06, 2008

MEME...What is this???

Duas postagens em menos de 24 horas? Isso é a primeira vez que acontece nesse pobre Grooeland. E quem conseguiu essa façanha foi a Vírgula Antenada ( Denise Machado) que me fez algumas perguntas naquilo que chamam de MEME.

Eu nem sei o que raios é um MEME, talvez o Zeca Pagodinho responda isso com mais propriedade do que eu...

Mas então: o MEME é tipo um jogo de perguntas que um blogueiro (a) passa para mim e eu respondo. Certo. Aí indico outro blog e faço perguntas para o blogueiro ou blogueira...será que é isso aí? Bom, se não for e se eu estiver fazendo tudo errado, digam nos comentários...só não vale xingar a mãe.

Bom, e aí vão as respostas que a Denise ( Vírgula) me enviou no meme. Acho que algumas respostas poderão decepcioná-la ou decepcionar meus outros 3 ou 4 corajosos leitores. Mas quem sabe nessas respostas ainda se encontre algo que preste...

Ah, só um detalhe ( "Pô, vai logo! Seu chato! Enrolão!"): LEIAM e COMENTEM também sobre o post da gloriosa Igreja Universal do Reino de Deus logo aí, abaixo. É só movimentar um pouquinho o mouse, a rolagem e pronto.

Agora, sim!! ( "Até que enfim! Pô!") Lá vamos às respostas do MEME:

1) O que faz uma mulher ser heroína?
Quando resolve largar tudo para se tornar mãe ( no sentido mais amplo que a palavra “mãe” engloba).

2) Na política, indique uma mulher que você respeita.
Gosto da ministra do meio ambiente, a Marina Silva, pela história fantástica que ela tem! Mas gosto também da “arretada” Heloísa Helena!

3) O que você acha da Carla Perez, da Drª Ellen Grace e de Alice Braga?
Carla Perez: uma lenda viva! ( “i” de escola e o trash-cult-pop-axéxezeiro “Cinderella Baiana”. No Youtube perto de você!). Mas representa o sonho, o ideário de muitas meninas por aí que querem vencer na vida com a bunda. E o Brasil é um campo abundante para tais atividades.

Dra. Ellen Grace: uma mulher sóbria e inteligente.

Alice Braga: Só sabia que Sônia Braga tinha uma sobrinha tão bonita quando assisti ao filme “Eu sou a lenda”. Se ela vinga como atriz? Bom, se não achar um Robert Redford pra se encostar...pode ter futuro!


4) O que é uma mulher prendada?
Uma mulher de prendas, ora pois! Ou, na acepção da palavra, uma mulher de habilidades... não necessariamente domésticas, mas em todos os campos.


5) Os blogs masculinos são melhores? Por quê?
Não acho. Acho os blogs femininos melhores, embora tenhamos bons blogs masculinos. Na verdade, a premissa de um bom blog seria um conteúdo interessante e bem escrito, e isso independe de sexo. Tem muito blog pretensioso por aí, seja M ou F. O Grooeland não tem pretensões. Mas é tosco de ruim.


6) Qual sua Blogueira ou Blog feminino preferido e por quê?
Eu prefiro não indicar um blog apenas, até porque seria injusto, pois há estilos diferentes em alguns blogs que eu visito e recomendo em meus links favoritos. Os que estão em meus links são todos muito bons, dentro de cada estilo.


7) O mundo é das mulheres?
Tomara que seja o mais rápido possível! Nós, homens, tivemos milhões de anos para tentar melhorar isso aqui. Quem sabe com as mulheres mandando no mundo este lindo e sofrido planetinha azul tenha alguma esperança...


8) O que você acha que uma mulher busca para ser feliz?
Além de uma tarde inteira no shopping e com cartão sem limites? Hehehehe! Brincadeira. Essa é uma boa pergunta sem uma boa resposta, ainda...e vale para mulheres e homens. Como somos seres incompletos e sempre queremos mais e mais, acho difícil encontrar a felicidade se não abdicarmos de algumas coisas...dentre elas o fato de condicionar a felicidade somente e puramente por conta de outra pessoa ou de objetos e bens finitos...

9) Luis Fernando Veríssimo é machista?
Você nunca leu Bukowski...LFV é um coroinha perto do velho safado!


10) Quem você indica para continuar esse MEME?
Eu indico meu grande amigo escritor de mão cheia Thiago Quintella, do Canis Familiares ( vale muito a pena a visita!) que talvez nem tenha tempo de responder a essas perguntas, mas eu vou tentar assim mesmo...

1. Quando você acha que os plutonianos entrarão em contato com a raça terrestre?
2. Este lindo e sofrido planetinha azul tem esperança de uma sobrevida de, digamos, 100 anos?
3. O que a cerveja representa para nossa vida?
4. Por que o mercado editorial é tão restrito para os bons escritores que realmente tem algo a dizer e é super receptivo para os Paulo Coelhos da vida?
5. Como se dá o seu processo criativo para escrever os contos?
6. Desde quando o Canis Familiares existe e por que resolveu criá-lo?
7. Marque a frase mais adequada e justifique:
( ) o que seria das mulheres sem nós, homens?
( ) o que seria de nós sem elas, as mulheres?
( ) nda
8. Qual foi o livro que embaralhou suas idéias e que causou grande impacto no seu modo de pensar e até agir?
9. Como você acha que Paulo Freire se sairia numa sala de aula em escola pública na periferia nos dias atuais?
10. Você indica algum blog para continuar esse MEME ( não vale responder "assim que eu descobrir o que é isso, eu indico!"uhahuahahaua!)?
-------------------------
( Psiu! Dá uma olhadinha no post logo abaixo...é recente, viu? É de ontem...vale a pena dar uma lida)

SOBRE A IGREJA UNIVERSAL, INFORMAÇÃO E LIBERDADE

Existe um ditado comum entre os brasileiros que diz: “Futebol, política e religião não se discute”. O Grooeland continua na contramão deste ditado, pois já discutiu sobre futebol (o absurdo que é a TIMEMANIA), política ( os cartões corporativos, “duela e quem duela”) e agora, conforme prometido para seus 4 ou 5 esporádicos e corajosos leitores, trata sobre a Igreja Universal do Reino de Deus (IURD).

É um terreno perigoso, sobretudo em tempos que entidades religiosas processam órgãos de imprensa por apenas emitirem informações que pouco ou nada remetem à fé, e sim a assuntos relacionados à esfera da justiça e, em alguns casos, até mesmo policiais.

Todos devem ter acompanhado a polêmica que envolveu a IURD e a imprensa nas semanas que passaram (“A América do Sul pegando fogo por causa da Colômbia e do Chavez e você ainda falando sobre este fato??” Pois é. Não poderia deixar passar e nunca é tarde para ser discutido novamente).

Para refrescar a memória de quem não se lembra dos fatos, ocorreu o seguinte: a FOLHA DE S.PAULO publicou uma reportagem sobre o verdadeiro império de comunicação montado pela IURD desde a sua fundação até hoje. São 22 emissoras de TV espalhadas pelo país, além de 40 emissoras de rádio e 19 empresas que abragem desde editoras à gravadoras.

O Jornal A TARDE, de Salvador, relatou a história de um fiel da IURD que destruiu uma imagem de 300 anos de um santo católico na Igreja de Nossa Senhora de Santana, na capital baiana, enquanto o jornal fluminense EXTRA publicou a história de uma fiel que doou um carro para a Igreja Universal.

Nas reportagens citadas não há, em nenhum momento, ofensa à fé das pessoas que seguem a Igreja Universal do Reino de Deus. São notícias que causam repercussão, de uma forma ou de outra. A opinião pública deve saber de que forma a IURD saiu de um simples galpão no subúrbio carioca para se tornar, no espaço de 30 anos, uma das maiores potências religioso-empresariais do Brasil. E certamente há mais do que fé e bênçãos nessa história.

UM BREVE HISTÓRICO DA IURD
Edir Macedo é carioca, ex-funcionário da Loterj e fundou a Igreja Universal do Reino de Deus em 1977, num prédio onde funcionava uma antiga funerária na zona norte do Rio de Janeiro. A Igreja também teve como co-fundador o pastor Romildo Soares, hoje conhecido como R.R. Soares – que apresenta o “show da fé” de sua Igreja, a Internacional da Graça de Deus, fundada dois anos depois de desligar-se do “bispo” Macedo.

A Igreja Universal teve um crescimento fantástico em apenas 8 anos de existência, com diversos templos no Brasil e no exterior ( notadamente nos EUA e em Portugal). Mas a grande impulsão da IURD aconteceu em 1989, com a compra da TV Record, uma emissora que andava mal das pernas e com baixa audiência, mas que foi adquirida por US$ 45 milhões de forma polêmica.

A partir deste fato a IURD ampliou seu poder de comunicação com retransmissoras de TV, emissoras de rádio, jornais, livros, gravadoras, templos suntuosos e pregações baseadas essencialmente na teologia da prosperidade.

O QUE É A TEOLOGIA DA PROSPERIDADE?
O crescimento das Igrejas neo-pentecostais no Brasil está associada a tal teologia, que prega basicamente a riqueza e a prosperidade já na vida terrena ( ou seja, a curto prazo - até chegar à vida eterna demora muito!) desde que os fiéis participem ativamente dos cultos e façam seus donativos (dízimos) às Igrejas. Além de Edir Macedo, também podemos citar a Igreja Renascer em Cristo, do casal Hernandes e o pastor Silas Malafaia (ligado à Assembléia de Deus) como os mais populares líderes religiosos adeptos de tal teologia.
A IGREJA UNIVERSAL, A DISCRIMINAÇÃO RELIGIOSA E O DIREITO À INFORMAÇÃO
Pois bem, conhecidos os fatos e um pouco mais do histórico da IURD, vamos refletir um pouco mais sobre as ações movidas pela Igreja contra órgãos de imprensa.

A Igreja Universal também possui em seu histórico uma série de condenações na justiça por discriminação religiosa. A maior e mais conhecida delas, talvez, seja o chute que um pastor da Igreja desferiu contra a imagem católica de Nossa Senhora Aparecida, considerada “padroeira nacional”.

Os adeptos do candomblé também sofreram perseguições e discriminação por parte da IURD: a publicação do livro “Orixás, caboclos e guias: anjos ou demônios”, de autoria do próprio Edir Macedo ( que a justiça determinou a retirada de circulação de todos os exemplares pelo seu conteúdo discriminatório) e o caso da sacerdotisa do candomblé Mãe Gilda.

Tais exemplos configuram-se, sim, em discriminação e ofensa religiosa de forma pública e abusiva. Uma reportagem investigativa questionando o espetacular crescimento da Igreja Universal não apenas na área de comunicação, mas também na política (a IURD possui grande bancada de deputados e vereadores espalhados pelo país e até mesmo um partido: o PRB – Partido Republicano Brasileiro) deve ser, sim, alvo de investigações.

Em reportagem de 1998 (“ TV que caiu do céu”), a Revista ISTOÉ já denunciava a estranha e polêmica aquisição da TV Record pela IURD. O Ministério Público Federal abriu processo por importação fraudulenta de equipamentos e documento público falso. Veja que tal fato não tem nada relacionado a Jesus Cristo, Deus, fé, logo não tem nada de perseguição, discriminação, ofensa, “coisa do demo”, etc. É um fato grave e a imprensa tem todo o direito de colocar na pauta, garimpar informações e publicá-las para que a opinião pública emita seu juízo.

A IURD tentou manipular a justiça, intimidar a imprensa e induzir seus fiéis a erguerem-se numa espécie de “cruzada santa” contra o direito da informação. Curas, exorcismos, graças alcançadas são considerados milagres de Deus; Já a multiplicação de emissoras, templos e saldos bancários segue um roteiro bem mais intricado do que o “pedi e recebeis”. Aliás, o autor desta frase também falou algo como “não junteis tesouros sobre a terra, junte tesouros no céu”...
SAIBA MAIS:
Blog TAMOS COM RAIVA ( recomendadíssimo em todos os assuntos!)
Geração de decepcionados e a teologia da prosperidade
Frases do Bispo Edir Macedo - biografia
Reportagem da revista VEJA: "A Igreja que assusta"
Os pentecostais: entre a fé e a política ( artigo acadêmico)

sábado, março 01, 2008

Uma história...dentre tantas outras.

Caos em Salvador: deslizamento, alagamentos e falta de luz devido a temporal

A forte chuva que atingiu Salvador provocou 78 ocorrências, entre deslizamentos de terra, desabamento de imóveis, quedas de muro e alagamento de pistas, segundo informações da Coordenadoria de Defesa Civil (Codesal). Os registros foram feitos da meia-noite às 7 horas desta sexta-feira, 29.

A chuva era cada vez mais intensa lá fora e a água já invadia o casebre de Joílton, que lutava, armado de frágil rodo e dois baldes e juntamente com a esposa, Marilene, contra a fúria da tempestade que trazia também lama e sujeira para dentro de casa.

O pequeno muro que separava a sua casa e a do vizinho já caíra; O telhado de eternit resistiria por quanto tempo mais? Havia diversas goterias dentro de casa e o barulho era ensurdecedor. Gritos de vizinhos, choro de bebês, a chuva torrencial. Todos tentavam de alguma forma salvar seus bens. A água e a lama já estavam em nível elevado, quase à altura dos joelhos das pessoas. Um convite para doenças de todos os tipos.

Moradores do Alto do Cabrito, Bonocô, Estrada da Rainha e Pernambués organizaram diversos protestos na manhã desta sexta-feira, 29, em Salvador, por conta dos alagamentos causados pela chuva que caiu desde o início da noite de quinta na cidade. Na Avenida Paralela, a comunidade da Travessa 1º de Maio, na Rua Nova do Vale, em Pernambués bloqueou o acesso de veículos na Avenida Paralela, na manhã desta sexta-feira, 29. Utilizando sofás, estantes, cômodas e outros móveis destruídos pela chuva que caiu durante a madrugada, os manifestantes cobraram uma solução da prefeitura para a situação no local.

Joílton e Marilene estão casados há apenas 4 meses. Ele, porteiro de um edifício localizado na área nobre de Salvador, ganha pouco mais que um salário mínimo; Marilene é doméstica, também em edifício na parte nobre da cidade. Recebe um salário mínimo por mês, mas não tem carteira assinada – o acordo com a patroa é feito “de boca”.

Os móveis recém-adquiridos do casal foram quase todos destruídos. Deu para salvar uma televisão e um rádio. O sofá e a estante da sala se perderam, assim como a geladeira; Mas o pequeno fogão conseguiram manter intacto, sabe-se lá como. Ao menos não perderam muitas roupas e nem documentos importantes – inclusive o carnê das prestações que faltam para quitar as dívidas da compra do sofá, da estante, da geladeira...

O presidente da Associação de Moradores do bairro confirma que a tragédia já era anunciada. Ele contou que já havia feito, desde 2003, diversas solicitações à Superintendência de Manutenção e Conservação da Cidade (Sumac), a fim de resolver os problemas do local mas todas em vão. “Levamos abaixo-assinado, protocolo e até acionamos o Ministério Público. Nosso último recurso foi ir a uma emissora de TV reclamar”.

Joílton estava presente no protesto. Ligou para a empresa que fornece mão de obra para condomínios e explicou a situação; o patrão foi compreensível e destacou outro porteiro para o edifício. O rapaz estava revoltado, não com a natureza – e entendia que muitos vizinhos também jogavam garrafas plásticas e todo o tipo de lixo nas ruas e canais - e sim com o descaso dos governantes, que aparecerão este ano em sua rua, pois é ano eleitoral. “Só querem saber de voto, depois somem”.

Marilene queria ficar em casa para tentar organizar a vida e o que sobrou de bens depois do temporal. A patroa não permitiu. Exigiu a presença da empregada no apartamento.

O problema de alagamentos já era antigo no local e se agravou após a construção do Shopping Salvador. “A prefeitura não fez nada aqui no bairro após a construção do shopping, o canal ficou mais estreito e nunca mais fizeram a limpeza do córrego”.

Marilene ouvia a patroa falar maravilhas do Salvador Shopping. Que era um shopping moderno, limpo, de “gente bonita” e cheio de lojas de grife. “Finalmente Salvador tem um shopping de classe e chique, como em São Paulo”, dizia a patroa.

Apesar do shopping ficar do outro lado da pista e ter uma passarela para chegar até lá, Marilene nunca pisou os pés neste shopping. De tanto ouvir a patroa falar, até queria conhecer a “boniteza” do lugar.

Mas mudou de idéia quando chegou no luxuoso apartamento atrasada para o trabalho ( o trânsito da cidade ainda estava caótico pela manhã) e ainda foi advertida pela patroa, que parece não ter tomado muito conhecimento do que aconteceu durante a madrugada:

- É mesmo, minha filha? Que coisa. Ah, e aí, já terminou de preparar o almoço? Faça alguma coisa diferente hoje, viu? Um tempero a mais, uma comida alegre.

Marilene olhou o mundo exterior por uma janelinha na dependência. Ao menos o céu estava limpo, o sol brilhando e não havia previsão de mais chuva.

E teve a impressão de ter visto um pombo branco cruzando o céu com um ramo de oliveira no bico.

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails